ENQUANTO NÃO HÁ VACINA PARA COVID-19, AQUI 11 CUIDADOS INDICADOS POR UMA MÉDICA.

Mesmo sem controle da pandemia de COVID-19, diversos países já deram início ao processo de retomada da “vida normal”. Com isso, os cuidados tomados ao sair na rua devem ser redobrados – e a médica epidemiologista Denise Garrett deu conselhos simples sobre quais locais evitar e de que forma é possível tornar interações com outras pessoas menos arriscadas. Médica dá dicas para prevenir o novo coronavírus. Mesmo com a reabertura de comércios e a retomada de serviços não essenciais em alguns locais, é importante lembrar que o SARS-CoV-2 ainda está circulando em meio à população – especialmente no Brasil, cujo número de casos segue aumentando diariamente. Sendo assim, a necessidade de preveni-lo ainda é uma realidade, e Denise, que também é cientista e vice-presidente do Sabin Vaccine Institute, deu dicas simples de como agir.

Em um fio no Twitter, a médica afirmou que qualquer interação com outras pessoas ou ida a locais públicos deve ser considerada como uma potencial fonte de exposição ao vírus, e a chave para reduzir os riscos nestas situações é limitar o tempo de exposição e a carga viral recebida. Para fazer isso, a epidemiologista indica as seguintes medidas:

1. Dê preferência a ambientes abertos

Em locais abertos, as gotículas com vírus emitidas no espirro e na tosse de pessoas contaminadas se dispersam com mais facilidade e, por isso, é menos arriscado ficar ao ar livre. Caso haja a necessidade de ir a um ambiente fechado (como um supermercado, por exemplo), o ideal é optar por um que seja ventilado.

2. Mantenha distância de dois metros e evite contato físico

Segundo a médica, por enquanto, o contato físico por meio de apertos de mão, abraços e beijos segue sendo algo contraindicado – e a distância segura a se manter de outras pessoas é de dois metros.

3. Evite conversar com outras pessoas por mais de 15 minutos

Com a retomada das atividades, é natural que as pessoas precisem interagir umas com as outras de alguma forma. Nesse caso, Denise aconselha que estes momentos tenham, no máximo, de dez a quinze minutos. Apesar de não ser algo totalmente seguro, limitar o tempo de exposição ao vírus diminui os riscos de contágio.

4. Evite banheiros públicos

Neste momento, qualquer área pública está sujeita a contaminações, mas, como os banheiros concentram fluidos corporais, a médica aconselha evitá-los.

5. Evite horários de pico nos estabelecimentos

Caso seja preciso ir, por exemplo, ao supermercado, é indicado evitar os horários e dias em que ele está mais cheio, para reduzir os riscos de entrar em um ambiente mais contaminado.

6. Use máscara

Com exceção da máscara do tipo N95 e similares, as máscaras não bloqueiam totalmente a inalação de partículas contendo o vírus, mas usá-las diminui a carga viral recebida. Quanto mais pessoas usarem, menos vírus chegam ao ambiente, e essa carga viral inalada por outras pessoas fica menor ainda.

7. Mantenha a higiene das mãos

Principal recomendação feita por órgãos de saúde desde o início da pandemia, lavar as mãos com água e sabão frequentemente e higienizá-las com álcool gel 70% caso não seja possível lavar segue sendo algo extremamente indicado quando se fala em prevenir COVID-19.

8. Tenha um ventilador atrás de você no trabalho e mantenha janelas abertas

Para quem tiver de retornar ao local de trabalho, a médica aconselha desinfetar superfícies tocadas frequentemente e manter o ambiente o mais arejado possível, deixando as janelas abertas. Ela indica até, se possível, posicionar um ventilador atrás de você ou da sua mesa, de forma que o ar novo e limpo seja direcionado a você o tempo todo.

9. Prefira escada no lugar do elevador

Segundo a epidemiologista, é aconselhado evitar ao máximo áreas comuns no ambiente de trabalho e preferir usar as escadas aos elevadores, já que há menos circulação do ar no último.

