AS 10 CIDADES MAIS BARATAS PARA VIVER EM PORTUGAL.

“Temos de nos tornar na mudança que queremos ver”. Mahatma Gandh.

Acompanho Erick, da Eurodicas, já a algum tempo, sempre esta nos dando muitas dicas boas sobre como é morar em Portugal. Recomendo vocês visitarem o Blog dele.Como estou planejando minha mudança para 2020, pesquiso bastante . Leiam:

Quando estamos nos preparando para mudar de vida, decidimos mudar de cidade e, principalmente de país, temos que considerar o custo de vida daquele lugar. Portanto consideramos neste artigo 10 cidades mais baratas para viverem em Portugal. O custo de vida em Portugal é relativamente baixo, mas existem as cidades mais baratas para viver em Portugal, assim como existem as mais caras. Por isso, temos que levar isso em conta, na hora de escolher a cidade onde vamos morar, pois o custo de vida e a infraestrutura são muito importantes na hora da mudança.

Custo de vida em Portugal

Portugal é um dos países que tem o custo de vida mais baixo, mas também é um dos que tem o salário mínimo mais baixo. Atualmente (2018) o salário mínimo em Portugal é 580 euros. Porém, principalmente nas grandes cidades, é muito difícil viver somente com esse valor.

Se você já se sente preparado e decidido a morar em Portugal, veja o ebook como Morar em Portugal, (que eles montaram para ajudar) onde conta em mais de 300 páginas de conteúdo prático qual o passo a passo para transformar seu sonho de morar fora em um plano e executá-lo.

A Portugal 2

Vamos dar o exemplo do Porto: Nota: Média de valores para uma pessoa. Gastos dependerão do seu estilo de vida. Custo de vida media/ mensal no Porto:

Apartamento de 1 quarto – 400 euros

Alimentação (mercado) – 150 euros

Contas (água, luz, gás) – 50 euros

Internet + TV – 25 euros

Celular – 10 euros

Transporte – 30 euros

Total – 715 euros

Sem contar outros gastos como academia, animal de estimação, etc. Esse é o custo para uma pessoa viver sozinha no Porto, por isso muitas pessoas que mudam sozinhas para a cidade optam por alugar quartos (por volta dos 300 euros com as contas incluídas), dividindo casa com outras pessoas. Por isso que as pessoas procuram as cidades mais baratas para viver em Portugal.

Leia também: https://oterceiroato.com/2016/03/28/consulados-de-portugal-no-brasil/

Quanto é preciso para viver na cidade?

Existe uma pesquisa feita em 2017 que revelou que o valor mínimo adequado para uma pessoa receber em Portugal, para viver com dignidade é 783 euros.

Cidades mais baratas para viver em Portugal

Falar sobre as cidades mais baratas para viver em Portugal é um tema muito difícil e relativo, pois a cidade pode até ser barata, mas não garantir a infraestrutura que a pessoa precisa para viver. Por isso esse artigo tem apenas a intenção de dar a conhecer um pouco sobre algumas cidades e já vou avisando que vão faltar algumas na lista.

Leia também: https://oterceiroato.com/2016/03/07/conheca-as-5-melhores-cidades-de-portugal-para-morar/

Você quer saber quais são as cidades mais baratas para viver em Portugal? Então confira a lista que fizemos e veja qual mais te agrada.

Morar em Braga. Braga é uma cidade do norte de Portugal, e apesar de ser bastante turística, possui um custo de vida bem barato. A cidade é muito limpa e os transportes funcionam muito bem.

Custo de vida em Braga.

Para se ter ideia do custo de vida na cidade vou citar o valor do aluguel(em média) para termos uma noção. É possível alugar um apartamento de 2 quartos por mais ou menos 350 euros.

Comer em restaurantes na cidade, principalmente fora da zona turística, são bastante acessíveis (mesmo).

Outros aspectos importantes sobre morar em Braga

Possui uma Universidade de renome, oportunidades de trabalho principalmente nas áreas de tecnologia.

Na cidade há taxis e o Uber chegou há pouco tempo. Há estação de trem, shopping e está muito perto do Porto. Tenho amigos que moram em Braga e que não vêm desvantagens em morar lá.

Saiba mais sobre como é morar em Braga.

Morar em Viseu. É uma cidade situada no centro de Portugal, e para quem busca qualidade de vida, esse é o lugar certo. Viseu já entrou algumas vezes em rankings internacionais de cidades com melhor qualidade de vida.

Custo de vida em Viseu

Viver em Viseu não é muito caro. Um apartamento de 2 quartos custa por volta de 300 euros por mês, e as contas são mais baixas do que nas grandes capitais.

Outros aspectos importantes sobre morar em Viseu

É uma cidade moderna, com muitos espaços verdes, e com um centro histórico preservado. Com uma economia baseada em serviços e na indústria, esse é o melhor ramo para encontrar emprego. Os transportes públicos funcionam bem, porém, a cidade não tem trem, portanto as pessoas dependem de ônibus e carro.

Morar em Bragança. Uma cidade do extremo norte de Portugal, bem pertinho da Espanha, com um clima diferente do restante do país, bem mais frio no inverno, e com a primavera bem seca.

Custo de vida em Bragança

Bragança possui um baixo custo de vida, além de ser uma cidade bastante estudantil, o que torna o aluguel de quartos muito baratos. O aluguel de um apartamento de 2 quartos custa por volta de 280 euros. Além disso, restaurantes e contas básicas são bem mais baratos do que as dos grandes centros.

Outros aspectos importantes sobre morar em Bragança

Bragança já foi considerada uma das melhores cidades e também está entre as cidades mais baratas para viver em Portugal, pela sua segurança, qualidade de vida e baixo custo.

Uma cidade bem universitária, situada na região tão conhecida de trás-os-montes, possui um bom sistema de transporte, apesar de não ser muito grande e possui oportunidades de empregos mais na área comercial e vendas. Porém é muito fria no inverno e não tem trem. para ir para outros lugares, vai sempre depender de ônibus ou carro.

Morar em Guarda. Guarda é uma cidade no centro de Portugal, localizada perto da Serra da Estrela. É uma cidade implantada em uma região montanhosa, e tem registros de ocupação desde o período pré-histórico!

Custo de vida em Guarda.

Como uma das cidades mais baratas para viver em Portugal, oferece boa qualidade e um baixo custo de vida. É possível encontrar apartamentos de 2 quartos para alugar a 280 euros, restaurantes com comida boa e barata, contas de casa também abaixo da média das grandes capitais.

Outros aspectos importantes sobre morar em Guarda

Tem uma boa universidade , transportes públicos, estação de trem, shopping, e opções de lazer.

No inverno é muito fria e neva, e algumas casas podem não estar preparadas para esse frio todo, e podemos acabar gastando um pouco mais nas contas, com os aquecedores. Quando pesquisamos sobre empregos na Guarda na internet, as oportunidades que aparecem são mais no ramo de vendas e telemarketing.

Torres Vedras.

É uma cidade de praia e bem perto de Lisboa, possui uma boa qualidade de vida e já se destacou como um dos melhores lugares para viver em Portugal.

Custo de vida em Vedras

Viver em Torres Vedras é bem mais barato do que vivem em Lisboa e muitas pessoas que trabalham em Lisboa optam por vivem em Torres Vedras, pelo baixo custo de vida. Um apartamento de 2 quartos pode custar por volta de 300 euros por mês.

Outros aspectos importantes sobre morar em Torres Vedras

Existe um projeto de investimento na cidade, onde estão sendo realizadas obras de revitalização do centro histórico e outros projetos para melhorar a cidade e a vida de seus habitantes. Além disso é uma cidade com praias maravilhosas e perto de Lisboa, onde tem acesso melhor a oportunidades de trabalho.

Morar em Leiria. Essa cidade está no centro de Portugal, perto de termas com água medicinais, e belas praias, além de ter muita beleza natural e arquitetônica.

Custo de vida em Leiria.

O custo de vida das cidades mais baratas para viver em Portugal são comparados aos das grandes capitais, e claro, não aos das aldeias e vilas, e por isso, os das cidades que estamos citando são muito semelhantes. O aluguel de um apartamento de 2 quartos em Leiria ronda os 310 euros, e os demais custos estão mais ou menos equiparados à média nacional.

Outros aspectos importantes sobre morar em Leiria

Os transportes públicos funcionam muito bem, mas a cidade possui ciclovias, por isso é possível economizar e, de quebra, fazer um exercício físico. Além disso, Leiria foi considerada a terceira melhor cidade do centro de Portugal para se viver, de acordo com um estudo nacional realizado pela empresa Bloom Consulting.

De acordo com o site da câmara municipal de Leiria, a cidade registrou no último censo uma taxa de desemprego abaixo da média nacional. Ou seja, dentre as cidades mais baratas para viver em Portugal, Leiria parece ser uma excelente escolha, não acham?

Morar em Beja. Localizada na região do Alentejo, uma região que atrai muitos turistas. Tem um inverno mais suave, com temperaturas mais amenas, é uma região tranquila e muito segura. Vejam um artigo sobre morar no Alentejo.

Custo de vida em Beja

O custo de vida em Beja é bem menor do que nas outras cidades, porém encontrar casa não é uma tarefa muito fácil. Mas, é possível encontrar apartamentos de 3 quartos por 400 euros ou de 1 quarto por 250.

