Xiii… EU ENVELHECI!

“Viver é envelhecer, nada mais”. Simone de Beauvoir.

Quando li esta crônica me identifiquei completamente. Libertei-me! Sim… penso que envelheci e “eu sou agora, provavelmente pela primeira vez na vida, a pessoa que sempre quis ser”. Não mudaria simplesmente nada! Construiria a mesma história pra mim. E você? Mudaria alguma coisa?

De tudo que acontece em nossa vida, muitas vezes custamos a entender e aceitar alguns fatos… mas quando você vê mais à frente… é capaz de compreender tudo. Nada é por acaso. Leia:

Um dia desses uma jovem me perguntou como eu me sentia sobre ser velha. Levei um susto, porque eu não me vejo como uma velha. Ao notar minha reação, a garota ficou embaraçada, mas eu expliquei que era uma pergunta interessante, que pensaria a respeito e depois voltaria a falar com ela. Pensei e concluí: a velhice é um presente. Eu sou agora, provavelmente pela primeira vez na vida, a pessoa que sempre quis ser.

Oh, não meu corpo! Fico incrédula muitas vezes ao me examinar, ver as rugas, a flacidez da pele, os pneus rodeando o meu abdome, através das grossas lentes dos meus óculos, o traseiro rotundo e os seios já caídos. E constantemente examino essa pessoa velha que vive em meu espelho (e que se parece demais com minha mãe), mas não sofro muito com isso.

Não trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, e o carinho de minha família por menos cabelo branco , uma barriga mais lisa ou um bumbum mais durinho.

Enquanto fui envelhecendo, tornei-me mais condescendente comigo mesma, menos crítica das minhas atitudes. Tornei-me amiga de mim mesma. Não fico me censurando se quero comer um bolinho-de-chuva a mais, ou se tenho preguiça de arrumar minha cama, ou se compro um anãozinho de cimento que não necessito, mas que ficou tão lindo no meu jardim. Conquistei o direito de matar minhas vontades, de ser bagunceira, de ser extravagante.

Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento. Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar paciência no computador até às 4 da manhã e depois só acordar ao meio-dia?

Dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos das décadas de 50, 60, 70 e se, de repente, chorar lembrando de alguma paixão daquela época, posso chorar mesmo!

Andarei pela praia em um maiô excessivamente esticado sobre um corpo decadente, e mergulharei nas ondas e darei pulinhos se quiser, apesar dos olhares penalizados dos outros. Eles, também, se conseguirem, envelhecerão.

Sei que ando esquecendo muita coisa, o que é bom para se poder perdoar. Mas, pensando bem, há muitos fatos na vida que merecem ser esquecidos. E das coisas importantes, eu me recordo freqüentemente. Certo, ao longo dos anos meu coração sofreu muito.

massa-muscular-depois-dos-50-viva_50-580x435

Como não sofrer se você perde um grande amor, ou quando uma criança sofre, ou quando um animal de estimação é atropelado por um carro? Mas corações partidos são os que nos dão a força, a compreensão e nos ensinam a compaixão. Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser forte, apesar de imperfeito.

Sou abençoada por ter vivido o suficiente para ver meu cabelo embranquecer e ainda querer tingi-los a meu bel prazer, e por ter os risos da juventude e da maturidade gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto. Muitos nunca riram, muitos morreram antes que seus cabelos pudessem ficar prateados.

Conforme envelhecemos, fica mais fácil ser positivo. E ligar menos para o que os outros pensam. Eu não me questiono mais. Conquistei o direito de estar errada e não ter que dar explicações.

Assim, respondendo à pergunta daquela jovem graciosa, posso afirmar: “Eu gosto de ser velha”. Libertei-me! (Autoria Desconhecida).

Anúncios

PARA (FUTURAS) MAMÃES, É BOM QUE SAIBAM… QUANDO BATER AQUELE CANSAÇO…

BIA

“Os filhos são para as mães as âncoras da sua vida”. Sofócles.

Hoje neste momento que minha filha de coração Carina está aniversariando e prestes a se tornar mãe. Quis lhe contar que ser mãe é uma das maiores bençãos que podemos ter na vida. Com toda loucura e cansaço que muitos momentos nos trazem, com certeza teremos muito mais alegrias pra saborear.

Pensando neste momento inicial da vida dela e de todas as mamães e pura vai… há uma crônica circulando pela internet, cuja autoria eu desconheço, mas é tão sincera e descreve tão bem estes momentos que só as mães são capazes de entender, pensei que vale a pena ser compartilhada aqui agora neste momento do niver da Cá. Como um incentivo, num olhar sensível e com muita compreensão sobre o papel mais importante de nossas vidas… o de ser mãe! Espero que goste… Leia:

As vezes, parece que ninguém nota os esforços diários de uma batalha materna. Ninguém nota as madrugadas insones, os choros contidos, os banhos não tomados, o almoço quente e saboroso que se transformou em um pão com manteiga e um café gelado.

Ninguém nota quando a mãe está trabalhando no limite da exaustão. Seja limpando, educando ou emprestando um imenso pedaço de si para manter aquele pequeno em perfeitas condições.