10. Procure se sentar perto da janela no trasporte público

No transporte público, a médica aconselha, se possível, evitar horários de pico para fugir das aglomerações. Além disso, é indicado evitar interações desnecessárias, usar máscara, ficar perto de uma janela, não tocar o rosto, usar álcool gel 70% e lavar as mãos assim que chegar ao destino. Se for possível, a médica também indica o uso de óculos de proteção.

11. Evite principalmente 7 lugares

Apesar da reabertura do comércio e de locais de lazer, a médica aconselha ficar longe de:

1. igrejas;

2. restaurantes e bares que não sejam ao ar livre;

3. eventos grandes;

4. festas;

5. salões de beleza;

6. cinemas, teatros, shows ou cruzeiros e

7. idas desnecessárias a hospitais e serviços de saúde.

SIM, ESTÁ MELHOR DO QUE EU PENSAVA…

A primeira metade da vida é muito boa, mas da metade pro fim pode ser ainda melhor, se a gente aprendeu alguma coisa com os tropeços lá do início.

Que o pensamento é uma aventura sem igual.

Que é preciso abrir a nossa caixa preta de vez em quando, apesar do medo do que vamos encontrar lá dentro.

Que maduro é aquele que mata no peito as vertigens e os espantos.

Como Martha Medeiros nos diz, sim pode ser melhor ainda rsrsrs

OI SENHORAS, TUDO BOM? BLOGUEIRAS IDOSAS FAZEM SUCESSO NA WEB.

Elas são fotogênicas, #estilosas, têm milhares de #seguidores (que aumentam dia a dia) e provam que carisma e estilo jamais #envelhecem.

Elas são #autênticas e não têm medo de expor seus melhores ângulos. Seus perfis nas redes sociais estão recheados de looks coloridos, poses cheias de atitudes e elogios dos #seguidores. A descrição bate com o estilo de vida de muitas jovens #blogueiras, mas, com mais de 60 anos, estas #influenciadoras estão nas redes para provar que #elegância e carisma jamais #envelhecem e também merecem o seu like!

Aos 64 anos, a designer de joias Sarah Jane Adams é categórica ao falar sobre seu sucesso: “É menos sobre as roupas, e mais sobre a atitude”. Sua carreira como influenciadora teve início em 2014, quando foi fotografada em uma jaqueta esportiva para divulgar sua coleção de joias.#saramaijewels

No caso de Sarah, suas roupas são o reflexo de sua atitude jovem e destemida. Em uma bomber colorida ou um vestido estruturado, ela prova que peças e tendências não têm idade. Com quase 200 mil seguidores no Instagram, a influenciadora atende por @saramaijewels

Dona de um sorriso radiante, looks acessíveis e uma emocionante história de superação, a brasileira Sueli Rodrigues, do @blogdasu70, começou a publicar suas fotos por incentivo de uma amiga próxima após vencer um câncer em 2017. Com 70 anos e 28 mil seguidores, Sueli dá um show de autoestima, “provando que beleza e estilo não têm idade”. Esta paulista é um sucesso como blogueira de moda.

Com esse semblante alegre, nem parece que ela passou por tantos percalços. #suelirodrigues #blogdasu70

Sueli se derrete pelos fãs, a quem carinhosamente chama de “seguimores”: “Tenho seguimores de todos os tipos, tamanhos e cores, adoráveis e amorosos. Para mim, é um aumento na #autoestima, que nunca foi baixa”. Ela conta que prefere #looks casuais e práticos, só compra suas roupas em lojas jovens, e ainda deixa um conselho às #seguidoras.

“Não existem roupas que sejam proibidas, sempre dentro de uma certa noção do nosso corpo. Vestiu? Se sentiu bonita? Desfila seu poder. Mas não se esqueça de colocar um brinco e um batom”. “O que mais vale é a saúde, é poder viver planamente seu dia e se sentir bonita. O #empoderamento para a mulher é a saúde”, declara ela. Sueli ainda trabalha na Câmara Municipal de Itu e já está ganhando dinheiro com seu blog. Sueli Rodrigues é o maior exemplo que dá para se #reinventar na #terceiraidade.

