VOVÓ É UMA UVA… VOVÓ MODERNA…

Martha Medeiros sempre me encanta e surpreende com suas crônicas. Está da avó me remeteu a doces lembranças. Hoje sou uma avó bem moderna e muito diferente de como era a minha avó pra mim. Tempos modernos… quer ver só? Leia:

A palavra avó nos remete à infância, quando passávamos o domingo numa casa cheirando à comida, com toalhinhas de crochê decorando todos os ambientes e um quarto sempre na penumbra, com móveis de madeira maciça e uma enorme cadeira de balanço, onde cochilava a matriarca. Parece com a casa da sua avó também? Pois guarde esta imagem na lembrança, pois ela não se reproduzirá tão cedo. Já não se fazem mais avós como antigamente.

Os esteriótipos não são criados do nada: as avós eram assim mesmo, de cabelo branco e óculos pendurados no nariz. Toda família que se preze teve sua Dona Benta, e a imagem é tão forte que até hoje os comerciais de tevê insistem em caracterizar as vovós como senhoras idosas, rechonchudas, com aventais amarrados na cintura, cabelos presos num coque e aquele ar de quem não faz outra coisa na vida a não ser torta de amoras. E os avôs? Seja na televisão ou no rádio, todos têm voz de Papai Noel, enquanto que, na realidade, os avôs da nova era estão mais para Mick Jagger, que aliás, já tem um neto. Acorde: os avós de hoje não lembram mais das canções de ninar, mas sabem de cor a letra de Satisfaction.

Quer dizer que o lobo mau conseguiu engolir nossa vovozinha? As que usavam toquinha e tinham voz rouca foram papadas, sim, meus pêsames. Mas olhe agora, o que vemos? Avós de jeans, dirigindo jipes, cabelo pintado, óculos escuros. Avós que trabalham, que viajam, qu dão festas, que namoram. Avós que fazem lipo, aeróbica, jogam paddle e suspiram não pelo Lima Duarte, mas pelo Victor Fasano. Será que elas sabem pregar um botão? Não custa tentar, mas se a empreitada der errado, não complique. Ela terá o maior prazer em levar a netinha para comprar uma roupa nova no shopping. E o almoço de domingo? Também mudou. As avós de hoje não andam dispostas a engordar nem um grama com macarronadas familiares e muito menos a quebrar suas garras vermelhas lavando panelas. Que tal um buffet frio, muita água mineral e salada de frutas? Combinado, ela entra com a água.

Netos e netas, não se sintam desamparados. As avós de hoje são muito mais participantes. Podem não lembrar direito das histórias de Gulliver, Pele de Asno ou O Gato de Botas, mas têm históriazs pessoais tão encantadoras quanto. São mais divertidas e menos preconceituosas. Têm mais saúde e disposição para enfrentar parques, teatrinhos, zoológicos. E o fato de buscarem a eterna juventude não lhes tirou um pingo do afeto que sentem pela terceira geração. Ao contrário: nunca vi tantas avós apaixonadas por seus netos. É um amor enorme, desinteressado, sem ônus do compromisso, só do prazer. Sempre foi assim, mas agora há um fator novo: hoje as mulheres têm menos filhos, e em conseqüência, menos netos. Antigamente a família era gigantesca, e não havia memória que chegasse para lembrar o nome de toda a criançada. Hoje são só dois ou três, dá até para providenciar um mini-hotelzinho em casa para hospedá-los no final-de-semana. Tem mais: o limite de idade para engravidar foi muito ampliado, e hoje uma mulher poder ser mãe e avó quase ao mesmo tempo, encurtando as diferenças entre uma e outra. Se por um lado estamos perdendo a imagem romântica da avó que cozinha, faz tricô e tem roseiras no quintal, por outro estamos ganhando uma avó bonitona, que tem o maior orgulho ao falar de nós para as amigas e que sempre estará disposta a nos dar um colo. Desde que esteja com uma roupa de microfibra, bem entendido.