Por trás de um filho feliz, existe uma mãe com um coque no cabelo, roupa amassada e… cansada. Por trás de um filho feliz, existe um trabalho pesado que ninguém (ou quase ninguém) ousa se importar. Sentimos transbordar de amor e nos esquecemos de nós próprias, na maioria das vezes. Ser mãe é o mais importante (agora e sempre).

mae-lendo-para-os-filhos

A maternidade é uma profunda, dolorosa e imensa doação de si mesmo. Pausamos muitas coisas nestes momentos.

A maternidade é uma jornada para valentes, lugar de gente corajosa que se aventura na batalha de criar um ser humano independente: dando limites, emprestando as suas noites de sono, multiplicando as forças e amando-os para sempre, mesmo quando eles nos levam a loucura.

A maternidade é essa insana e profunda doação do nosso próprio coração. E mesmo quando ninguém nota, lá está ela – a mãe, doando o seu corpo, multiplicando o seu amor, dividindo os seus sorrisos e vivendo na mais completa e feliz exaustão. Porque toda mãe sabe que a melhor recompensa, para tanto cansaço, já está em suas mãos!

Podemos até estar cansada… Mas acredite, jamais cansada de ser mãe. ❤

img_4489

Agradeço todos os dias pelos filhos que tenho… e pelos filhos que adotei de coração. Você Carina, mora do lado esquerdo no meu peito, tenho muito carinho e amor por você, viu? Nunca se esqueça disso. Além de uma profunda admiração por todas as lutas, sonhos e vitórias que tens conquistado e das muitas outras que ainda virão (pego carona na janelinha e vou apreciando muito feliz tudo). Coragem, determinação, persistência e resiliência são suas maiores qualidades (entre outras tantas) as que eu mais admiro, quero que saiba disso.

Aprendizagens de convivência em família, nosso eterno desafio, temos muitas ainda pela frente, que com certeza valem sempre muito a pena. Parabéns Cá, futura mamãe… que você seja muito feliz nesta nova história que está construindo com sua família linda começando.

Te ofereço esta linda poesia de Bráulio Bessa (03/04/2017 – sobre “o lado esquerdo do peito”, oferecida pra Milton Nascimento, que eu adoro) e acredito que consegue explicar tão bem as sensações e os sentimentos que guardamos dentro de nós mesmo…O que  trazemos na alma, a verdadeira essência do ser humano…. ouça com carinho.

Estaremos sempre por perto, seu pai e eu. Conte sempre conosco, viu te amo muito! Muito sucesso! Beijos.

ENVELHECER!!! É ÚNICO…

“Envelhecer é o único meio de viver muito tempo”. Alberto Camus. 

Enquanto vamos envelhecendo… andamos mais devagar e continuamos construindo novas histórias. Histórias estas cheias de vida e emoções, prefiro assim. Quem me conhece diz que eu teria que escrever um livro… tenho tantas “histórias com momentos” tão engraçados (já que sou a pessoa mais atrapalhada e alegre da família)… que às vezes acho que eles têm razão, mas preferi fazer um Blog rsrsrs. Um dia destes começo a contar algumas pra vocês, algumas experiências de vida já contei ok.

E vocês, me contem o que pensam sobre o envelhecer? Gostei muito desta crônica de Albert Campos que nos diz nesta crônica, sobre envelhecer, leiam:

A idade madura é aquela na qual ainda se é jovem, porém com muito mais esforço.

O que mais me atormenta em relação às tolices de minha juventude, não é havê-las cometido…é sim não poder voltar a cometê-las. Envelhecer é passar da paixão para a compaixão.

Muitas pessoas não chegam aos oitenta porque perdem muito tempo tentando ficar nos quarenta.

Aos vinte anos reina o desejo, aos trinta reina a razão, aos quarenta o juízo.

O que não é belo aos vinte, forte aos trinta, rico aos quarenta, nem sábio aos cinquenta, nunca será nem belo, nem forte, nem rico, nem sábio…

Quando se passa dos sessenta, são poucas as coisas que nos parecem absurdas.

Os jovens pensam que os velhos são bobos; os velhos sabem que os jovens o são.

A maturidade do homem é voltar a encontrar a serenidade como aquela que se usufruía quando se era menino.

Mais-velha

Nada passa mais depressa que os anos. Quando era jovem dizia:…”verás quando tiver cinqüenta anos”. Tenho cinqüenta anos e não estou vendo nada.

Nos olhos dos jovens arde a chama, nos olhos dos velhos brilha a luz. A iniciativa da juventude vale tanto a experiência dos velhos. Sempre há um menino em todos os homens.

A cada idade lhe cai bem uma conduta diferente.

Os jovens andam em grupo, os adultos em pares e os velhos andam sós. Feliz é quem foi jovem em sua juventude e feliz é quem foi sábio em sua velhice.

Todos desejamos chegar à velhice e todos negamos que tenhamos chegado.

Não entendo isso dos anos: …”que, todavia, é bom vivê-los, mas não tê-los.”

Muito bom esta crônica, não acham?

 

ENTÃO, VOCÊ VAI SER MÃE…

IMG_0860“A mãe compreende até o que os filhos não dizem”. Textos Judaicos

Quando li esta crônica, lembrei de tudo que já tinha vivido como mãe. Perfeito os sentimentos aqui descritos, cheios de muita sensibilidade. Hoje no “Dia das Mãe“… e com a gravidez de minhas duas filhas… e com minha nora já mamãe, e tantas outras de nós… sinto que como num bate papo, posso aqui compartilhar todos os sentimentos envolvidos neste momento maravilhoso da mulher… Hora de angústias, hora de uma explosão imensa de amor… ansiedades gerais que nos inundam neste período… ser mãe é a melhor coisa do mundo, não tenham dúvidas Tudo se transforma!