Aos 84 anos, a ex-coelhinha da Playboy Dorrie Jacobson (#seniorstylebible) (@seniorstylebible) não se conformou em deixar o posto de beldade no passado: “A noção de que as mulheres precisam se vestir de uma maneira apropriada parece sempre absurda para mim”.

Em ensaios de #lingerie publicados nas redes sociais, ela faz questão de mostrar que não abre mão de sua #sensualidade.

Dorrie não faz o tipo que se vale da glória do passado. A blogueira famosa também dá dicas de moda em sua página e sabe como adotar um visual elegante e colorido.

Aos 97 anos, Iris Apfel (@iris.apfel) é um verdadeiro ícone #fashion nova-iorquino. Dona da empresa têxtil Old World Weavers, a quase #centenária foi a primeira pessoa viva a ter seus acessórios expostos no Metropolitan Museum of Art, em Nova York. #iris.apfel

Seus colares e pulseiras pesados são um complemento para os espalhafatosos casacos de pele, no melhor estilo coroa milionária.

Apesar de ter um visual difícil de ser copiado pelas brasileiras, Iris Apfel ainda tem muito a ensinar sobre como criar um visual inesquecível. No caso dela, os óculos redondos funcionam como marca registrada de sua #elegância e ousadia.

A canadense Melanie Kobayashi (@bagandaberet) estreou como modelo aos 55 anos de idade e, desde então, colabora com várias grifes. Além de fazer sucesso no Instagram, Melanie também mantém um blog de moda e um canal no Youtube, nos quais dá dicas de estilo a seus seguidores. #bagandaberet

Em sua página principal, ela conta que tira foto dos próprios looks com um tripé. Despojada dos pés à cabeça, ela não hesita em assumir os fios brancos com penteados modernos, e diz que o segredo da elegância está em sua personalidade: “Minha positividade e humor podem ser contagiantes”.

Fonte:

https://lifestyle.r7.com/moda/fotos/oi-senhoras-tudo-bom-blogueiras-idosas-fazem-sucesso-na-web-24082019?amp

COLEÇÃO DE LINGERIE PARA QUE MULHERES QUE PASSARAM DOS 60 ANOS.

Encontrar uma moda para quem tem mais de 60 anos é muito difícil. Tanto no Brasil como no mundo, estamos envelhecendo rapidamente mas, essa nova realidade não se traduz ainda nas passarelas.

Ainda bem que a paulista Helena Schargel está apresenta a sua segunda #coleçãodelingerieparamulheresmaisvelhas.A primeira foi um grande sucesso!

Uma coisa que eu adoro é o fato de ela ter insistido em ser ela mesma a modelo com 80 anos. Demais isto! Helena teria insistido, inclusive, que as suas fotos fossem o mais natural possível, sem o uso do chamado “photoshop” para retocar as imagens. Esta ousadia e liberdade dela mostra o quanto somos diferentes e nos aceitamos no envelhecer. Sensacional! O resultado, está aqui: uma coleção de muito bom gosto, divulgada por uma grande modelo. Leiam:

A modelo e estilista paulista Helena Schargel, 79, acaba de lançar sua segunda coleção de lingeries voltada para mulheres acima dos 50 anos. “São peças confortáveis, mas sexy e coloridas. Afinal, somos lindas e temos visibilidade, sim”, afirma. Cansada de ficar em casa após um ano de aposentadoria — ela trabalhava como criadora de marcas femininas —, Helena ofereceu a ideia em dezembro passado à etiqueta Recco.

“Estipulei que eu precisava ser a garota-propaganda, e nada de usar Photoshop na campanha. Viva a mulher real!” Helena também virou palestrante motivacional e prepara uma linha de roupas esportivas, além de contar com outras novidades na vida pessoal. “Estou viúva há sete anos. Recebo muitas cantadas no Instagram, mas meus filhos têm ciúme”, diverte-se.(Fonte:Veja)

Em dezembro, quando anunciou que lançaria a coleção, Helena Schargel deu esta entrevista para O Globo

“A paulista Helena Schargel é uma mulher à frente do seu tempo. Durante mais de quatro décadas, ela trabalhou na fábrica de tecidos Berlan.