O amor, que é o que interessa, não mudou. Mas mudaram as avós. Danuza Leão, Baby Consuelo, Constanza Pascolato e tantas outras mulheres que falam gírias, bebem cerveja e estão sempre prontas para uma novidade são avós tanto quanto as nossas saudosas velhinhas de casaquinho nos ombros. Vera Fischer, Betty Lago e tantas outras gatas desta geração também já têm filhos adolescentes que não tardaram a procriar. Passarão, como toda mulher, pela menopausa, pela osteoporose e por outros distúrbios da idade, mas certamente não aceitarão o papel de uma avó caseira, bordadeira e sem outra ambição que não seja cuidar dos netos. Sempre se disse que a avó era uma segunda mãe. Pois ela nunca esteve tão parecida com a primeira.

E você que tipo de avó é?

Leia também: https://oterceiroato.com/2015/10/29/eu-vou-ser-avo-pela-primeira-vez-que-felicidade/

https://oterceiroato.com/2016/08/31/eu-vou-ser-vovo-pela-primeira-vez-a-distancia/

Xiiii!!!! ESTAMOS ENVELHECENDO… E AGORA?

Adorei estes Conselhos de um Geriatra, Dr. Joston Miguel, um olhar positivo e espirituoso sobre estarmos envelhecendo. Assim como eu vejo as coisas. Dá uma boa reflexão.

Estamos envelhecendo.

Não nos preocupemos! De que adianta? É assim mesmo! Isso é um processo natural. É uma Lei do Universo conhecida como a 2ª Lei da Termodinâmica, ou Lei da Entropia. Essa lei diz que: A energia de um corpo tende a se degenerar e, com isso, a desordem do sistema aumenta. Portanto, tudo o que foi composto será decomposto, tudo o que foi construído será destruído… Tudo foi, enfim, feito para acabar! E como fazemos parte do universo, essa Lei também opera em nós. Com o tempo, os membros se enfraquecem e os sentidos se embotam.

Sendo assim, relaxe e aproveite. Parafraseando Freud: A morte é o alvo de tudo que vive. Se você deixar o seu carro no alto de uma montanha, d’aqui a 10 anos ele estará todo carcomido. O mesmo acontece a nós. O conselho é: Viva! Faça apenas isso. Preocupe-se com um dia de cada vez. Como disse um dos meus amigos a sua esposa: Me use; estou acabando!. Hilário, porém realista.

Ficar velho e cheio de rugas é natural. Não queira ser jovem novamente, você já foi. Pare de evocar lembranças de romances mortos! Vai se ferir com a dor que a si próprio inflige. Já viveu essa fase, reconcilie-se com a sua situação e permita que o passado se torne passado. Esse é o pré-requisito da felicidade. Em última análise, se isto for lhe fazer bem, tente se reconciliar com a pessoa que você rejeitou. Tente se reconciliar com a Família que você, sem pensar, resolveu destruir… Pense nessa hipótese!

O passado é lenha calcinada. O futuro é o tempo que nos resta: finito, porém incerto, como já dizia Cícero. Mas nada impede uma pessoa se reconciliar com o seu passado! Tente, então!

Abra a mão daquela beleza exuberante, da memória infalível, da ausência da barriguinha, da vasta cabeleira e do alto desempenho, para não se tornar caricatura de si mesmo. Fazendo isso, você ganhará qualidade de vida.

Querer reconquistar esse passado (da beleza que já não mais existe em você) seria um retrocesso, e o preço a ser pago será muito elevado: serão muitas plásticas, muitos riscos e, mesmo assim você verá que não ficou como outrora. A flor da idade ficou no pó da estrada. Então, para que se preocupar? Guarda os bisturis, e toca a sua vida.

Essa resistência em aceitar as leis da natureza acaba espalhando sofrimento por todos os cantos. Advêm consequências desastrosas, quando se busca a mocidade eterna, as infinitas paixões, os prazeres sutis e secretos, as loucas alegrias e os desenfreados prazeres. Isso se transforma n’uma dor que você não tem como aliviar e condena à ruína sua própria alma.

Discreto, sem barulho ou alarde, aceite as imposições da natureza e viva a sua fase. Sofrer é tentar resgatar algo que deveria ter vivido e não viveu. Se não viveu na fase devida, o melhor a fazer é esquecer. Você não tem de experimentar todas as coisas, passar por todas as estradas e conhecer todas as cidades. Isso é loucura, é exagero. Faça o que pode ser feito com o que lhe está disponível.