Acontece uma grande transformação “no momento em que uma criança nasce… a mãe também nasce. Ela nunca existiu antes. A mulher existia, mas a mãe, nunca. Uma mãe é algo absolutamente novo” (Osho).  Penso que “Ser Mãe é assumir de Deus o dom da criação, da doação e do amor incondicional. Ser mãe é encarnar a divindade na Terra” (Barbosa Filho).

Saibam que o tempo passa e muito rápido. E não nos damos conta (em muito momentos)… portanto aproveitem bastante cada momento com seus filhos, desde pequenos… Construam uma relação com muito afeto e compreensão, cheia de cumplicidade, confiança e amor… será a base de ambos, pelo resto da vida… Laços profundo de amor e cumplicidade! Depois só relembramos com muita saudade, principalmente de quando nossos filhos eram pequenos… e de como esta sensação nunca termina. Correria e tantas coisas pra fazer… fazem este tempo voar.

avo-neto-brincando

Hoje aproveito também os meus netos: o que já chegou (meu amado João Pedro) e os que chegam de mansinho (Noah e a Aninha nomes não definidos ainda rsrsr)… e me fazem reviver tantas coisas maravilhosas. Estou aproveitando bem ,com bastante leveza e alegria na alma este tempo… com bastante intensidade, muito amor e carinho profundo, (tudo que a distância permitir). Cada minuto é precioso quando estamos todos juntos.

Acredito que “a maior emoção de uma mulher é ser mãe, é a maior emoção da vida ser mãe… nunca nos esquecemos deste momento quando ele acontece. Mais tarde há de se tornar avó… vidas que se somam, felicidades que se multiplicam!!! (Maria Isabel da Silva Thomáz). Vamos (vou) assim me realizando como mãe (e avó agora). Leiam esta crônica de Fabíola Simões que descreve tão bem o que é ser mãe, desde a sua descoberta:

Então você fez o teste de farmácia, o exame de sangue, o ultrassom, e descobriu que está grávida. Então seu corpo mudou, você passou a se alimentar melhor, está bebendo mais de três litros de água por dia e evita ultrapassar os carros pela direita. Passou a seguir blogs de maternidade, buscar aplicativos no celular, reformou o antigo escritório para ser o quarto do bebê e fez a mala da maternidade. Se programou para amamentar de três em três horas, comprou um sling para carregar o bebê para qualquer canto e tem certeza que, com o exemplo do pessoal de casa, seu filho irá gostar de ler e não dará trabalho para comer beterraba.

Eu gostaria de acreditar que tudo aquilo que sonhamos correrá exatamente como planejamos. Gostaria de pensar que há uma porção de regras que garantirão que nada sairá dos trilhos. Porém, a vida não funciona assim. E na maioria das vezes o que ela quer de nós é evolução, é mudança. E não há algo maior nesse mundo, algo que nos transforme tanto, do que ter um filho.

Ter um filho nos arremessa para bem longe da zona de conforto, da comodidade e do conformismo. Nos faz buscar respostas, decifrar mapas e pegadas na areia, ter soluções para o mistério das nuvens de algodão e do arco íris refletido nas bolhas de sabão. Nos torna heróis da noite para o dia, nos faz ter olhos de simplicidade e poesia.

Ter um filho é andar de mãos dadas com uma pessoinha que te vê maior que o mundo, é sentir os dedos melados de açúcar e saliva, é aprender a ser paciente com o suco esparramado no vestido na hora de sair e com as pausas para catar gravetos no caminho para o dentista.

Então você vai ser mãe e eu gostaria que você soubesse que mesmo planejando, organizando, arquitetando e estudando tudo nos mínimos detalhes, ainda assim você irá se surpreender. Ainda assim você ficará perdida em alguns momentos e não encontrará as respostas em nenhum livro, site, palpite ou bula.

a49cdb808f4067e04c2f32d97f3971e4

Seu filho irá exigir que você encontre as respostas dentro de você. Irá lhe fazer entender que é um caso único entre infinitos, e que, de um jeito novo, surpreendente e improvável, contrariando todas as previsões e estatísticas, você dará conta.

Você perceberá que deu conta quando a casa silenciar e você for cobri-lo na penumbra do quarto, e sentada na beira da cama desejar que o tempo congele. Você perceberá que deu conta quando ele tiver onze anos, e no intervalo das lições de ciências ouvir ele dizer um “eu te amo” gratuito, sincero e espontâneo. Você perceberá que deu conta quando notar o olhar aflito de seu pequeno te procurando na plateia da apresentação da escola, e então ser notada e presenteada com olhinhos brilhantes de alívio e amor. Você perceberá que deu conta quando, tarde da noite, o telefone tocar e ele te pedir conselhos para cuidar do próprio filho, pois você foi “a melhor mãe do mundo”.

Então você vai ser mãe e eu desejo que você possa viver essa experiência intensamente.

Que sua casa seja invadida por aviões de papel, alguns rabiscos nas paredes e manchas de Nescau no sofá. Que você passe mais tempo construindo cabanas de cobertor e barcos de sucata do que aspirando o carpete, e não desperdice o tempo que vocês têm juntos com excesso de trabalho e preocupações com o futuro.