Outros aspectos importantes sobre morar em Beja

A cidade tem vindo a perder habitantes ao longo dos anos, mas agora existem multinacionais investindo na cidade e criando posto de trabalho, e além disso, existe muita terra para investir em agricultura, tornando interessante investir na região. Por conta desse investimento e criação de postos de trabalho, o investimento na infraestrutura da cidade tende a aumentar, melhorando ainda mais a qualidade de vida dos moradores.

Morar em Portimão. Uma cidade praiana, localizada na região do Algarve, também é um destino muito turístico em Portugal e uma das cidades mais baratas para viver em Portugal.

Custo de vida em Portimão.

Para alugar um apartamento de 2 quartos em Portimão, você irá gastar no mínimo 450 euros. É mais caro que as outras, mas é uma cidade maior.

Para quem quer morar no Algarve, uma alternativa ao custo mais alto dos aluguéis, é morar um pouco mais afastado da cidade e da praia, onde o custo dos aluguéis diminui.

Outros aspectos importantes sobre morar em Portimão

Na época do verão, a cidade fica cheia de turistas, cheia mesmo. Mas isso por um lado é bom, pois surgem diversos empregos temporários e dá para fazer uma grana extra. Além disso, com o crescimento do turismo, as cadeias de hotéis sempre aumentam o número de funcionários a contratar e esse ano as contratações já começaram.

A cidade ainda conta com linhas de ônibus que funcionam muito bem e percorrem toda a cidade, facilitando o deslocamento.

Morar em Évora. Também localizada no Alentejo, é muito procurada pelos turistas principalmente pela sua gastronomia e vinhos.

Custo de vida em Évora

Apesar de ser uma cidade muito turística, Évora é também uma cidade universitária, por isso o custo de vida acaba por não ser muito alto. É possível encontrar apartamentos de 2 quartos para alugar por aproximadamente 400 euros, principalmente se for mais afastado da zona turística/histórica.

Outros aspectos importantes sobre morar em Évora

A cidade recebe muitos turistas, por isso existe um cuidado maior em manter o centro histórico preservado. É possível ir a qualquer lugar caminhando. O lado bom de caminhar é admirar as belezas que a arquitetura da cidade “esconde”. Por receber muitos turistas, as ofertas de empregos estão mais ligadas à hotelaria e bares/restaurantes.

Morar em Faro. Mais uma cidade do Algarve, possui praias, é a porta de entrada dos turistas, por causa do aeroporto. Faro ainda conta com a Universidade do Algarve, muito requisitada.

Custo de vida em Faro.

Na região do Algarve os aluguéis são mais caros, mas resolvemos colocar duas cidades algarvias no artigo de cidades mais baratas para viver em Portugal (fugindo um pouquinho ao objetivo do artigo), pois não queríamos excluir essa região. Para alugar um apartamento de 2 quartos em Faro, por exemplo, você deverá pagar pelo menos uns 450 euros.

Outros aspectos importantes sobre morar em Faro

Faro é uma cidade turística e a porta de entrada dos turistas no Algarve. Por isso, possui muitas opções de restaurantes e lazer, rede de transportes que funciona bem, além de ser possível fazer muitas coisas caminhando ou de bicicleta.

A qualidade de vida é muito boa e tem a vantagem de não ter um inverno tão rigoroso quanto no norte de Portugal. As oportunidades de emprego estarão mais ligadas à área do turismo (hotelaria, restaurantes, bares, agências de turismo).

Veja mais sobre como é morar em Faro. https://oterceiroato.com/2016/04/03/algarve-eleita-o-melhor-lugar-para-os-aposentados-morar/

Cidades pequena mas vizinhas das grandes cidades.

Se você prefere ficar nos grandes centros em Portugal e arrumar um emprego em uma cidade grande, mas quer e/ou até precisa economizar, a dica é procurar as cidades vizinhas às cidades grandes.

Um exemplo de cidades vizinhas do Porto é: Rio Tinto, Ermesinde, Águas Santas, Maia, Vila Nova de Gaia. O custo de vida será mais baixo e elas estão praticamente dentro da cidade do Porto.

Funchal também vale a pena! Gostaria de falar somente sobre 10 cidades, mas não posso deixar de citar o Funchal, e as cidades ao redor.

Sempre que encontro alguém que mora na Madeira, pergunto como é morar lá (ainda nem tive a oportunidade de conhece, mas quero muito!) e sempre falam muito bem da Ilha e da qualidade de vida, do clima, das paisagens, enfim, acho que vale a pena você fazer uma pesquisa sobre o Funchal e ver se é uma cidade que se encaixa nos seus objetivos de vida.

Existem muitas outras cidades mais baratas para viver em Portugal

E tão interessantes quanto estas que citei. Portugal é um país pequeno mas com muito a se explorar.

Se formos escrever sobre todas as cidades, teríamos que escrever um livro, por isso, não fiquem tristes se uma das suas cidades favoritas ficou de fora da nossa lista, continue percorrendo o nosso site que com certeza você irá encontra-la em outras listas. Você também pode ver uma lista com 10 cidades pequenas de Portugal para morar.

Agora que você conheceu algumas ótimas cidades viver, descubra como morar em Portugal. Leia também:

https://oterceiroato.com/2017/12/01/aposentado-em-portugal/

https://oterceiroato.com/2017/09/22/documentos-para-morar-em-portugal/

https://oterceiroato.com/2016/06/27/morar-em-portugal-visto-d7-duvidas-comuns-e-respostas/

Fonte: https://www.eurodicas.com.br/cidades-mais-baratas-para-viver-em-portugal/?utm_medium=social&utm_source=facebook&utm_campaign=page

Anúncios

SABEDORIA NÃO É DOM NATO – EXIGE ESFORÇO E DISPONIBILIDADE.

“A dúvida é o princípio da sabedoria”. Aristoteles.

Se tem uma coisa que aprendi (já a algum tempo) na minha vida, com a chegada da maturidade, foi que preciso de tempo e paciência para refletir sobre “minha vida”:  – O quero pra mim? – Quais são meus sonhos e desejos? – Como quero envelhecer? … e principalmente sobre as minhas “atitudes”: – Como vou fazer? – O que preciso mudar? Preciso de “sabedoria” nestas minhas decisões o que fará diferença em tudo… e isso é aprendido.!

Confesso que já mudei varias vezes meus caminhos durante a vida e nem sempre foram fáceis tomar certas decisões. Mas foram estas “mudanças” meus maiores aprendizados, disso tenho certeza! Sempre tive positividade e esperança que as coisas iriam ser melhores (por piores que parecessem inicialmente)… e foi assim que me aconteceu. Sempre, sempre mesmo melhoraram, acreditem. Durante a minha vida tornei-me uma pessoa mais forte, mais segura, mais completa, mais serena, mais sábia… e mais feliz!

Às vezes a vida nos obriga a sair da zona de conforto… isso dá medo, mas sempre quis olhar pra frente, ver as possibilidades do que me surgiria á frente… e assim me faziam seguir… sem nunca olhar pra trás. Nunca me arrependi das minhas escolhas! Com minhas experiências e vivências… minhas maneiras de ser e agir fui construindo a minha sabedoria… as minhas verdades!  Adorei este texto de Maria Aparecida Costa, dá no que pensar sobre tudo isso, leiam…

como-parar-de-absorver-energia-negativa-1200x545_c-1068x485

Há momentos que ficam arquivados em nossa memória e a imagem permanece nítida – não importa o tempo transcorrido.  Momentos simples, que deixam um registro mais fiel que qualquer fotografia amarelada pelo tempo.

Lembro-me com clareza do semblante do Prof. Gilberto, na quinta série, quando tentava nos ensinar valores para além da aula de matemática. Mantinha a voz doce e o olhar terno quando dizia:

Ignorantes são as pessoa que insistem no próprio erro;

Inteligentes são os que os reconhecem e procuram mudar a partir das próprias experiências;

Sábios são os que aprendem observando e refletindo as experiências dos outros.

img_3257

Essa reflexão me acompanhou durante a vida, tornando-se um objetivo buscar sabedoria nas minhas decisões, tentando não cometer os mesmos erros que outras pessoas e optando pelo certo e não pelo mais fácil, pessoal e profissionalmente.

Compreendi que sabedoria não é um dom nato. É mito pensar que a sabedoria se adquire com a idade ou com o conhecimento. Nem todo velho é sábio e nem toda cultura e conhecimento trazem sensibilidade e abertura para o aprendizado e evolução pessoal.

A experiência de viver mais de 50 anos ensina que “desenvolver sabedoria” não é tarefa fácil. É necessário libertar-se do jeito automático de dirigir a vida e não estacionar em “reclamômetros“. Significa despir-se da roupa confortável de “ter sempre razão” e encontrar coragem para superar limites e dificuldades pessoais.

meditando 3

É buscar equilíbrio, serenidade para acolher a si próprio e a partir daí poder estender esse acolhimento à outros humanos.

É saber o que busca, o que precisa. É cuidar de si, do corpo e da mente. É aprender a impermeabilizar a alma  e saber que a responsabilidade pelo nosso bem estar é só nossa. É não misturar nossos sentimentos com os de outras pessoas. É tornar-se gigante na compreensão e na possibilidade de colocar-se no lugar do outro, tentando ver o mundo com seu olhar e suas escolhas.

É ler, estudar, refletir e compreender. Buscar evolução mental e espiritual e ter consciência de sua completude. Ninguém e nada pode desequilibrar sua harmonia a menos que você permita.

É buscar maturidade e compreender que há momentos difíceis, há momentos de dor e perda e que a medida que vivemos ser sábio é ser resiliente, é e aprender a lidar com as perdas, os lutos e as profundas mudanças que o envelhecimento exige.