Quer um conselho? Esqueça. Para o seu bem, esqueça o que passou. Tem tantas coisas interessantes para se viver na fase em que você está. Coisas do passado, no que se refere à juventude, já não te pertencem mais.

Se você tem esposa e filhos, experimente vivenciar algo que ainda não viveram juntos. Faça a festa. Celebre a vida! Agora, você tem mais tempo! Aproveite essa disponibilidade e desfrute-a. Aceitando ou não, o processo do envelhecimento vai continuar. Assuma viver com dignidade e nobreza a partir de agora. Nada nos pertence.

Tive um aluno com 60 anos de idade que nunca havia saído de Belo Horizonte. Não posso dizer que, pelo fato de eu conhecer grande parte do Brasil, sou mais feliz que ele. Muito pelo contrário. Parecia-me exatamente o oposto.

O que importa é o que está dentro de nós, a velha máxima continua atual como nunca: Quem tem muito dentro, precisa ter pouco fora.

Esse é o segredo de uma boa vida. Pense! Repense e não faça besteira. Ao final, você verá que não valeu a pena… Que não valeu ter destruído a sua Família para ir atrás de um sonho que, rapidinho, se voltará contra você em eterno e enorme pesadelo.
Sensacional né?

MUITO OBRIGADA: JÁ SOMOS + DE 1200 SEGUIDORES…💗💖 500 POSTS… 500.000 VISUALIZAÇÕES 🏆🥇

“Escrever um livro, ter um filho e plantar uma árvore”… coisas que esperamos fazer durante a vida. Este dito popular precisa de adaptações para o século XXI e repensar. Já plantei árvores, tive 2 filhos maravilhosos e em vez de livro, resolvi escrever um #blog. Missão cumprida? Será? Quem sabe experimentar um novo hobby… viajar para países exóticos, 👀tudo isso junto… mas, eu prefiro uma atividade que que me inquiete mais do que me acalme… quero continuar a escrever… escrever… postar… aprender muito sobre as redes sociais e ver o que vira á frente.

É com muita alegria que anuncio que o meu Blog o terceiro ato na WordPress atingiu mais um marco histórico. #oterceiroato

Atingimos hoje 500.000 #visualizações; com uma média 125.000 visualizações anuais. Com 13.500 visualizações só este ano, até agora.

Queria agradecer muito a todos os meus 1.200 #seguidores 🙏🏻🥂.

Este é o 500º #post do meu blog (que começou em 2015 na WordPress) até o presente momento, geralmente edito 2 posts novos em média por semana… e outros de repente conforme os acontecimentos vão surgindo. Com assuntos variados sobre atualidades na #longevidade, avosidade, experiências de vida, morar em Portugal, #viagens, #crônicas, #aprendizagens, #positivismo com um olhar de bem com a #vida,…

Meus posts mais visualizados são estes… caso você queira dar uma olhada 👀🤩🙏🏻:

1. Eu vou ser #avó… pela primeira vez… que #felicidade!!! (29/10/2015)

https://oterceiroato.com/2015/10/29/eu-vou-ser-avo-pela-primeira-vez-que-felicidade/

2. Meu #neto nasceu!!! Seja bem vindo João Pedro… Feliz demais!!! (01/11/2015)

https://oterceiroato.com/2015/11/01/meu-neto-nasceu-feliz-demais/

3. #Aposentei e agora? Bora para Portugal?

https://oterceiroato.com/2018/08/31/aposentei-e-agora-bora-portugal/

4. Conheça a teoria dos #setenios: de 7 em 7 anos a vida muda completamente.

https://oterceiroato.com/2019/04/27/conheca-a-teoria-dos-setenios-de-7-em-7-anos-a-sua-vida-muda-completamente/

Quero agradecer à todo mundo que perde um minutinho do seu dia por aqui. AMO receber os seus #comentários de carinho, confesso que isto me incentiva muitoooo. Assim como saber um pouco das vossas histórias… e contar um pouco das minhas.