Lembre-se que a infância é um sopro, e num instante você terá todo tempo do mundo só para você e muita saudade da cama compartilhada depois de um pesadelo, do abraço envergonhado perto da escola, das marcas na parede evidenciando o aumento de estatura, dos verbos conjugados arduamente, da primeira visita da fada do dente.

Eu pensei que tinha planejado tudo. Pensei que poderia ser apenas o tipo de mãe amorosa que conta histórias, cuida, brinca e reza para dormir. Mas meu filho veio me tirar da zona de conforto. Eu tinha me habituado a ser o tipo de pessoa carinhosa que conquista tudo com seu afeto. Mas ele não queria só isso. Ele queria se sentir seguro. E só se sentiria seguro se eu fosse uma mãe posicionada, firme, enérgica e confiante.  Ele queria limites. Queria que eu demonstrasse meu amor por meio dos limites.

Então-você-vai-ser-mãe-

E me transformou. Me tornou uma pessoa mais determinada e cheia de fé em si mesma, muito diferente do que eu era. Hoje sei que nada te prepara para ter um filho. Nada te prepara para ser confrontada por um serzinho que irá lhe tornar mais forte, firme, imbatível. Para te tornar, com sorte, uma pessoa melhor.

Então você vai ser mãe e eu torço para que saiba aproveitar esse momento com alegria. Para que respire vapores do momento presente e não lamente o “trabalho” que as crianças dão. As noites em claro, viroses e birras não irão durar para sempre, e se você tiver doado seu tempo com alegria, interesse e presença verdadeira, terá conseguido desempenhar sua missão com louvor.

E talvez um dia, depois de cumprir o ritual dos pijamas e escovas de dentes, você irá respirar fundo e pensar, com antecipada nostalgia, que aquele é um momento mágico; um momento que justifica e valida a vida, um momento que será revisitado e lembrado para sempre…

Complementando com esta poesia de Braúlio Bessa:

Obs: Programa Encontro – Poesia do Rapadura sobre o Dia das Mães – (12/05/2017)

Feliz Dia das Mães! Um brinde á nós!

By Fabíola Simões. O título desse texto foi inspirado no título “Então, você vai ser pai” de Marcos Piangers.

Musica: Ana Vilela – Trem Bala.

COM O TEMPO VOCÊ APRENDE…

“Aprender sempre e evoluir eternamente”. Wagner Alonson

Penso que a vida é uma caixinha de surpresas… Sim, é feita para você aprender sempre! Assim sendo você vai errar, aprender, evoluir, ver… quando escolher o seu melhor caminho…  seguindo sempre em frente… Poi é, um ciclo que está em constante evolução e sempre se movimentando, basta estar vivo rsrsrs.

Portanto temos  sempre a oportunidade de escolher”, “refletir”, “fazer” e “refazer”… A junção de tudo isso (re)constrói quem somos nós agora.

Adoro esta crônica ” Um dia você aprende…”… é a mutação de um poema de autoria de Veronica Shoffstall, escrito no seu anuário escolar em 1971, muitas vezes também atribuído á grandes autores como Willian Shakespeare. Nos diz muito sobre nossas aprendizagens durante toda a vida, leiam:

“Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo, você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

trate-bemDescobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você é na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos, se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa aonde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

_-aumentar-felicidade

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

permita-se-desistir

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar … que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!”

Sempre me identifico muito com tudo isso… Com o tempo eu aprendi… muitas detas coisas… e continuo aprendendo. E você?

SINDROME DOS 50! S.D.A.D.A. SAIBA O QUE É ISSO.

“E qualquer desatenção, faça não! Pode ser a gota d’água”. Chico Buarque.

Outro dia li esta crônica achei bem divertido… me identifiquei, pronto já disse! Divertida!

Estejam atentas à S.D.A.D.A. ou Síndrome de Desordem da Atenção Deficitária por Amarelão (na certidão de nascimento, claro rsrsrs). Informações importantes para todas as pessoas que já passara dos 50. E quem não passou, prepare-se… não ria e tenha esperança, pois um dia vai chegar lá. E ainda vai descobrir que esta é a melhor opção pra nós, nesta altura da vida… rsrsrrs… Leiam:

Já para os que já passaram dos 50 ou está com os mesmos sintomas … acabaram de descobrir o diagnóstico desta doença. Qualquer coincidência com a vida real será mera coincidência. É uma doença séria.  Explicando melhor leiam:
Vou explicar melhor com meu exemplo:
1. Outro dia decidi lavar o carro; peguei as chaves e fui em direção à garagem, quando notei que tinha correspondência em cima da mesa.
2. OK, vou lavar o carro, mas antes vou dar uma olhadinha na correspondência, pois pode ter alguma coisa urgente.
3. Ponho as chaves do carro na escrivaninha ao lado e, olhando a correspondência, vejo que tem algumas contas para pagar e muita propaganda inútil, e por isso decido jogá-las fora (as propagandas), mas vejo que o cesto de lixo está cheio.
4. Então lá vou eu esvaziá-lo.
Coloco as contas sobre a escrivaninha, mas lembro-me que há um banco eletrônico perto de casa e vou primeiro pagar as contas.
5. Coloco o cesto de lixo no chão, pego as contas e vou em direção à porta.
6. Onde está o cartão do banco? No bolso do casaco que vesti ontem.
7. Ao passar pela mesa de jantar, olho para um suco que estava bebendo. Vou buscar o cartão, … mas antes vou guardar o suco na geladeira.
8. Vou em direção à cozinha, quando noto que a planta no vaso parece murcha, é melhor pôr água antes.
9. Coloco o suco na mesa da cozinha, quando… Ah! Achei os meus óculos! Estava à procura deles há horas!
É melhor guardá-los, já!
10. Pego num jarro,
… encho-o de água e vou em direção ao vaso.Alzheimer.1 jpg    - RAIVA