— Para a minha época, trabalhar fora era uma atitude bastante ousada. Durante um tempo, também tive um restaurante — diz Helena. —Há dois anos, deixei tudo em ordem e resolvi sair da fábrica.

Depois de passar um ano fazendo terapia, pilates e os mais diversos cursos, a estilista idealizou o seu próximo passo.

— Um belo dia, num encontro de pessoas de mais de 50 anos, perguntaram-me qual era o meu projeto. Respondi imediatamente: “uma coleção de lingerie 60+”. Na saída do evento, um grupo de meninas de 70 anos veio me perguntar onde poderiam comprar as peças.

No dia seguinte, Helena diz ter acordado com a coleção completa na cabeça:

— Liguei para a Myriam Recco, diretora de criação da Recco Lingerie, e perguntei se ela se interessava na proposta. Disse também que queria ser a imagem da coleção e que fazia questão de que as minhas rugas aparecessem.

Segundo ela, as peças unem praticidade e sensualidade:

— O meu maior propósito é tirar as mulheres dessa faixa etária da invisibilidade. As pessoas estão vivendo mais, porém, não sabem o que fazer com esse presente.

A coleção, que tem lingeries diurnas e para a noite, também conta com uma linha de pijamas.

— Que vão da cama para a rua — explica Helena, empolgada com o lançamento.

Veja melhor ela aqui:

#reccolingerie #helenaschargel #lingerieparaacimadis60 #envelhecerdebemcomavida #modaparaterceiraidade #lingerieparamulheresmaduras #envelhecercomestilo

QUE MULHER EU SOU…

Como diz Martha Medeiros faço parte de uma nova geração de mulheres, sempre fortes e guerreiras… Gosto desta crônica dela:

Sempre que chega próximo ao “Dia Internacional da Mulher”, procuro fugir do discurso de vitimização que a data invoca. Não que estejamos com a vida ganha, mas creio que as mulheres já mostraram a que vieram e as dificuldades pelas quais passamos não são privilégios nossos: injustiça e violência são para todos.

Prefiro aproveitar a data, esse ano, para fazer um brinde à nossa importância não para a sociedade e a família, mas umas para outras. Assistindo ao delicado filme “Caramelo”, tive a sensação boa de confirmar que o tempo passa, os filhos crescem, os corações se partem, mas amigas ficam.

Como todos os filmes que abordam a amizade e a solidão intrínseca de toda mulher, Caramelho nos consola valorizando o que temos de melhor: a nossa paixão, a nossa bravura e o bom humor permanente, mesmo diante de tristezas profundas.

Precisamos de mulheres à nossa volta. Amigas, filhas, avós, netas, irmãs, cunhadas, tias, primas. Somos mais chatas do que os homens, porém, entre uma chatice e outra, somos extremamente solidárias e companheiras de farras e roubadas. Competitivas?! Talvez, mas isso não corrompe em nada a nossa predispoisção para o afeto, o nosso abraço na hora da dor.

Aprendemos a compartilha nossas virtudes e pecados e temos uma capacidade infinita para o perdão. Somos meigas e enérgicas ao mesmo tempo, o que perturba e fascina os que nos rodeiam.

Brigamos muito, é verdade: temos unhas compridas não por acaso.

Em compensação, nascemos com o dom de detecção do sagrado nas pequenas coisas, e é por isso que uma amizade iniciada na escola pode completar bodas de ouro e uma empatia inesperadapode estimular confidências nunca feitas. Amamos os homens, mas casadas, mesmo, somos umas com as outras.

PILATES… COMECE JÁ!

Este ano #priorizei o que venho enrolando a mais de 60 anos rsrsrs. Não dá pra adiar mais. Só #caminhadas, não serão suficiente pra me dar mais disposição… resolvi me #movimentar mais.

Depois de experimentar algumas aulas na academia, gostei muito do Tai Chi Chuan e do Pilates. Comecei em fevereiro. Estou empenhado, disciplinada e focada… e estou adorando. #pilates

Pilates é um conjunto de exercícios criados pelo alemão chamado Joseph Pilates, em meados de 1920, que são realizados nos Solo e/ou em Equipamentos exclusivos.