Isto tudo é importantíssimo e valioso demais pra mim. A aceitação de vocês é o maior de todos os combustíveis que tenho, para a cada dia tentar fazer um trabalho ainda melhor!

Ter minhas #postagens #compartilhadas, para inspirar cada vez mais pessoas, é um grande e não tem preço.

Muito… muitooooo 🙏🏻😍Obrigada🙏🏻🥂

#oterceiroato #500post #1200seguidores #500.000visualizacoes #agradecer #escreverumblog #posts #envelhecerbem #moraremportugal #viagens #cronicas #setenios #debemcomavida

CAFÉ & PROSA… da IT_AVO

Acontece uma vez por mês em São Paulo, na região do centro o café &prosa, preparado com muito carinho por Rosângela do it_avo.

Será mês dia 20/02 no @cafegirondino das 14:30 as 16:30.

Venha tomar um café conosco! Você é nosso convidado. #it_avo #oterceiroato #cafe&prosa

[2º café&prosa] estamos a poucas horas para o nosso delicioso encontro, regado a alegria, conversa boa, felicidade e. cafezinho. BEM VINDAS! #cafécomigas #criandolacos

​QUARENTA… CINQUENTA… SESSENTA ANOS!

Tem gente que começa aos quarenta, outros assim como eu, só perto dos sessenta anos.

A nossa percepção sobre o mundo e nós mesmos vai mudando… vamos ficando mais calmos… leves e felizes. Queremos a simplicidade em cada gesto… em cada atitude… e mudamos em tantas coisas que a nossa companhia conosco mesmo torna- se um prazer absoluto. Somos mais seletivos em todas as nossas escolhas assim como Fabrício Carpinejar descreve neste texto. Leiam:

Gostar da própria solidão é a manifestação mais clara de que chegou aos 40 anos.

Não precisa mais sair de casa para ser feliz, não é mais tributário do barulho e da multidão para se ver acompanhado.

Gosta do silêncio e de não fazer nada demais. Gosta do espaço vazio e da liberdade de não ter a agenda cheia.

Passa a filtrar os convites, a peneirar as festas, a abrir a porta para a rua somente quando realmente é indispensável.

Não sofre mais em dizer não. Prefere receber os amigos em casa, em pequenos e semelhantes grupos, a virar a madrugada em baladas com estranhos.

Dispensou o bordel dentro de si. Tem como princípio sexo com qualidade, não mais pela quantidade. Não está mais desesperado para transar toda noite, toda semana. Busca criar um clima para o clímax, acima de tudo. A música de qualidade e a conversa inteligente são preliminares indispensáveis antes de qualquer amasso.

Perdeu também a ganância de enriquecer, o olho de águia do sucesso, opta por ganhar menos e se incomodar menos.

Mudou a sua concepção de prosperidade, paz é prosperidade.

O que fazia quando estava gripado, de permanecer na cama lendo um livro ou emendando episódios de uma série, agora ocupa a maior parte de seus dias sadios. Preocupa-se em aguar as plantinhas, em aprender idiomas, em comprar verduras sem agrotóxico nas feirinhas de bairro.

Nem para tomar vinho acredita que depende de companhia. As quatro décadas revelam a satisfação de um cálice sentado na varanda, sem ninguém para apressar os goles. Finalmente está solto no seu mundo de pensamentos para degustar a safra e descobrir os taninos.

Sei que meus amigos sopraram as quarenta velinhas quando decidem se dedicar a cerveja artesanal. Largam os botecos e a zona de desconforto da boemia pela produção caseira de sua bebida. Ostentam experimentos e guardam as provas para limitados convidados. São cientistas do isolamento, explicando, depois de cumprida a missão, o passo-a-passo de sua incubadora com ostensivo orgulho.

Alguns encontram tempo para maturar queijos, outros se aventuram a assar pães ou pizzas, com sacerdócio de mestre-cucas. Se antes reclamavam da submissão doméstica das mães e avós, que colocavam tortas a esfriar nas janelas, agora não acham nem um pouco inconveniente o hábito de cozinhar, ainda que seja para o seu consumo.

Aliás, é simbólico nesta faixa etária querer produzir a sua própria comida. A cozinha torna-se a parte mais importante da residência, com aquisição de fornos potentes e panelas inquebrantáveis.