11. Deixaram o controle remoto da televisão aqui em cima! À noite, quando quisermos ligar a TV, ninguém vai se lembrar de procurar na cozinha.
É melhor levá-lo já para a sala. Mas…
12. Ponho os óculos sobre a mesa e pego no controle remoto.
13. Coloco a água na planta, mas caiu um pouco no chão. Deixo o controle remoto no sofá e vou buscar um pano.
14. Vou andando pelo corredor e penso que precisava trocar a moldura do quadro.
15. Estou andando e já não sei o que é que ia fazer!!!
16. Ah! Os óculos… Depois! Primeiro o pano. Pego nele.
17. Vou em direção ao vaso, mas vejo o cesto de lixo cheio.
18. Final do dia:
O carro continua por lavar… as contas não foram pagas… o suco, lá está, quentinho… a planta levou só metade da água…  não sei do cartão do banco… nem onde estão as chaves do carro! rsrsrs
19. Quando tento entender porque é que não fiz nada, hoje, fico atônito, pois estive ocupado o dia inteiro!
20. Percebo que isto é uma coisa muito séria e que tenho que ir ao médico, mas antes, acho que vou ver o resto da correspondência…
Divulguem esta mensagem para todos os conhecidos, pois eu não me lembro para quem enviei!!!
Mas não mandem outra vez para mim, pois posso enviá-la novamente para você…

Concluí… sou S.D.A.D.A. rsrsrs… e você?

 

PAUSAR A VIDA PELOS FILHOS…

a49cdb808f4067e04c2f32d97f3971e4“Filhos são comparados a borboleta, só permanece no casulo até criar suas asas de voar para a liberdade”. Ilzimar Dantas

Hoje recebi esse texto de uma amiga (desconheço autoria) que me trouxeram lembranças dos doces momentos que vivemos e revivemos muitas vezes, durante a vida… Hoje é aniversário de minha mãe Neida, que faz 90 anos… de repente fiquei a pensar meio nostálgica das saudades que sinto de minha mãe presente inteira, aqui comigo e conosco. A doença que a abate agora, ainda mostra ela como a mulher forte que é, e batalhando muito, nos ensinando dia a dia e muito sobre os desafios da vida e de como podemos enfrentá-los… Resignada, (e cansada) eu diria! Sua alegria de viver e a maneira como sempre enxergou a vida como “maravilhosa”… desponta leve em minha alma, trazendo lembranças, alegrias… e me alertam.

Mamãe e Familia 2015-06-20 15.39.56

Pensei também nos meus filhos ainda pequenos … Sim, eles crescem… criam asas e voam… dá uma saudade imensa de quando ainda eram pequenos!!! Resolvi então compartilhar esta crônica, para homenagear a minha mãe, aniversariante de hoje… como  um grito que vem do fundo da meu ser, Leiam:

Hoje tomei meu café com lágrimas e na minha boca, amargava as saudades que sinto das minhas conversas, com minha mãe. Fiquei pensando em quantas vezes, desde que me tornei mãe, já escutei a frase “não pause sua vida pelos filhos, pois eles um dia crescem” ou alguma variação dela, repetida, ainda que não intencionalmente, como uma forma disfarçada de menosprezar (mesmo que entrelinhas)…  a dedicação materna… se afinal, criamos os filho pro mundo, todo mundo dizem. “As asas, as benditas asas” chegam. Eu sei, você sabe…. para mim aí esta a magia de ser mãe… Deixando o seu coração pulsando por aí… batendo pelo mundo, em outros corações muito amados.

1

“Não pausar a vida”. Ideia curiosa essa, como assim?… já que ser mãe é viver eternamente de pausas. Por 9 meses (ou mais) a gente pausa o vinho. Por aproximadamente 40 dias (mas provavelmente bem mais) a gente pausa a vida sexual. Por muitas e muitas noites a gente pausa o sono. A gente pausa a reunião de trabalho, a ligação importante, a promoção.

Pausamos a poupança, porque juntar dinheiro fica difícil. A gente pausa as refeições e os banhos. Pausamos os planos de viagens, as saídas com as amigas, as idas ao cabeleireiro. A gente pausa o coração na preocupação… sim, pausamos a própria vida, pra respirar a deles.

Familia 2014-07-19 22.01.19

“Criar para o mundo”. O que isso seria? Suponho que minha mãe me criou “para o mundo,” sempre me dando asas. Saí de casa aos 24 anos quando me casei, e nunca mais voltei pra morar… só pra ter o prazer da sua doce companhia e pra conversarmos sobre a vida, comendo suas comidinhas gostosas. Suponho que minha mãe me criou sim “para o mundo”, sempre me dando “asas”… e eu voei longe!. Fui conquistar esse mundão para o qual ela me criou, formei minha família… me reconstruí quando precisei, cai e me levantei… sempre em sua companhia. Ouvi seus conselhos, me aconcheguei no seu amor, nos seus abraços e beijos. Me (re) descobri!