E é sobretudo unir-se a outras pessoas com a mesma idade e mesma expectativa na busca de bem estar pessoal e social, como por exemplo, a luta pela preservação de direitos aos idosos.

Fonte: http://viverdepoisdos50.com/2018/02/sabedoria-nao-e-dom-nato-exige-esforco-e-disponibilidade/.

CONHEÇA A TEORIA DOS SETÊNIOS: DE 7 EM 7 ANOS A SUA VIDA MUDA COMPLETAMENTE.

Conheça-a-Teoria-dos-Setênios

“A Antroposofia é um caminho de conhecimento que deseja levar o espiritual da entidade humana para o espiritual do universo”. Rudolf Steiner.

Interessante conhecer a Antroposofia (ou Antropossofia)  é uma linha de pensamento criada pelo filósofo Rudolf Steiner (1861-1925), que entende e estabelece uma espécie de “pedagogia do viver”, pois ela abrange vários setores da vida humana como a saúde, a educação, a agronomia e outros. É uma doutrina filosófica mística – uma “ciência espiritual”.

Esta linha de pensamento compreende que o ser humano tem que conhecer a si para também conhecer o Universo, pois somos todos parte e participantes desse mundo. “A vida passa depressa, é dinâmica e, entender melhor esses momentos, poderá trazer certa conformidade e esperança”, diz Rudolf Steiner. Tanto chineses quanto gregos foram os primeiros a observar que as mudanças biológicas e espirituais ocorriam de sete em sete anos na vida das pessoas, por isso “setênios”.as-fases-da-vida1Dentro desse pensamento filosófico encontra-se uma forma cíclica de ver a vida chamada “teoria dos setênios”. Tal teoria foi elaborada a partir da observação dos ritmos da natureza, da natureza no sentido da vida, na qual todos nós estamos imersos. Ela divide a vida em fases de sete anos, vale lembrar que o número sete é um número místico dotado de muito poder em quase todas as culturas conhecidas.

Nossa vida é dividida, basicamente em 10 fases principais, sendo elas estabelecidas a cada 7 anos. A cada fase um novo ciclo é iniciado, que envolvem mudanças e transformações em diversos aspectos. Isto é o que concluíram os estudiosos dos setênios. Um estudo que se baseou na medicina tradicional chinesa e na antroposofia (dos gregos) – na qual a medicina antroposófica se baseia.

teoria-dos-seteniosA Teoria Setênia propõe o seguinte:

Penso que se o indivíduo tiver “respeitado” o ritmo de cada setênio, ele chegará no 10º (ou seja, com 70 anos), muito provavelmente com a consciência e a sabedoria necessárias para viver com boa saúde e lucidez, além de amar sem cobrar e ajudar sem perguntar.

O objetivo dos setênios, então, é de alertar as pessoas das fases existentes para que saibam e percebam todas as mudanças que estão enfrentando e as que estão por vir… assim aproveitem de modo mais saudável.

A vida passa depressa, é dinâmica e, entender melhor esses momentos, poderá trazer certa conformidade e esperança. Um dos intuitos deste estudo é fazer com que as pessoas fiquem atentas, que sejam vigilantes com elas mesmas e que possam decidir sobre suas ações de modo a responder aos estímulos diários, mantendo uma vida saudável mesmo em constante mudança.

Algo importante a se destacar é que, como cada um tem sua percepção de mundo e enfrenta as dificuldades a seu modo (além de terem os mais diferentes níveis de intuição, sensibilidade, empatia etc.), pode ocorrer de algumas mudanças que estão situadas em setênios futuros, serem experienciadas, por exemplo, antes de seu tempo, ou então depois do previsto pela teoria.

Até porque, cada ser amadurece de um modo único, exercita sua afetividade à sua maneira e, por essa razão, pode haver essa transição de experiências de um setênio a outro, todavia, costuma ser raro. Conheça como se dividi a Teoria Setênia… os ciclos da vida:AUTOCONHECIMENTO_E_A_TEORIA_DOS_SETENIOS1º setênio – O ninho. Interação entre o individual (adormecido) e o hereditárioDos 0 aos 7 anos de idade:bebe no aviào 2A fase da gestação, nascimento, nutrição e crescimento. No 1º setênio há o encontro entre a parte espiritual da individualidade e a parte biológica, preparada após a fecundação no ventre materno. A primeira infância é uma fase de individuação, de construção do nosso corpo, já separado do da nossa mãe, da nossa mente e da nossa personalidade. A hereditariedade está bem marcada nas células do corpo no 1º setênio, pela ação das forças herdadas, e são armazenadas nos rins para a vida inteira – deixando assim a marca na fisionomia do corpo do indivíduo.

Olha! É a cara da mamãe ou do papai” ou “da vovó/vovô”, são constatações que provam o que foi mencionado acima. Calor, confiança e amor: Eis os três alimentos à criança. Quem cria tal atmosfera para a criança são os pais. Se um dos pais está ausente, o esforço do outro terá de compensar.

A pedagogia Waldorf, usada em algumas escolas tem como filosofia a Antroposofia, entende que na primeira infância a criança tem que perceber os aspectos positivos do mundo, para quererem estar aqui e cultivarem a felicidade em longo prazo.

O primeiro setênio deve oportunizar o movimento livre, a corrida, as brincadeiras, deve permitir que a criança teste e conheça seu corpo, seus limites e suas percepções de mundo. Por isso o espaço físico é muito importante, bem como o espaço do pensar e o do viver espiritual.

2º setênio – Sentido de si, autoridade do outro – Dos 7 aos 14 anos:mae e filhos 20O segundo setênio promove um profundo despertar do sentimento próprio. A energia que emanava do polo superior, da cabeça, se dilui e se encontra no meio do corpo. Começam a surgir os dentes permanentes e inicia-se a evolução dos órgãos do sistema rítmico, aqueles contidos na caixa torácica (coração e pulmão). Os órgãos desse setênio são o coração e os pulmões, esses se desenvolvem promovendo a interiorização e exteriorização da vivência.

É nesta fase que o mundo externo “chega” a nós e, nós, a partir de dentro, podemos nos manifestar e expandir para o mundo. É nesse ponto que a autoridade dos pais e professores assume um papel importante, pois eles são mediadores do mundo no qual a criança se insere. Esquematizando de forma gráfica esse movimento, temos forças entrando e forças saindo. A característica deste setênio é a troca.

Nesse ciclo as normas e os hábitos estão sendo absorvidos, o desenvolvimento sadio do ser humano está relacionado à dosagem, o equilíbrio e a harmonia das relações de autoridade, valores, limites e permissões. É o sentir que está sendo afetado, o desenvolvimento das emoções. Do interior para o exterior e vice-versa.

As estórias infantis, contos de fadas, todo ato de brincar é extremamente saudável pois a criança cria e molda sua participação no mundo. Isso, para o desenvolvimento humano, é bastante mais saudável que situações em que ela se faz apenas como expectadora, como no caso da televisão, ou de jogos eletrônicos. A arte deve ser estimulada desde o primeiro ciclo, mas nesse momento ela se faz muito mais importante, bem como a religião.  Os mundos artístico e religioso auxiliam no sentido de si e do mundo, fluindo a alma, que busca a beleza e a fé.

3º setênio – Puberdade/ Adolescência – Crise de Identidade – Dos 14 aos 21 anos:desapego em movimentoO que todo adolescente busca?… liberdade! Eles não querem os pais, irmãos mais velhos nem professores “pegando no pé”. O que rege esse ciclo é o sentido de liberdade. No sentido corporal, as forças que se acumulavam nos órgãos centrais se espalham e chegam aos membros e no sistema metabólico.

O espaço dessa criança é o mundo, já não pode se resumir a família nem a Escola. Ele precisa se reconhecer e ser reconhecido, aceito, achar a “sua turma” para compor um grupo no qual se identifique.

A liberdade nesse ciclo atua como a vivência do “bom” no primeiro ciclo e do “belo” no segundo ciclo. Ocorre que a liberdade só se dá num ambiente de tensão entre as possibilidades, impossibilidades e desejos. A mulher começa a menstruar e o homem se torna fértil. Essa tensão costuma gerar rompimentos, as vezes esses rompimentos são violentos, mas são necessários e próprios desse ciclo. Essa liberdade também tem um sentido de exposição. Tudo está voltado para o externo, para fora, para o mundo. Há uma dificuldade em ouvir o outro e entender suas posições, tudo deve seguir o seu sentimento de mudança, de julgamento de certo e errado, de bom e ruim.

As trocas nesse ciclo são importantíssimas. O diálogo, a abertura ao novo, a prática da compreensão, da solidariedade, assim como o seu reconhecimento e o pertencimento. Os questionamentos são fruto desses choques. É o momento de questionar a tudo e a todos.

Também é o momento do discernimento, das escolhas profissionais, do vestibular, do primeiro emprego, pois a liberdade também só faz sentido quando percebemos a vida econômica. O dinheiro então pode ganhar um sentido de poder que talvez não seja saudável. É a partir desta idade que começamos a ter um pensamento mais autônomo, ainda que, nesta época, acreditemos estar amadurecidos para efetuar julgamentos.

A fase onde o ser humano sai do mundo mais paradisíaco e cósmico da infância e entra no mundo terreno. Ele se torna cidadão terrestre, coparticipante da cidadania, de seu lugar, sociedade, e do mundo.