O discernimento da meia-idade surge com a renúncia. Entende-se que perder a agitação é ganhar autoconhecimento. A experiência traz a clareza do que é bom e do que é ruim, de que não vale realizar coisa alguma na contrariedade, de que nada mais será feito para agradar o outro.

Gostar-se é o início de uma nova vida. Longeva vida, com a adrenalina da simplicidade. 💙🙏🏻

ENVELHECER ESTÁ SENDO BEM MELHOR DO QUE PENSEI…

Confesso que tive medo desta hora chegar. Parecia que ia demorar tanto, tava tão longe de mim, mas num piscar de olhos… lá estava eu com sessenta anos. Simplesmente assim!

Percebi que não mudei nada. Isso mesmo… nadinha de nada!!! Me senti igualzinha… ou melhor parece que trouxe uma certa leveza, uma paz grande, tipo calma na alma sabe… e veio junto a sensação de dever cumprido.

Está bem melhor do que eu pensei vivenciar este meu envelhecer…

Tudo passou tão rápido, que não deu nem pra perceber as tais mudanças ou o que a maturidade e a longevidade tem me trazido. Aconteceu assim aos pouquinhos.

Percebo de longe que é bem melhor do que eu pensava antes. Ainda bem… melhor assim rsrsrs.

Já não tenho mais tanta pressa. Saboreio melhor e com mais qualidade tudo que está ao meu redor. Faço tudo acontecer com intensidade.

Já não tenho o corpo da juventude, algumas limitações da idade vão surgindo aos poucos… o jeito é pensar melhor em como podemos fazer para melhorar… e seguir em frente, assim continuaremos muito bem obrigada.

Estou tomando certos cuidados que antes foram adiados… mas que agora se tornam imprescindíveis para o meu bem estar e o meu futuro.

Minha saúde passou a ser uma das minhas prioridades, afinal vamos precisar estar bem, não é?… Tratar bem nosso corpo, pra poder fazer tudo o que queremos… será necessário e assim se possível ultrapassarmos os 100 anos.

Agora eu só quero é viver com mais qualidade de vida, ser feliz e com muito mais prazer. Minha felicidade está sendo bem percebida por todos me cercam e mantida como prioridade.

Sim é possível! Se até agora não se preocupou com isto, assim como eu… agora é a hora de começar. Nunca é tarde! Arregacei as mangas e me joguei.

Requer sim algumas mudanças, não é tão difícil, mas atenção e “disciplina” e o “foco” são necessários daqui pra frente. Precisaremos mudar alguns coisas e velhos hábitos… Como? Tenho planejado mais e com antecedência as coisas, estou usando meu #wishplanner que ajuda muito.

Tenho tantas coisas pra fazer ainda que vou priorizar as que mais me agradam. Pra quem quiser vir comigo vou dar algumas dicas… Vem comigo:

Simplifiquei minha vida. Quero paz e amor. Viver é ser feliz!

Cuido melhor da minha saúde. Adiei até agora, tenho que confessar, mas hoje não dá mais. Pratico atividades físicas sim. Me movimento mais e mudei velhos hábitos alimentares, isto tudo tem modificado minha vida já. Comecei então a “caminhar” mais, a fazer o Pilates e o Tai Chi Chuan. Disciplina e frequência estão sendo necessários para obter um melhor resultado. Estou firme. Minha alimentação está mais equilibrada. Pouco sal e açúcar, menos frituras… Muitas frutas, fibras, legumes e proteínas. Carboidratos só o necessário e integral para dar mais energia. Sem exageros.

Melhorei a hidratação, tento beber (1 1/2 litros) mais água por dia. O melhor é ver os exames médicos estar melhorando. Anima muito.

Faço um checkup Médico regularmente, das especialidades necessárias que necessito e tento seguir “todas” as prescrições médicas. Sem me sabotar. Muito importante!

Participo ativamente (ideias/ projetos/ cursos/ imersões…) dos movimentos que acontecem em São Paulo sobre longevidade: #maturyjobs #trabalho60mais #maturiday #lab60+ #expolongevidade entre outros. Estou com a agenda cheia rsrsrs.