Família

Mas a verdade é que eu nunca deixei de ser dela. Um pedaço dela. Um produto dela. Tão dela que mesmo com mais de 60 anos, eu ainda preciso (de vez em quando) que ela pause a sua vida dela por mim… rsrsrs. Pasmem, ela ainda pausa. Ela pausa com a generosidade de quem é acostumada a pausar, doar e amar… e amar e amar… da maneira que ela pode hoje.

IMG_1470

Então eu penso, enquanto tomo meu café curtindo as saudades que sinto das nossas conversas, que filhos não são do mundo… Nossos filhos, são nossos! Eles vieram da gente e voltam pra gente de novo… e de novo. Tudo dependerá da forma como os criamos…. no amor que demos e receberam, na raiz que os criaram.  Mesmo estando longe, (e temos esta experiência) eles são nossos… Nossos pedaços… nossos produtos… Os produtos de todas as nossas pausas…

Niver Lari Familia Parabéns 2004 Tios. 4

Porque é na pausa que fortalecemos o vínculo, é na pausa que construímos as memórias. e fazemos histórias. Ela tem. Eu também tenho muitas. É no pausar da vida, nesse incessante viver pelo outro, em meio as dores e sacrifícios que, como mulheres, muitas vezes nos vemos plenas; e mais do que isso, nos vemos mães. Grandes mãe eu diria rsrsrs.

Feliz Aniversário, minha querida mãe… Sinto falta das nossas conversas, da suas comidinhas e dos seus abrações. Quero vê-la hoje muito feliz e orgulhosa, com os seus 4 filhos, que estão sempre com você, zelando para o seu bem estar. Você é muito amada por todos nós da família… a família que você um dia começou.

foto familia Perez

Agora mais uma pausa… pra ouvirmos juntas musicas… Um brinde pelos seus 90 anos, minha amada mãe. Estas músicas que te ofereço agora, diz todo o amor que eu sinto por você, ouça: “Como é grande o meu amor por você“… e “Lady Laura”:

Aqui estão algumas músicas pra você ouvir…  músicas que você mais gostava e que tocam o seu coração…  Esta aqui te  lembrava o papai, lembra?

Aqui estão as suas músicas preferidas e escolhidas por você naquela “Serenata’, que eu mandei fazer  pra você, nos seus 80 anos, pra você recordar:

E não podia faltar as Marchinhas de Carnaval do seu tempo, que você tanto gostava de dançar… vamos relembrar…

Tudo sempre valeu a pena, né mãe? Estas aqui eu acho muito lindas:

Obrigada por todas as suas pausas… todo o seu amor e toda a sua dedicação, comigo e com os meus filhos… pausas que fizeram de mim o que sou hoje. Sinto – me muita grata. Te amo muito.

Aprecie seu dia conosco.

 

AH! SE EU SOUBESSE…

“Se eu pudesse novamente viver a minha vida, na próxima trataria de cometer mais erros. Não tentaria ser tão perfeito…” Don Herold.

Pensando no que dizer pra você meu genro Fábio, que faz aniversário hoje… prestes a ser papai em breve… eu falaria pra você aproveitar muito bem a sua vida, saboreando cada momento, sem pressa… pra lá na frente, quando estiver envelhecendo… nunca sentir falta do que poderia ter sido… Faça hoje, aqui, agora… Viva feliz o presente! Amar e aproveitar seu tempo com sabedoria! Nada mais será preciso…

Querendo que você seja muito feliz e tenha uma vida plena… junto a sua família, que começa a ser formada, baseada em muito amor, pensei… Gostaria muito de compartilhar esta crônica de Hugo Lapa, sobre o que “não deveríamos fazer” e como provavelmente pensaríamos, quando chegássemos algum dia ao plano espiritual (ou seria algo muito parecido), caso nos faltasse alguma coisa… Soa-me esta crônica, como um alerta! Queria que você soubesse disso agora. Somos nós que construímos a nossa história. Cuide pra nunca te faltar nada… nem tempo, nem amor, nem família, nem filhos, nem amigos, nem música, nem poesia, nem arte, nem pescaria, nem trabalho, nem coisa alguma… na sua vida, assim (como eu faço) sempre brindará cada lembrança vivida e cada história construída, espero que goste, leia:

IMG_6141

Ah! se eu soubesse… que o tempo é tão curto, teria deixado de lado os problemas pequenininhos, teria ajudado mais pessoas, teria feito mais caridade aos necessitados, e teria deixado o amor fluir… teria sido mais humilde e teria vivido em paz…

Ah! se eu soubesse… teria passado mais tempo com aqueles que amo, teria me preocupado menos, teria tido mais paciência, teria me soltado mais, me desprendido mais, teria vivido mais livre, de forma mais espontânea, mais natural, teria visto o lado bom de tudo, teria valorizado as coisas simples da vida.