4º setênio – O ‘EU” – A Independência e a Crise do Talento – Dos 21 aos 28 anos:

Abraçar  eu feliz  amor 1

A partir dos 21 anos nossa individualidade, nosso self, toma uma força considerável na tentativa de estabilização. O “Eu” começa realmente a se mostrar, mesmo ainda estando em formação. No entanto, para que esse “Eu” apareça e se forme, mesmo sendo algo subjetivo e interno, ele depende do mundo exterior, da sociedade.

O fim do crescimento corporal instaura o início de um processo de crescimento mental e espiritual, somos então “cidadãos de dois mundos: o celeste e o terrestre”. Músculos e ossos estão fortes, homem e mulher atingem o ápice da fertilidade, além de ser a fase da alma, da sensação e da emoção. Geralmente já não moramos mais com a família e já não estamos mais na escola. É o momento da autoeducação, do emprego, do desenvolvimento dos talentos, etc. Surgem dúvidas como: Escolhi a profissão certa? Quais talentos e aptidões eu deixei para traz? Consegui uma boa relação com o mundo, com o trabalho, com a família e comigo mesmo?

A história das pessoas começa a ser traçadas por elas mesmas, pois há uma tomada de caminho que não depende mais, diretamente, das outras instituições. É uma emancipação em todos os níveis, mas como resultado de toda a experiência nos três primeiros setênios. Surpreendentemente, é também a fase em que mais nos influenciamos pelos outros, pois a sociedade dirá o ritmo da vida de cada um.

Nesse ciclo, os valores, aprendizados, e lições de vida passam a fazer mais sentido.  As energias estão mais pacificadas. Nosso lugar no mundo é o principal objetivo. A colocação profissional assume um papel muito importante.teoria setênios-15º setênio – Fase Organizacional e Crises Existenciais –  Dos 28 aos 35 anos:

Quem nunca ouviu falar na “crise dos 30”? Ela não é um mero mito, ela existe e tem explicação. O 5º setênio começa com essas crises na vida, o abalo da nossa identidade, a cobrança do sucesso que talvez ainda não tenha atingido, a certeza de não podermos tudo, de onde vem a frustração e tristeza.

A sensações de angústia e vazio são muito comuns. Em algumas sociedades as pessoas nesse ciclo não encontram um lugar para si e se veem entre a juventude e a velhice ou maturidade. O baço-pâncreas não sustenta mais a carne, e o rosto começa a enrugar. As pessoas passam a não se conhecerem, pois, seus gostos mudam – ou por si mesmos ou pela pressão dos outros. Sentimo-nos impotentes nesta passagem da juventude para a maturidade, de um viver mais impulsivo para um viver mais sério, responsável, voltados para a família e para o trabalho.

Nesta fase vem a crise dos talentos: Será que estou no caminho? Qual o caminho a escolher? Também há questões sobre intelecto e índole próprios. Como: Consegui me expressar? Eu me sinto oprimido ou oprimi alguém? Encontrei meu local de atuação? Ocorreu alguma modificação importante em minha vida nessa fase?

Nesse ciclo os sentimentos nos levam também a uma busca espiritual maior, um “caminho da alma”. Estamos suscetíveis ao cosmos, às oscilações e às vezes a harmonia custa a acontecer. Somos cobrados por estrutura, firmeza, estabilidade, uma base, um pilar, que seja material e que também sejam mental e espiritual. A Antroposofia acredita que logo após o 31 ½ ano, que corresponde à metade do 63º. ano de vida, estamos no final das atuações planetárias e zodiacais. Depois dessa idade, ficamos mais livres.

Estamos realmente, nessa fase, em organização. Estamos tendo crises, mas é por meio dessas crises que construímos novos pensamentos, novos valores, terminamos relacionamentos e começamos outros, mudamos de emprego, de ideologias, de partidos políticos, enfim… crises, desorganizações e reorganizações. É nesse ciclo que passamos a pesar uma série de coisas, avaliar a trajetória da nossa vida, esse não lugar nos força a perguntar “quem sou eu”. Há uma renovação a partir desse ciclo.

6º setênio – Crise de Autenticidade – Dos 35 aos 42 anos:gratidaofoto02Esse setênio, embora tenha suas peculiaridades, está ainda ligado aos setenio anterior, ruminando os resultados das crises. Reconhecemos também uma espécie de crise nesse setênio, mas uma crise que busca uma autenticidade, geradas pelas reflexões do ciclo anterior.  Temos, aqui, mais capacidade de julgamento, gozamos de mais maturidade psíquica e emocional.

Em geral, já acumulamos alguns bens materiais ou ao menos conseguimos uma renda que seja suficiente para as questões básicas de consumo. O desafio, então, é encontrar valores espirituais e nos reconhecermos como seres únicos. A pergunta é: como é que encontro o caminho para a essência do mundo e para a minha própria essência?

Esse setênio configura a última fase do desenvolvimento da alma propriamente dita, estamos propensos a adentrar mais profundamente no nosso mundo espiritual, na parte mais sensível de nós. Buscamos a essência de tudo, no outro e em nós. Isso passa a acontecer com mais força nesse setênio pois, aqui, já há maturidade e aprendizado suficiente para esse conhecimento. O fígado perde metade de suas funções e o cabelo começa a cair e embranquecer.

A carreira, a família (ou não) os desejos, tudo já teve seu tempo. Já alcançamos as conquistas que nos eram urgentes. Há um desaceleramento. É possível que esse ciclo traga um descontentamento com o novo. Pode ser que o sujeito questione se, chegando aos 40 anos, ainda há algo novo para se fazer. Buscar coisas novas é um exercício importante para esse ciclo. Em contraponto ao novo, há uma aceitação maior do que se é, de como se é, das histórias e experiências de vida.

Mudanças do ritmo do nosso corpo e da nossa mente, o que é algo importante para alcançarmos frequências mais sutis de pensamento, onde estará nosso corpo suprassensível. É a fase da alma da consciência. As perguntas são: Já passou a metade da vida, o que farei daqui pra frente? Acrescentei novos valores à minha vida? Estou encontrando minha missão de vida? Estou caminhando nela? Encontrei e aceitei minha questão básica de vida.

7º setênio – Altruísmo X Quere manter a Fase Expansiva –  Dos 42 aos 49 anos:ir embora 3É um ciclo que tem um “arde recomeço, de ressurreição, de alívio, até a crise dos trinta perde a força e parece não ter tido resultados tão graves como se pensava. É, porém, o momento de buscar, desesperadamente, por algo novo, para que a vida adquira sentido.

As mudanças nesse setênio são urgentes. Mesmo que nem todos estejam preparados para elas. As questões existenciais retornam com uma certa força, mas agora elas mais dinâmicas e menos melancólicas pois o sujeito já se vê capaz de produzir essas mudanças. O lema é “como está, não dá pra ficar”.

Essa dinâmica impulsiona a tomada de decisões que, por vezes, ficou anos sendo gestadas dentro de si. Pode ser a separação conjugal, a saída de uma empresa, ter um filho, etc. É uma fase que corresponde, em termos energéticos, à fase que vai dos 14 aos 21 anos. Ficamos saudosistas, queremos ir à Disney e reviver coisas da nossa adolescência. Voltamos a desafiar nosso corpo e fazer esporte. É uma fase solar.

O medo do envelhecimento surge. As questões internas despertadas pelos ciclos anteriores perdem um pouco de espaço para a estética e a necessidade de se fazer coisas que os jovens fazem. Os pulmões perdem mais capacidade de oxigenar o sangue, o rosto se torna descolado, a andropausa e menopausa geralmente chegam nesse setênio.  As rugas e a menopausa são os espinhos das mulheres nesse setênio. A sexualidade retoma uma importância crucial. Contudo, a força que se perde com o declínio da sexualidade pode e deve ser empregada em outros nichos.

Esse setênio traz o contraditório: queremos mudanças, estamos em busca do novo, mas o envelhecimento que é uma mudança natural nos assusta, incomoda, gera ansiedade, muda nosso comportamento com relação a nós mesmos e ao mundo. Assim, sucumbimos à força do “sósia”, ou seja, da sombra, daquilo que está diretamente ligado aos aspectos pessoais não resolvidos, não integrados.

Nos enxergamos nas sombras do outro e entramos em confronto. As relações ficam à mercê das emoções distorcidas pelo que não vemos em nós, mas vemos nitidamente nas pessoas. No entanto, o que acontece é um espelhamento. A nova visão nessa etapa da vida questiona: Estou desenvolvendo alguma criatividade nova? Em que área? Como está meu casamento? E meus relacionamentos, a relação com meus filhos? Estou procurando ou já encontrei um novo lazer para esta fase?

8º setênio – Ouvir o mundo – Dos 49 aos 56 anos:BIAPodemos reconhecer essa fase como sendo do “pai e da mãe universal”. É a fase de desenvolvimento do espírito. É um setênio tranquilo e positivo. As forças energéticas voltam a estar concentradas na região central do corpo, mas estão voltadas ao sentimento da ética, da moral, do bem-estar, questões universais, humanísticas.

É a fase inspirativa ou moral, e com isso, as perguntas: Consegui encontrar um novo ritmo de vida? Como está meu ritmo anual, mensal, semanal e diário? Quais são os galhos secos de minha árvore, os quais tenho de cortar para que os novos brotos possam aparecer?

É um momento em que estamos mais conscientes do mundo e de nós mesmos. É um bom momento para reconhecer os méritos da nossa história, aceitando-a sem julgamentos. Esse ciclo desperta em nós o existencialismo para observarmos mais de perto o valor simbólico das coisas. Deixamos o pessoal, particular em busca do universal, do humanístico, do existencial. A vitalidade declina, a energia dos rins e do fígado está mais fraca e surge a incapacidade de eliminar mais toxinas.