Convivo mais e melhor com meus pares. Me cerco de pessoas queridas. Marco cafés/almoços com velhas e novas amigas. Papeio, troco ideias, aprendo, troco experiências enfim coloco a conversa em dia. Mantenho minha “interação” ativada plenamente. Eu adoro participar do #café&prosa preparado mensalmente pela Rosângela da #it_avo, super indico.

Aprendo coisas novas sobre assuntos diversos que eu gosto: Artes/Fotografia/Línguas/ Dança/ Cultura/ Contos/ Escrita/ Informática/ Redes Sociais/ Caminhar pela cidade… Em 10 de fevereiro vão abrir as inscrições na USP para a terceira idade, já estou de olho sobre o que vou querer fazer este ano. Tem vários lugares também interessantes pra se aprender e ir. A maioria são de graça.

Me atualizo sobre as novas tecnologias desse mundo virtual que tanto estão fazendo parte do nosso dia a dia atualmente: como usar melhor a Internet, os smartphones e as redes sociais que são hoje uma das minhas prioridades. Tenho muito que aprender ainda.

Amo muito meu marido e minha família. São a melhor coisa que tenho na vida. Meu legado. Dou e recebo atenção. Ouço e falo. Conversamos sempre, refletimos sobre várias questões. Procuramos estar juntos sempre que podemos. Trocamos ideias. muitaaaaas conversar e risadas. Convivemos muito bem, obrigada! Colhemos o que plantamos. Eu plantei amor ❤️. Tento aparar as arestas pra arrumar a casa, sempre.

Conviver mais com a família que mora mais distante. Eu faço anualmente um planejamento grande para o primeiro e o segundo semestre, já que tenho filhos e suas famílias morando fora do Brasil. Morro de saudades deles, e quero participar de todo o desenvolvimento dos meus 3 netinhos muito queridos. Meta minha ir de 1 á 2 vezes ao ano no seu País, para estarmos mais juntos… ou virem aqui pra casa. Preferencialmente nos seus aniversários, Natal e Ano Novo. A internet ajuda na saudade. Mantemos contato quase que diário.

Viajo… viajo… Organizo as minhas viagens do Ano com bastante antecedência, faço pesquisas e compro as passagens aéreas com antecedência e divididas em vários meses, o que facilita muito. Quando começo a viagem, esta parte está paga ou quase terminando. Economizo em tudo que posso.

Sou uma vovó super coruja. Meus 3 netinhos moram longe, então passo uma temporada com eles nas férias ou quando podemos e faço com que estes momentos sejam únicos e intensos pra eles e pra mim. Rimos, nos divertimos, cantamos, dançamos, passeamos, brincamos, fazemos picnics e vamos assim construindo tantas histórias lindas em parceria que dão fôlego até os nossos próximos encontros. Registro tudo que posso: tiro fotos, faço vídeos, invento brincadeiras… o que der na veneta. Estou fazendo pra eles um álbum de memórias contando a história da minha vida. Espero que eles queiram ler quando cresceram, pra trazer doces. lembranças. A saudade mora em mim.

Planejo minha vida financeira. Faço um planejamento financeiro, custei a aprender isto (até hoje apanho muito ainda)… isto tem me ajudado e controlar melhor meus gastos. Tento não usar o cheque especial e controlo os gastos com o cartão de crédito mensal (usei paguei tudo).

Economizo em tudo que puder. Aprendi a comprar somente àquilo que realmente preciso e quero. O consumismo de fato deixou de acontecer muito comigo. Reflito bem sobre as minhas reais necessidades e não caio mais nas armadilhas das liquidações.

Reaproveito também tudo o que posso, e ainda ajudo o planeta. Este novo hábito tem me ajudado a descobrir muitas coisas. Uso a minha criatividade. Fim do desperdício.

Minha casa mais segura. Deixo tudo organizado e arrumado, cada coisa tem seu lugar. Faço manutenções constantes na casa e eletrodomésticos. Duas vezes ao ano verifico datas de validade dos produtos na despesa (jogo fora os vencidos) e o que não me serve mais, doo se servir para alguém. Cuidado com tapetes e fios soltos; uso corrimãos e grades que tem que estar em bons estado; arrumo os equipamentos quebrados.Assim aos poucos tudo fica bem melhor.