IMG_6166

Ah! se eu soubesse… que tudo se esvai, que nada é permanente, que não existe algo fixo, imutável. Se eu soubesse que tudo começa e termina, que os relacionamentos começam e terminam, que a dor lateja e depois vem o alívio… e que o amor renasce, imenso... que a vida se transforma e o amor se refaz, melhor e mais forte ainda. Transborda e pulsa…

Ah! se eu soubesse… que a cobiça gera insatisfação, que a lisonja só cria humilhação, que a preguiça gera estagnação. Se eu soubesse que o medo é sempre maior do que a mente engendrou eu teria me arriscado mais, teria ousado, teria tido a coragem de ser o que eu sou, teria retirado essa máscara que encobria minha verdade, teria desatado o compromisso com o logro, com a burla, teria assumido minha integridade sem divisões, sem fragmentos.

3

Ah! se eu soubesse, de tudo isso… teria menos pressa, olharia mais para a vida, veria mais o nascer do dia, comeria com calma o pão de cada manhã, teria feitos mais músicas e poesias, teria plantado uma árvore, corrido no jardim, deitado no chão e rolado na grama… Teria mergulhado e me perdido no tempo, solto em reflexões sobre os mistérios da vida. Teria me desimpedido de autocobranças, teria me aceitado como sou e aceitado o milagre da vida como ele é.

Ah! se eu soubesse… teria sim renunciado aos hábitos arraigados, as discussões estéreis, a especulação teórica. Se eu soubesse, teria permanecido mais na natureza, observando os pássaros, molhando as mãos no rio, pescado mais peixes, sentindo o vento, me aquecendo ao sol da manhã, sujado as mãos na lama e sentido o frescor da chuva… muito mais vezes. Se eu soubesse que sou um ser em desenvolvimento na essência inesgotável e eterna da vida, teria sido infinitamente mais livre e feliz.

1

Espero Fabio que você seja muito feliz… nesta linda família que está construindo… completando e alegrando mais ainda a nossa grande  família, maluquinha e animada. Saiba que gosto muito de você, viu? (desculpe o nosso início, faz parte dos nossos aprendizados de vida rsrsrs… dar um tempo ao tempo… Tudo passa, renasce e cresce… o nosso amor floresceu… foi só acreditar e querer, eu quis !)... E que tenho muito orgulho de ver você homem amadurecido, sensível e cheio de sonhos que te impulsionam a correr atras de ir conquistá-los… empurrando os medos e que fazem especialmentevocê construir esta linda família feliz, com certeza repleta de história lindas. Basta amor pra começarmos, isso você tem… o resto, corremos atras!

2

Saiba que sempre estarei por perto, conte (m) sempre comigo.

Ofereço esta musica, que eu particularmente adoro, pra você (lembra muito eu e o Zé, a nossa história e desejo imensamente que aconteça com vocês também) ), “Keep it deep within your soul”… vem carregada de sonhos, amor, afeto e esperanças… Sonhos nunca morrem, sabe… aumentam e sempre trazem, novas aprendizagens!! Saiba que é  o que temos de mais precioso na vida. Sonhem, acreditem neles… e amem muito. A magia acontece… Espero que goste:

Obrigada por me dar o privilégio de poder estar sempre com você (s), acompanhando cada desafio e sucesso que a vida lhe traz.

Bia Barco Bus Paris  2015-06-09 19.42.13.jpg

Brindaremos muito juntos ainda. Seja muito feliz! Beijos.

9

 

12

MATURIDADE É USAR O SILÊNCIO… QUANDO O OUTRO ESPERA QUE VOCÊ GRITE!

ENVELHECER 2“Na juventude, aprendemos; na maturidade, compreendemos”. Marie Eschenbach

Fantástico o que Marcel Camargo relata nesta crônica. Sim “caberá a nós manter o controle, o equilíbrio” necessários para vivermos bem e ser feliz, eu já fiz esta escolha faz um bom tempo e você? Leiam:

Seremos testados, em vários momentos, por pessoas destemperadas, seja em relacionamentos, no serviço, em casa, na escola, seja na vida. Muitos criam tempestades e, em vez de tentarem sair delas, desejam trazer para debaixo de seus raios e trovões quem estiver por perto.

Enquanto vivermos, estaremos sujeitos a sermos contrariados por pessoas, por acontecimentos, imprevistos, pela vida. É assim e sempre será, desde que nascemos, até nosso último suspiro. Somos várias pessoas nos encontrando e nos desencontrando em ambientes variados, cada uma com seus pensamentos, objetivos e visões sobre o mundo. Inevitável, portanto, trombarmos com quem em nada concordará conosco, ou até mesmo com quem adore azucrinar a paciência alheia.

Infelizmente, existe muita gente cuidando da vida do outro. Seremos questionados sobre o porquê de não namorarmos, de ainda não termos nos casados, de não termos filhos ou de termos determinada quantidade dos mesmos, sobre o porquê do porquê do porquê, e, pior, por pessoas que mal nos conhecem. Ou seja, muitos nem interesse sincero terão por nossas vidas, estarão apenas curiosos mesmo. Da mesma forma, muitas pessoas farão observações desagradáveis e incômodas sobre nós, deixando-nos desconfortáveis. Haverá quem dirá que engordamos, que envelhecemos; haverá quem nos censurará e nos julgará pelo modo de vida que escolhermos; haverá quem nos repreenderá por alguma atitude que tomarmos. Incrivelmente, mesmo que nosso comportamento não lhes afete de maneira alguma.

- RAIVA

Não se percebem, jamais se responsabilizam pelo que eles próprios provocaram, culpando o mundo, vitalizando-se e espalhando discórdia por onde estiverem.