Contudo, alguns podem incorrer na falha dos egocentrismos, pois um ciclo depende do seu anterior. Assim, pode haver pessoas nesse setênio completamente voltadas para si, suas necessidades e do seu grupo. O desapego é uma consequência da vida pregressa.

Em termos físicos, esta fase espelha fisiologicamente o setênio 7 a 14 anos, o elemento do ritmo tem de ser priorizado, especialmente na condução de uma rotina. A vida nos ensina nesta época uma nova audição, temos a possibilidade de ouvir a voz do coração para esta renovação ético / moral que agora é propícia.

9º setênio –Abnegação e Sabedoria –  Dos 56 aos 63 anos:avos-vivem-mais2A Antroposofia acredita que o 56º ano de vida traz uma brusca mudança. Ela está na forma como a pessoas se relaciona consigo e com o mundo. Como os ciclos se correspondem, esse se liga ao primeiro setênio, aquele que vai do nascimento até os sete anos de vida. A audição, a visão, o paladar das pessoas dessa fase se iguala e o mundo fica estranho.

Contudo, essa fase, por exemplo, evidencia uma volta para dentro de si. O interno passa a fazer muito mais sentido que o externo. É importante internalizar-se, desenvolver os sentidos espirituais. A comunicação com o mundo externo passa a ter ruídos, principalmente pelas mudanças que a sociedade sofreu nesse período inteiro.

A reclusão passa a ser algo natural, boa para a autorreflexão e a busca pela essência. A sabedoria pelo conhecimento acumulado e a intuição que passa a ser mais clara, tornam-se elementos fundamentais dessas pessoas. Elas são o contraponto do sentimento de fracasso e insucesso que, porventura, possa aparecer, vindo dos questionamentos daquilo que se alcançou ou deixou de alcançar.

É a etapa mística ou intuitiva: O que eu consegui realizar? Como estou cuidando do corpo, da memória, dos órgãos dos sentidos? Como estão meus bens e aposentadoria?

Os dentes começam a cair, a visão e a audição se tornam mais fracos, os reflexos e a mobilidade passam a sofrer alterações em razão do declínio energético dos órgãos sólidos (coração, baço-pâncreas, fígado e rins). Certos cuidados se fazem muito importante, como a estimulação da memória, mudanças de hábitos, recursos criativos. Isso porque a aposentadoria pode ser algo limitador, especialmente para aqueles que durante toda a vida atribuíram muita importância ao status profissional e agora temem não ter outra forma de autorrealização.IMG_0860Atividades muito bem-vindas nesse setênio são as acadêmicas – lecionando ou fazendo novos cursos – escrever textos ou um livro, o laser em grupos de pessoas na mesma fase da vida, viagens e outras formas que relacionem prazer e aprendizado. A aproximação da família ou a construção de novas famílias também ajudam a dar novo sentido à vida, além do prazer de se tornar avós… é bem comum neste período…

10º setênio – Em Diante – Sabedoria – Dos 63 aos 70 anos: img_3295É importante pensar que essa teoria foi pensada em uma época em que a expectativa de vida era muito baixa e as pessoas com 60 anos eram verdadeiros anciãos. Logo é preciso também compreender que os ciclos são metafóricos e não tem uma relação matemática exata.

É a “fase do mestre”. A criança pequena tem em volta de si uma aura, uma luz, pois ainda não está totalmente encarnada. No 10º setênio, essa aura está interiorizada e luminosa por dentro, desde que a pessoa não esteja doente.

Se tiver respeitado o ritmo de cada fase, sua luz interior brilhará. Idosos e crianças são parecidos, pois são polos que se atraem. É o momento de passar o “cedro” ou o “cajado” do conhecimento! É um novo escutar e, neste momento, a pessoa é procurada a dar conselhos. As questões são: Tenho momentos bons, sentimento de gratidão e alegria? Sou capaz de perdoar? Busca de sentidos e do Propósito da vida!teoria setenio 3Vivendo os setênios:  old-people-616718_640
Como você vê, nossa vida é feita de uma forma cíclica. Nossa energia vital circula pelas diversas fases da nossa vida. Nossa mente tem diferentes estágios de aprendizado e nossa espiritualidade pode estar mais ou menos aberta também conforme cada estágio. Agora que as fases dos setênios foram apresentadas, é importante saber como aproveitar essa sabedoria.

Hoje talvez essa divisão seja um pouco diferente e, com certeza, faz sentido pensar em mais um ou dois ciclos de sete anos, visto que estamos vivendo cada dia mais, mas o aprendizado com a Antroposofia e a teoria dos setênios é enorme. Metaforicamente ou não, poucas linhas de pensamento conseguem dar pensar de forma sistêmica como essa. De forma que é impossível pensarmos em algo tão complexo quanto a nossa vida de forma linear e homogênea.

paisÉ preciso que a pessoa seja sempre ela mesma, mas saber das mudanças da vida e do corpo para pode tirar proveito de todas as fases. As condições básicas para o bem-estar é sentir o seu corpo e agir de acordo com isso. O corpo tem sua própria sabedoria, então não o perturbe e não se deixe levar apenas pela cabeça.

Compreender as fases ou ciclos da vida é importante para aprendermos mais sobre nós mesmos e sobre o outro, adquirindo mais expertise no cuidado com as pessoas, especialmente os coachees, que devem ser peritos no desenvolvimento e aprendizagem humana. Saber sobre cada etapa nos possibilita saber mais sobre as crises e lidar melhor com elas.

idosos alegria  abraçar mae 4  felizHá uma série de arquétipos que podem ser observados nessas diversas fases, mas isso é assunto para um novo artigo. Lembre-se sempre de se lembrar de nunca esquecer que o saber é o nosso bem maior, cada leitura, cada livro, cada conhecimento acumulado é uma forma de sermos melhores e mais capacitados, além de nos conhecermos mais a cada dia.

Gostou desse artigo? Deixe sua opinião abaixo e compartilhe o texto com seus amigos!

Fonte: http://www.jrmcoaching.com.br/blog/a-teoria-dos-setenios-os-ciclos-da-vida/ e

Adaptado do Texto de: Helena Gerenstadt – Por: Natália & Flávia – Bem Viver + | www.bemvivermais.comAdaptado do Texto de: Helena Gerenstadt

 

 

 

COMO SER MÉDICO EM PORTUGAL ?

“Toda a medicina é feita de experiências.”! Quintiliano

Já contei aqui que estou me organizando para ir morar em Portugal, daqui a dois anos. Sonho que esta sendo construído com muito planejamento e organização, por etapas. Aposentei e aguardo só meu marido também se aposentar. Em breve! Pesquiso muito sobre o assunto…

O Blog da Eurodicas (que eu gosto muito) descreve muito bem como ser médico em Portugal? Isso me interessa muito. Leiam:

Á profissão de médico é muito importante e valorizada em diversos países do mundo. Em Portugal, como a sociedade é mais igual, muitas vezes um professor universitário chega a ganhar mais do que um médico.

Mas hoje vamos te contar um pouco sobre a profissão médico em Portugal e como é possível atuar sendo brasileiro.

Vale a pena ser médico em Portugal?

Uma pergunta muito comum que recebemos sempre é, se vale a pena trocar a medicina do Brasil por Portugal. Depende. Se você busca reconhecimento e valorização financeira não vale. No Brasil, os médicos recebem, de modo geral, mais que em Portugal.

Médico em Portugal

Portugal conta atualmente com cerca de 49 mil médicos para uma população de pouco mais de 10 milhões de habitantes. Destes, cerca de 30 mil trabalham no serviço público de saúde.

O número é suficiente? Infelizmente, não. Faltam médicos de família para atender em Centros de Saúde e faltam algumas especialidades médicas dependendo da cidade.

Portugal contrata muitos médicos espanhóis e da União Europeia para trabalhar no país. Mas também é possível encontrar médicos da América e de outros continentes.

Entretanto, muitos médicos europeus desistem de Portugal pelos baixos salários se comparado a outros países europeus. Saiba também qual é o custo de vida em Portugal.

Especialidades em falta em Portugal

De acordo com o Diário da República de Portugal, as especialidades médicas em que faltam profissionais são:

• Psiquiatria

• Urologia

• Pediatria

• Ortopedia

• Cardiologia

• Cirurgia geral

• Medicina interna

• Ginecologia-obstetricia

Veja também outras profissões que estão em falta em Portugal.

Como validar diploma de médico em Portugal

Para um médico brasileiro exercer a profissão em Portugal é necessário validar o diploma do curso superior e fazer provas (que pode variar de acordo com seu histórico e ementa curricular).

O ideal é vir para Portugal com uma experiência superior há 3 anos e com a residência médica concluída, porque em Portugal o tempo de residência é de 5 a 7 anos.

O primeiro passo para ser médico em Portugal é escolher uma universidade portuguesa para validar seu diploma. As universidades de Lisboa, do Porto e Coimbra são as mais conceituadas nesse quesito, mas existem outras opções.

Os seus documentos devem apostilados, seguindo o protocolo da Apostila de Haia, nos cartórios autorizados. Veja como é o processo completo para validar o diploma brasileiro em Portugal.

seguro-pb4

Equivalência do diploma

Após a entrega dos documentos na universidade (pessoalmente ou com procuração), é necessário a equivalência.

Para a equivalência do diploma de medicina em Portugal, é necessário uma apresentação oral e em power point, com uma dissertação, monografia ou relatório curricular (descrição detalhada do currículo, para médicos com mais experiência). A nota mínima necessária na banca é 10 (em Portugal a nota máxima é 20).