Doe: Duas vezes ao ano eu doo tudo que não vou usar mais e pode servir para alguém. Faço um chá com bolachas em casa convido amigos e família, escolhem o que querem ficar, passamos uma ótima tarde juntas… o resto doo para alguém que precisa. Renovo as energias da casa.

Durmo melhor minhas 8 horas diárias. Preparo antes meu ambiente tranquilo no quarto, sem TV e eletrônicos na cama. Nem mais nem menos.

Tenho muitos pensamentos positivos. Atraímos o que pensamos. Um olhar para a vida com bom humor e de superações são muito importantes para a minha vida envelhecemos com positividade na alma. Tudo é um grande aprendizado e sei que tudo passa!

Exercícios mentais tem sido mais frequentes agora. Tenho procurado manter a minha mente ativa e aberta ao novo. Leio, escrevo, aprendo línguas, faço palavras cruzadas, sudoku, joguinhos por aplicativos… Participo de redes sociais. Isto tudo me mantes bem ativa. Tenho que ter tempo de pausas também.

Digo não! Escolho não ter companhias tóxicas, fazer coisas que me aborrecem e que não condizem com meus propósitos de vida… Se sei que vai me fazer mal, hoje ou amanhã não vou e não faço.

E você como está indo no seu envelhecer, me conte… vou adorar interagir com vocês.

REUNIÕES PORTAS ABERTAS.

As Reuniões Portas Abertas foram criadas para você conhecer mais sobre os objetivos do Grupo Mulheres do Brasil e também sobre os Comitês, nos quais poderão se engajar.

Fui nesta semana (6/02/2020 no horário das 14:30 ás 17:00 horas) na primeira reunião do ano deste grupo. Foi realizada na Casa Mulheres do Brasil: Rua Doutor Tomás Carvalhal, 681 – Paraíso – São Paulo.

Conheci vários comitês e o andamento de seus projetos, todos muito interessantes e cheio de propostas muito boas… me apaixonei por vários. Vou escolher os que mais me identifiquei pra fazer parte deles, foram eles:

Conexão Bairros e Comunidades, Expansão, Comunicação, Jurídico, Vozes, Saúde, Políticas Públicas, Meninas do Brasil, Inserção de Refugiados, Inclusão da pessoa com deficiência, 60+, Igualdade Racial, Empreendedorismo, Educação, Cultura, Combate à Violencia Contra a Mulher, 80 em 8.

Conheci também alguns expositores que estavam na casa. Seus trabalhos são executados com muito primor e uma dose extra de amor.

Um deles foi o Saberes no Pano. org (#saberesnopano.org) que fazem livrinhos de pano super criativos para as crianças. Amei!

Os Livros de pano do Movimento de Mulheres do Jardim Comercial, são reconhecidos nacional e premiado internacionalmente. Resgatam também muitas brincadeiras da nossa infância. “Nossa vida se torna mais bela quando aprendemos a conviver com as diferenças…”

Outro foram as que faziam as pequenas bonequinhas Abayomi, que tem uma linda história. Feitas pelos refogados.

Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navio de pequeno porte que realizava o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção. As bonecas, símbolo de resistência, ficaram conhecidas como Abayomi, termo que significa ‘Encontro precioso’, em Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim. Sem costura alguma (apenas nós ou tranças), as bonecas não possuem demarcação de olho, nariz nem boca, isso para favorecer o reconhecimento das múltiplas etnias africanas.

O Instituto Amor em Mechas andam transformando vidas, são um grupo que fazem perucas e ajeitam lenços para a cabelo oferecendo para as mulheres. Tem como objetivo contribuir para que mais e mais mulheres em tratamento quimioterápico ou que convivem com a alopecia, continuem a receber as perucas gratuitamente, mantendo sua autoestima elevada.

#movimentodemulheres #livrinhosdepano #historiasinfantis

#portasabertas #grupomulheresdobrasil

#abayomi

#refugiados@grupomulheresdobrasil #refugiados