Caberá a nós manter o controle, o equilíbrio, para que não nos permitamos adentrar a doença do outro, para que não nos molhemos sob tempestades que não são nossas. Teremos que tentar ajudar quem estiver pronto a ouvir, porém, o silêncio será sempre a melhor resposta a quem espera e aguarda pelo nosso destempero, pois assim é que neutralizamos todo o mal que nos rodeia. Isso é maturidade e autopreservação. É sobrevivência.

Fonte: http://www.resilienciamag.com/maturidade-e-usar-o-silencio-quando-o-outro-espera-que-voce-grite/

A MÃE SÁBIA FAZ-SE DESNECESSÁRIA COM O PASSAR DO TEMPO…

“Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado…” Jackson César Buonocore . 

Hoje é aniversário de minha irmã Rosaly – Zaí para mim… ela mora em Salvador com sua família, mas sempre que pode, esta aqui em São Paulo conosco visitando o resto da família, comemorando algo ou trabalhando… Vamos muitas vezes pra lá também, brindar com ela e matar as saudades… somos acalorados, festeiros e comilões… recebidos com o imenso amor dela e de sua família. Difícil é nos despedirmos. Nos esforçamos pra que isso aconteça sempre, cada vez mais!

Aproveitamos estes momentos pra juntar as famílias e muitas vezes fazemos o “Encontro só com os Irmãos” que tem sido super importante e cada vez mais valorizado por nós 4 (já disse que somos 4?). Nos “Encontros dos Irmãos” refletirmos juntos sobre as questões que a vida nos traz, abrindo nossos corações e compartilhando nossas dores e alegrias…  Temos muito mais o que brindar!

Cada irmão tem sua exclusiva forma de agir e pensar e são justamente nestas diferenças que nos encontramos, nos fortalecemos e aprendemos juntos um com o outro, dia a dia, ano a ano. Confesso que estamos caminhando… (damos algumas escorregadas as vezes) e melhorando cada vez mais, principalmente em relação a “falar e ouvir o outro”. Como um exercício de vida, respeitamos cada vez mais… estas diferentes formas de  pensar e agir de cada um de nós… afinal somos de gerações diferentes e temos experiências variadas. Um aprendizado rico! Percebo que a escuta é curativa nos aliviando de tudo, trazendo uma calmaria, um aconchego e uma certa paz e não sentíamos mais, quando estamos sozinhos…

irmãos 4

Ofereço pra você minha irmã… esta belíssima crônica de Márcia Neder (onde concordo plenamente com cada linha, sem tirar nem por),  penso que me ajudou muito e com certeza pode te ajudar também… especialmente como grande mãe que és e zelosa com toda a família… Importante ler agora que seus filhos estão crescendo e querendo “bater asas”… é bom pra refletir.

Sempre acreditei que “criamos nossos filhos para o mundo”, e olha que ele é muito grande! Às vezes é grande até demais (um dia você também já passou por isso, lembra?). Estou sentindo isso especialmente agora na pele rsrsrs. Este é o nosso maior desafio com certeza, como mãe… mas também é o que nos dará maior sentimento de realização, não tenho duvidas… Acredito que “vendo-os bater asas em seu próprio voo” … e ganharem o mundo, de alguma forma, nós voaremos com eles!

Sempre estaremos juntos, quando temos muito amor pra dar e receber (digo que vale a pena cada noite mal  dormida)… uma reciprocidade construída ao longo dos tempos.  Nós, estaremos daqui torcendo muito e acompanhando tudo de pertinho (sempre com o coração batendo forte)… embora estando longe, mas só fisicamente… estaremos mais perto do que nunca. Felizes vamos participando de tudo e nos realizando através de seus sonhos. Sonhos que de alguma maneira, são nosso também né? Somos a raiz de tudo o seu “porto seguro”! Leia:

A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara. Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.

IMG_4078.JPG

Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso. Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical.

A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho.

Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.

Pai e mãe – solidários – criam filhos para serem livres. Esse é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.

Penso também como Dalai Lama:

“Dê a quem você ama :

– Asas para voar…

– Raízes para voltar…

– Motivos para ficar… “

Gostou?

Espero ter conseguido fazer isso plenamente… me esforço bastante.  Hoje tenho 4 filhos, dois de sangue e dois escolhidos pelo coração, de meu segundo marido. Amo-os demais. Dois já foram morar fora do Brasil (na Europa), outra prepara-se para ir embora também para o EUA. Com nossa realidade atual, que  vivemos aqui no Brasil  tanto  politicamente como economicamente… falta de segurança e muitas corrupções,,, o que dizer? Tudo isso fizeram com que eles “batessem as asas” e galgassem o mundo, indo construir suas vidas com suas famílias, num local que lhes dessem uma melhor qualidade de vida, do que a que temos aqui. Eu (e eles) sempre estamos nos falando, atualmente com os recurso da internet, isso tem me ajudado a matar um pouco as saudades deles… também vou visitá-los sempre que posso e vice versa.

Zai

Desejo a você, minha irmã um feliz aniversário… você tem muito o que comemorar… e que seu sonhos sejam realizados. Te amo muito viu?. Conte sempre comigo, tá?

Crônica de Márcia Neder (embora apareça na internet com diversas autorias, a autoria mais provável e acredito ser, é desta jornalista).