Após a equivalência do diploma na universidade é necessário pagar a taxa da Ordem dos Médicos de Portugal (€ 210,00) e quem possui mais de 3 anos de atividade médica pode pedir a autonomia de trabalho como médico em Portugal.

Como trabalhar como médico em Portugal

Após a validação do diploma, é possível trabalhar quem tem a cidadania europeia, ou então o imigrante brasileiro (sem cidadania) deve solicitar o pedido de visto de trabalho no Consulado de Portugal no Brasil. O pedido leva cerca de 30 dias para ser analisado.

Tempo total da validação

Todo o processo de validação do diploma poder levar cerca de 13 meses para ser concluído.

Salário de médico em Portugal

Os médicos em Portugal em início de carreira tem um salário médio de € 2.700,00 euros (40 horas semanais) no serviço público. Já no setor privado, os salários podem ultrapassar os € 4.000,00.

Os valores variam de acordo com o tempo de experiência e a especialidade escolhida. Médicos com mais tempo de experiência e chefes de serviço podem chegar a ganhar € 5.000,00. Vale lembrar, que em Portugal o serviço público de saúde é melhor do que a rede privada.

Curiosidade

Em Portugal existem poucos cirurgiões plásticos. Não é tão comum quanto no Brasil. Podemos afirmar que os portugueses, de modo geral, não fazem tanta cirurgia por estética quanto os brasileiros. O Brasil e os Estados Unidos ainda são os países que mais realizam cirurgias plásticas no mundo. Espero que ajude.

Fonte: https://www.google.com.br/amp/s/www.eurodicas.com.br/medico-em-portugal/amp/

SOU FEITA DE RETALHOS… DE PEDACINHOS…

Foto Colcha de Retalhos bia

“…prefiro ser a colcha de retalhos! Colorida, remendada, uma parte velha, outra parte nova… uma grande mistura.” Isabella Marques 

Assim como a autora desta cronica Cris Pizziment, penso que eu também sou uma “colcha de retalho”. Representa sim todas as minhas facetas, minhas múltiplas personalidades e minha resistência. Porque já rasguei muitas vezes os pedacinhos… mas voltei a juntar tudo outra vez, com uma linha bem forte.

Assim como na vida, em meu trabalho ela representava algo maior ainda… era a união de tudo… de uma equipe inteira, como um fechamento.  Em cada lugar onde trabalhei nos últimos 15 anos, construía sempre uma “colcha de retalhos” ao final do nosso Projeto quando era concluído. Era realizado junto com todos da minha equipe… e sempre estávamos prontos a acrescentar algo. Alguns eram mais empenhados outros nem tanto, mas sempre participavam e acabavam se envolvendo a medida que viam a colcha sendo construída. Lentamente… Dia a dia transformava-se em algo maior e tão colorido como a vida! Sempre me deixava realizada.

Que sejamos cada vez mais uma junção de retalhos e que saibamos escolher quais deles farão parte de nós. Leia:

colcha de retalhos.png

“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou.

Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior… Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade… Que me tornam mais pessoa, mais humana, mais completa.

E penso que é assim mesmo que a vida se faz: de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados… Haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma.

Portanto, obrigada a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim. Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias.

E que assim, de retalho em retalho, possamos nos tornar, um dia, um imenso bordado de ‘nós’”.

Gostaram?

A MULHER QUE EXISTE EM MIM… O DOM DE ARDER!

“A mulher é uma incógnita… Um monumento à dúvida.” Mario Nhardes

Fogueira

Mais uma crônica de Déa Januzzi que eu adoro. Esta é a mulher que existe em mim… que arde, incendeia, para clarear o próprio caminho… assim, assim… Espero que apreciem. Leia:

A mulher que existe em mim está dormindo. Um sono tão profundo que nem príncipe encantado pode acordar. Nem Maria nem Madalena nem Verônica nem Amélia. A mulher que existe em mim não consegue lavar, passar, cozinhar, arrumar, sofrer em silêncio diante do calvário de um filho. Nem enxugar o suor que escorre da via-crúcis de todo dia. Nem quer ser a mulher de verdade. Nem a que se arrepende do que fez. A que expia os seus pecados.

A mulher que existe em mim viajou – e de algum lugar do passado escreve cartas de alforria para as escravas da paixão. Desse lugar bem distante, a mulher que existe em mim manda recados urgentes, pede socorro. Grita, esperneia, mesmo em silêncio, emudecida.

A mulher que existe em mim evaporou, e as gotas ficaram condensadas no ar dessa opressão. Você ainda sente o perfume dessa mulher que, em noites de Lua cheia, exala na esquina da sua casa?

A mulher que existe em mim não tem nada a ver com Cleópatra, a rainha do Egito, que se banha em leite de cabra com pétalas de rosas e almíscar, que desenha os olhos com lápis crayon para chegar perto de sua nobreza. Nem com as gueixas, que se preparam, se enfeitam, se vestem, para agradar o outro.

A mulher que existe em mim está engessada. Ela não sabe mais dançar. Não tem mais ritmo próprio, se esqueceu dos passos, da ginga, das curvas, da festa que existia em seu corpo. A mulher que existe em mim está presa a uma tala de gesso. Não pode virar para um lado nem para o outro. Esqueceu os acordes da alma.

A mulher que existe em mim virou fantasma de uma outra que gostava de rir e de brincar, de celebrar a vida. Vive em sobressalto, em pesadelo constante. A mulher que existe em mim não sabe bordar nem costurar nem tricotar, muito menos fiar, pois sempre fere o dedo na roca. Não tem tranças para jogar lá de cima do castelo onde está presa. Essa mulher cansada está enroscada nos fios que ela mesma produziu.

_-aumentar-felicidade

A mulher que existe em mim foi passear e não voltou para mostrar que ainda é tempo de semear a sensibilidade, de conversar em calma, de confessar coisas boas, de compreender e de germinar. Mas a mulher que existe em mim vive em transe, por amar demais, sem medidas, sem pouso, sem sossego. De vez em quando, ela precisa ficar internada no hospício da própria loucura, pois a mulher que existe em mim não é lúcida, muito menos comportada. Nem pode ser colocada numa camisa de força. Nem em redoma de vidro.

A mulher que existe em mim não se quebra, nem se dissolve.
A mulher que existe em mim arde como flor de papoula que abriga o ópio dentro de sua beleza rubra e estarrecedora. Ela não mostra o afeto que possui para não gastar. Ela não ama em dobro para não desgastar, porque amor demais esgota.

A mulher que existe em mim desapareceu, se exilou em outras paisagens, no cair da tarde, entre nesgas douradas do crepúsculo. Às vezes, ela é a poeta que se descobriu já no entardecer da vida. Outras vezes precisa de colo, como uma menina.

A mulher que existe em mim briga o tempo inteiro consigo mesma, como se estivesse enjaulada num papel que não é o seu. Ela dorme um sono letárgico, entorpecedor, analgésico, ansiolítico – e acorda tonta, desmesurada.
A mulher que existe em mim, um dia, amanhece sem susto, renovada. Desperta sem cansaço, refeita, em paz, sem modelos para copiar, sem culpa, sem medo, sem gesso, sem molde, sem fôrma de bolo.

A mulher que existe em mim agora arde, incendeia, para clarear o próprio caminho. A mulher que existe em mim acordou, espreguiçou, sem beijo de príncipe encantado. Sem varinha de condão, sem nenhuma mágica, a mulher que existe em mim derrubou as paredes do tédio, arrebentou as grades da mesmice. Revirou-se pelo avesso, se contorceu, até encontrar o seu cerne.

A mulher que sou, não quer mais ser forte nem sofredora nem amarga nem estar em dívida consigo mesma. Muito menos carrasca de si própria. A mulher que existe em mim não é algoz, mas tem olhos profundos para decifrar o mundo.

Esta crônica da jornalista e escritora Déa Januzzi, foi publicada originalmente no Estado de Minas.

PAIS QUE NÃO DISCIPLINAM OS FILHOS TERÃO QUE SUSTENTA-LOS A VIDA TODA.

“Criar uma criança é fácil, basta satisfazer-lhe as vontades. Educar é trabalhoso.” Içama Tiba

Içama Tiba é um médico psiquiatra, colunista,  escritor de livros sobre Educação, familiar e escolar, e palestrante brasileiro. Professor em diversos cursos no Brasil e no exterior, criou a “Teoria da Integração Relacional”, que facilita o entendimento e a aplicação da psicologia por pais e educadores. Sempre gostei muito de suas ideias e acredito que “Educar um filho” é o nosso maior desafio enquanto pais. Educar é um processo longo, árduo e inacabado.

Educar é o nosso maior ato de amor! Não basta só amar os filhos! Filhos precisam de “amor”, de “disciplina” e de “orientações” sempre. É também muito trabalhoso, mas compensador. Uma recompensa que só teremos lá na frente, quando percebemos que construímos alguém digno e de valor (mas vou logo avisando que vai demorar pra enxergarmos isso). Educar é a maior demonstração de um amor incondicional que os pais podem dar a um filho. Sempre estaremos presentes e atentos pra exercer o papel de educar nossos filhos… e olha que não tem idade para terminar viu?

Confesso que vejo muitos pais que acabam desistindo, se cansando no meio do caminho… achando que não “está adiantando porque tem que repetir” a mesma coisa infinitas vezes… parecendo que não está adiantando nada. Puro engano! Meu conselho é “não desistam nunca de seus filhos”… não desanimem… Educar é um trabalho de formiguinha mesmo. Pode até parecer que eles não estão aprendendo… (estão só nos testando e tentando ver se cedemos aos seus desejos, são super espertos nessa parte rsrsrs)… mas, não se enganem!

Acredite haverá recompensas no futuro quando nossos filhos começarem a exercer sua autonomia e independência demonstrando ter aprendido o que passamos a eles. Gratificante e realizador, digo isso por experiência própria. Leiam estes trechos do livro Pais e Educadores de Alta Performance de Içami Tiba que fala de como pais que não impõem regras e disciplinas aos filhos, geram adultos que serão sustentados pelo resto da vida.

Içami Tiba elaborou 31 frases que todos Pais devem questionar se estão agindo de tal forma:

1. Fazer pelo filho o que ele próprio pode fazer sozinho;

2. Deixar de cobrar obrigações que ele tem de cumprir;

3. Engolir contrariedades, respostas mal-educadas, desrespeito aos outros;

4. Permitir que o filho imponha suas vontades inadequadas a todos;

5. Concordar com tudo o que o filho faz e diz só para não contrariá-lo;

6. Acreditar que “o filho não mente” ou “ele nem sabe o que faz”;

7. Permitir que o filho gaste o dinheiro do lanche em outras coisas;

8. Assumir para si as responsabilidades sobre o que o filho faz;

9. Silenciar quando percebe que o filho falsificou a assinatura dos pais;

10. Repetir muitas vezes a mesma ordem;

11. Dar tapas ou “surras pedagógicas”;

12. Ser conivente com suas delinquências;

13. Aceitar notas baixas, tarefas feitas de qualquer jeito;

14. Terceirizar a educação dos filhos;

15. Ignorar o lixo que o filho jogou no chão;

 

16. Permitir que os filhos dentro de casa façam o que não devem fazer no ambiente social;

17. Incentivar a tirar proveitos pessoais de qualquer vantagem que tiver;

18. Justificar as falhas dos filhos como erros dos outros;

19. Tolerar mentiras, traições, pequenos furtos etc;

20. Minimizar o cumprimento de regras, ordens e combinações estabelecidas;

21. Inventar desculpas por falhas próprias;

22. Mudar as regras existentes para favorecer os filhos;

23. Permitir que experimentem drogas;

24. Fingir que não percebeu a ingratidão e o abuso que os filhos cometeram;

25. Instigar superioridade religiosa, financeira, familiar, sexual etc;

26. Dividir o mundo em pessoas espertas e burras;

Espero que gostem… e ajude.

SEMPRE É HORA DE APRENDER: 10 CURSOS PARA QUEM TEM MAIS DE 60 ANOS, E MAIS ALGUNS…

cursospara60anos

Alcançar a marca dos 60 anos não é motivo para desanimar ou se acomodar profissionalmente. Com a população de idosos crescendo e cada vez mais ativa, a idade deixou de ser uma barreira para quem quer continuar no mercado ou mesmo mudar de área. Sempre é hora de aprender1

No Senac, os profissionais maduros que querem aperfeiçoar seus conhecimentos ou direcionar a carreira encontram cursos em diversas áreas que podem servir como porta de entrada para novos caminhos. A verdade é que não existe limite para o que você quer fazer, muito menos de idade. Veja 10 cursos do Senac São Paulo com inscrições abertas nos mais diversos campos de atuação.

1) Inglês.
Se você ainda não pensou em dar uma chance para o inglês, está mais do que na hora! Hoje em dia, ter uma segunda língua não é mais novidade no currículo de ninguém, especialmente de quem está começando a entrar agora no mercado. Para não ficar para trás, invista em um curso de idiomas.

Além disso, aprender inglês ou outra língua não é apenas uma possibilidade de dar um upgrade na sua formação profissional. Também é uma maneira de estimular o aprendizado, conhecer novas culturas e estar apto a se comunicar com pessoas de outros países.

2) Decoração Prática.
Quer desenvolver aquele senso de decorador que já existe aí dentro? O curso de decoração prática do Senac capacita os alunos a criar soluções para ambientes residenciais. Você terá conhecimentos sobre circulação, iluminação, materiais e revestimentos, e vale tanto para quem quer ingressar na área quanto para quem quer planejar o ambiente da própria casa.

3) Informática para Maturidade.
Não é porque a tecnologia nasceu depois de você que deve abrir mão de conhecê-la, certo? Indicado para pessoas com mais de 45 anos de idade, o curso oferece aos alunos o primeiro contato com o computador, fornecendo informações básicas de informática e conhecimentos para navegação na internet.

Você vai aprender como gerenciar janelas, como formatar e gravar trabalhos e como gerenciar discos, arquivos e pastas. Além disso, vai começar a utilizar a internet e ter noções de serviços disponíveis na web.

4) Agente de Desenvolvimento Socioambiental.
Já ouviu falar no profissional que se preocupa em planejar e implantar ações socioambientais nas cidades? O agente de desenvolvimento socioambiental tem esse papel. Ele tem o poder de desenvolver e articular ações que envolvam poder público, organizações não governamentais e setor privado para a importância de projetos de valor para a cidade, para o estado ou até mesmo para o país.

Se você gosta da causa ambiental, é um curso que vai prepará-lo para elaborar projetos dentro do tema, utilizando ferramentas apropriadas. Além disso, estará habilitado a captar recursos, identificando possíveis parceiros para implementar as ações desenvolvidas. Pode ser a chance de começar a trabalhar em uma nova área.

5) Formação de Sommelier.
Tem um pezinho na gastronomia, mas não sabe por onde começar? A resposta pode estar no curso de sommelier. O Senac oferece formação de sommelier em vinhos, cachaças e cervejas, em três cursos diferentes, cada um dedicado a um dos tipos de bebida.

Em todos eles, você vai aprender a reconhecer e a fazer a análise sensorial das bebidas, compreender a história de cada uma e atuar como um sommelier nos mais diversos locais, de restaurantes e bares a fabricantes de bebidas e hotéis.

6) Gestão de Carreiras: um novo olhar.
Voltado para profissionais que atuam como gestores, este curso do Senac faz parte do programa Gestão Executiva e ajuda os profissionais a se especializarem, atualizarem seus conhecimentos e aprimorarem o desempenho. Além disso, os participantes poderão usufruir de um ambiente de networking para compartilhar experiências e criar soluções alinhadas à sustentabilidade dos negócios.

O diferencial deste curso é que você vai compreender as transformações do mundo do trabalho e seus impactos na gestão de carreiras e vai elaborar estratégias individuais de flexibilização da mesma.

7) Turismo Cultural – orientador de visitas.
Com o boom do mercado de viagens, o público exige cada vez mais orientadores especializados, e a área cultural é uma das mais férteis – museus, espaços culturais, festas típicas, parques temáticos, shows, teatros e outras atrações demandam acompanhamento especial e diferenciado.

O profissional formado por este curso é capaz de elaborar roteiros de visitação, identificando as possibilidades dos espaços, e de assumir a liderança e uma postura comunicativa para estabelecer diálogo com os grupos e as pessoas atendidas.

8) Desenvolvimento de Liderança.
Se você está numa posição de líder – ou pretende assumi-la em breve –, o curso de desenvolvimento de liderança oferecido pelo Senac vai ajudá-lo a desenvolver habilidades de liderança estratégica, antecipando tendências e focando em resultados. Você saberá preparar um planejamento eficaz e estar à frente das tendências de mercado e também gerenciar equipes.

9) Alimentos Funcionais, Orgânicos e Transgênicos: diferenças e benefícios.
As mudanças nos hábitos alimentares e na relação dos indivíduos com os alimentos levaram à demanda por profissionais especializados no assunto. Se você gosta muito da área de bem-estar, por que não fazer um curso para entender mais sobre as funcionalidades e características dos alimentos?

Você vai aprender sobre a definição dos alimentos funcionais, orgânicos e transgênicos, mercado consumidor e comportamento dos consumidores, segurança e sustentabilidade relacionada aos alimentos e técnicas de preparo e conservação.

10) Marketing Pessoal – imagem e carreira.
O aumento da expectativa de vida, a ascensão do público feminino no mercado de trabalho e a busca por uma aparência mais saudável são alguns dos fatores que começaram a reforçar a importância da sua imagem. Que tal investir no marketing pessoal? Mesmo com anos de carreira, você vai adquirir conhecimento especializado em comunicação pessoal, mercado de trabalho, apresentações, internet e networking.

Intercambio viajando

Quer fazer um novo curso? Além destes que o O Senac São Paulo oferece confira abaixo 5 cursos que contribuem para uma vida melhor e mais saudável na terceira idade.

– Artes Plásticas
São utilizados nesse tipo de arte elementos visuais e táteis para a reprodução da realidade ou imaginação. O estudante pode usar papel, tinta, argila e muitos outros materiais para fazer as peças. O artista plástico pode construir esculturas, gravuras, pintura ou desenho, o importante é soltar a imaginação.

– Intercâmbio
Uma boa pedida para quem deseja aprender ou melhorar um idioma de maneira mais descomplicada, e ter oportunidade para vivenciar uma experiência única cultural. Tudo é organizado para ajudar os aventureiros da ‘terceira idade’. Além de viajar, conhecer lugares turísticos dá para fazer novas amizades.

– Informática
Uma excelente forma de socialização para o idoso é a #Internet, atualmente essa atividade auxilia nas relações familiares e estimula o cérebro.

– Ginástica Cerebral
Um bom treinamento mental aumenta muito os circuitos neurais do cérebro. A ginástica cerebral pode ser praticada online, com jogos próprios para estimular o cérebro.

– Dança
Essa é com certeza uma das melhores opções para deixar a saúde em dia, bom para todas as idades, mas no caso do idoso ajuda a melhorar o alongamento corporal, o risco de uma lesão é bem pequeno comparando-se a outros exercícios, melhora a coordenação motora e combate o estress e a ansiedade.

Boa sorte!

Fonte: http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?template=1442.dwt&testeira=473&type=L&sub=3

 

 

 

ROMEU E JULIETA 80: O AMOR É MUITO JOVEM.

“O fato de o personagem ter 15 anos e eu, 80, me fez me entregar à força das palavras e dos versos de Shakespeare” Renato Borghiu .

Corre que ainda da tempo de você assistir essa peça. Muita elogiado pela crítica esta montagem de Romeu e Julieta com atores que passaram dos 80 anos – Miriam Mehler e Renato Borghi – nos papéis principais. Um projeto antigo de Marcelo Lazzaratto, que dirigiu e concedeu esta peça de William Shakespeare, mas que só agora pode ser concretizada “Romeu e Julieta 80”. Leia o que Eduardo Nunomura, da revista Carta Capital, escreveu sobre essa nova montagem com Romeu e Julieta idosos:

Todos aguardam ansiosos o esperado primeiro beijo de Romeu e Julieta (e que beijo). Tem sido assim há quatro séculos, desde que o bardo inglês William Shakespeare escreveu a que veio a ser uma das mais encenadas peças teatrais do planeta. O casal adolescente está apaixonado e sabemos de cor e salteado como essa tragédia termina. Não há tempo a perder. Só que, desta vez, tempo é uma questão relativa no palco do Sesc Ipiranga, especialmente para Renato Borghi e Miriam Mehler. Os dois estão com mais de 80 anos, mas a juventude de suas interpretações nos papéis de Romeu e Julieta tem a força de congelar o tempo.

A peça Romeu e Julieta 80, dirigida e concebida por Marcelo Lazzaratto, é uma ode ao amor no sentido mais amplo. Sim, trata do amor do jovem de 15 anos, filho único dos Montecchios, pela filha única dos arquirrivais Capuletos, com 14. Mas a montagem faz um tributo amoroso a dois veteranos da dramaturgia e, por extensão, ao teatro brasileiro, maduro por sua história e juvenil pelas condições em que muitas peças ainda são produzidas no País. “Renato e Miriam são de uma geração que sedimentou o teatro. Participaram de peças fundamentais, como O Rei da Vela, Eles Não Usam Black-Tie e Pequenos Burgueses. Daqui a 200 anos, elas ainda serão destaque”, pontifica Lazzaratto.

Foram necessários dez anos para que este projeto ganhasse corpo. Lazzaratto havia pensado em um Romeu e Julieta 70, mas a ideia não avançou além dos risos iniciais dos atores. O tempo passou e a peça ganhou novas simbologias, como a resistência às inúmeras crises (do teatro e do País), a importância do amor em tempos de intolerância e a longevidade.

“O corpo não obedece tanto, mas o sentimento do amor existe. Claro que ele é diferente, porque o frescor da juventude já não há mais, mas o cair de paixão pode acontecer em qualquer idade”, brinca Miriam, 82 anos, que nasceu na Espanha e se formou atriz pela Escola de Arte Dramática de São Paulo, em 1957.

Foi casada com Perry Salles, com quem fundou o Teatro Paiol, em 1969, em São Paulo, e participou de inúmeras montagens nos teatros Arena e Oficina. Encenou textos capitais de dramaturgos brasileiros e internacionais, como Gianfrancesco Guarnieri, Nelson Rodrigues, Consuelo de Castro, Maximo Gorki, Max Frisch e Edward Bond. “Como tenho mais de 60 anos de carreira, já passei por todas as fases, mas o teatro sempre sobreviveu. Às vezes, até melhor do que antes.”

“O teatro é a nossa grande tábua de salvação. Romeu e Julieta é uma mensagem de amor tão grande em meio a um mundo de tanto ódio, de tantas coisas terríveis acontecendo, e precisamos passar que existe o amor entre nós, não só entre um homem e uma mulher, mas entre nós, seres humanos”, conclui Miriam.

Falar do tempo presente com um Romeu de 80 anos é um sinal de alerta para os mais jovens, que talvez não vislumbrem os riscos que corremos. “Enxergo este momento como tão difícil ou mais do que na ditadura. Com toda essa radicalização e esse politicamente correto que cerceia a arte, que vem de uma fração da sociedade, é muito mais árduo para resistir e combater”, afirma Renato Borghi.“Há uma tendência direitista muito clara e o teatro precisa dialogar ainda mais para expor o risco desse fechamento”.

A mensagem do espetáculo é que o amor está aí para todo mundo, independentemente da idade que se tenha. É uma verdadeira ode ao amor no sentido mais amplo. Quero muito assistir está peça. E você? Clique aqui para ler mais. Até 18/2/2017 no Sesc Ipiranga todas as sextas e sábados ás 21:00hs. Domingos e feriados ás 18:00hs (R$9,00/ 30,00).

BRASIL ENVELHECE ANTES DE FICAR RICO, DIFERENTE DE OUTROS PAÍSES.

ENVELHECER 2

Os países desenvolvidos enriqueceram e depois envelheceram. Já o Brasil, como os outros países em desenvolvimento, está envelhecendo antes de enriquecer” – afirma a psicóloga e gerontóloga Eliana Novaes Procópio de Araújo, neste artigo de Maria da Luz Miranda, de O Globo, mostrando que devemos enfrentar o desafio de viver numa nação que envelhece rapidamente sem ainda ter desenvolvido seu potencial de enriquecimento. Leia:

Em 2025, o Brasil será o sexto país em número de idosos. Não será pouco, mas as implicações do envelhecimento populacional latente no país vive vai além dos números e não vai esperar para se manifestar. Entre quem entra na categoria idoso aos 60 anos e quem já está adiante dos 80 há muitas nuances e velhices possíveis.

Segundo a psicóloga e gerontóloga Eliana Novaes Procópio de Araújo, professora de degrontologia social do Instituto Sedes Sapienta e doutoranda em Ciências da Saúde na Faculdade de Saúde Publica da Universidade de São Paulo (USP), já experimentamos, atualmente, os conflitos e dificuldades inerentes ao envelhecimento. E é preciso que nos preparemos para uma velhice menos traumática e mais promissora. Há idosos e muito idosos, ela pontua. E é preciso saber viver cada fase assim como dar o suporte a quem está em idade mais avançada.

A longevidade crescente na população brasileira no século XXI pode ser considerada uma conquista social e também um desafio para nossa sociedade, que deixa de ser um país de jovens para ser um país que envelhece. O Brasil, hoje, é “um jovem país de cabelos brancos”. Os países desenvolvidos enriqueceram e depois envelheceram. Já o Brasil, como os outros países em desenvolvimento, está envelhecendo antes de enriquecer.

Você fala em diferentes velhices. Quais seriam?

Devemos entender que o envelhecimento é um processo evolutivo, gradual, universal e irreversível que começa desde do nascimento até a finitude. Temos várias velhices, e cada pessoa idosa é única e deve-se respeitar a sua subjetividade. Assim, o jovem idoso, que tem entre 60 e 80 anos, em sua maioria pode apresentar um potencial latente em competência física e mental e provavelmente um bem estar emocional e pessoal. Esse vigor possibilita, inclusive, o desenvolvimento de novos projetos de vida. Entretanto, o muito idoso, acima de 80 anos, pode apresentar perdas no potencial cognitivo e níveis de fragilidade e disfuncionalidade, além de dificuldades emocionais e possibilidade de quadros de demência. A subjetividade, além do ambiente, de cada um também é determinante para o modo como se envelhece.

exercise-class

Como essas duas gerações podem se interrelacionar de modo que ambas ganhem?

O ideal é que elas troquem experiências e desenvolvam atividades de prevenção. É importante ressaltar que cada idoso terá uma velhice singular. Há muitos velhos em cada um de nós. E esse é um pensamento que deve ser estimulante.

Como você vê, hoje, o tratamento que a sociedade dá aos seus velhos, tenham eles 60 ou 80 anos?

A cada ano, 650 mil novos idosos são incorporados à população brasileira, sendo que grande parte desse contingente apresenta limitações e dependências que necessitam de cuidados constantes, o que representa um grande desafio para a implementação de políticas públicas que garantam esse cuidado.

Como você vislumbra a sociedade brasileira no futuro próximo em relação aos velhos?

A sociedade brasileira está se organizando, mas ainda precisa se receber orientações que a preparem para atender esse novo perfil de idosos e muito idosos. Precisamos de uma educação para a velhice, necessitamos de profissionais especializados em muitas áreas, especialmente em geriatria e gerontologia, por exemplo. Saber envelhecer bem depende da forma que a pessoa vivencia sua vida desde jovem até esse novo estágio de vida que é a velhice.

Que conselhos você dá a quem tem 60 anos sobre a melhor maneira de cuidar de si mesmo ou de seus ascendentes?

Acredito que não existe uma formula perfeita para um bom envelhecimento, mas acredito que cada pessoa, independentemente de sua faixa etária deve dar um sentido à sua vida. E esse sentido pode vir de novos interesses e atividades que sejam afins com a sua singularidade e lhe promovam satisfação. Essencialmente, vamos nos preparar para uma velhice promissora. Não é um conselho. É um convite.