Visa o total e completo controle e conexão entre “corpo e mente”. Ele chamou seu método de “contrologia”, ou arte de movimentos controlados, enfatizando três aspectos importantes: força, flexibilidade e consciência.

O Método ainda garante um condicionamento físico e pode ser usado para a reabilitação física ou como alternativa fitness (que é o meu casa rsrsrs) e até mesmo o emagrecimento e a definição muscular. Promove um aumento da qualidade de vida!

Aqui as aulas são com horário marcado (1h) e com poucas pessoas na sala. Normalmente começo praticando o Pilates no chão (Mat Work) bem variados com foco na minha necessidade (melhorar minha força muscular e a dor nos joelhos) e em seguida realizo exercícios em Grandes e Pequenos Aparelhos.

O aparelho que mais gosto é o Reformer. Também faço uso dos outros aparelhos que tem lá na academia são o: Cadillac, Ladder Barrel e Pedi-Pole…

Saiba mais aqui:

http://krdojoacademia.com.br/

TERCEIRA IDADE – DESFILANDO LINDA LEVE E SOLTA EM PARIS !

Simplesmente maravilhosa!!!

Aos 74 anos, Hellen Mirren apostou no conforto para #desfilar na semana de moda de Paris, numa tarde de domingo (30/09/2019).

Descalça, a atriz #veterana cruzou a #passarela com um vestido longo esfoaçante preto e branco, chamando a atenção dos presentes devido a sua simpatia e através de seus pulinhos, encantando a todos.

Foi no desfile da L´oreal Paris que levou também para a apresentação nomes como a cantora Camilla Cabello e as atrizes Andie McDowell e Evan Longoria. 

Se eu pudesse escolher gostaria de desfilar assim como ela, jogando todos os padrões convencionais ao vento e mostrando toda a alegria do meu #envelhecer, sem #invisibilidade!

Somos todas #empoderadas!!!

MORRE LENTAMENTE QUEM…

BIA SO

“Escolhi viver a vida intensamente deixando que o destino faça o resto…” Aline M. Medeiros

Sempre penso que a vida é realmente bela… cheia de desafios… e muito curta!

meditando 3

Não tenho medo de morrer… tenho pena é de não viver! Quero falar de vida! Viver a vida… intensamente vivida!  Nunca quero dizer “se eu tivesse”… Nunca mesmo!!!! Veja o que Martha Medeiros nos diz:

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.

Relógio-3-624x624

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos,
quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor
ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

feliz-terceira-idade

Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o negro sobre o branco
e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções
justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

grisalho-e-feliz-6

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,

não pergunta sobre um assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Morre lentamente…

MODA: FAÇA DO ESPELHO E DO BOM SENSO OS SEUS MELHORES AMIGOS.

Constanza Pascolato

“Sempre digo que na moda é proibido proibir”. Constanza Pascolato.

        Considerada a papisa da moda no país, Costanza Pascolato levou seis meses para selecionar estampas e compilar dicas para a publicação mais recente, Meu caderno de estampas (Editora Planeta, R$ 34,90). Dos tecidos para o papel, migraram as estampas preferidas da consultora, todas produzidas pela tecelagem de sua família, a Santaconstancia.       Apesar das dicas distribuídas entre quase todas as páginas, a consultora declara: “Sempre digo que na moda é proibido proibir. Vejo, por exemplo, mulheres da minha idade felizes da vida usando minissaias, saltos altíssimos ou jeans justérrimos, desconstruindo, à maneira delas, o que antes parecia impossível. Não sou eu quem vai dizer que pode ou não pode”.

Ela aproveitou a última edição do São Paulo Fashion Week, em outubro, para lançar o livro, que reúne, ainda, conselhos de estilo, comportamento e bem estar. Um copo d’água em jejum e uma calça jeans básica são, segundo Costanza, indispensáveis. Gentileza e amor próprio também. Em entrevista exclusiva ao Viver, a especialista falou sobre as redes sociais, a febre dos livros de colorir e a importância do estilo próprio. “Estilo distingue quem espelha de quem irradia. Ele nos dá sentido de competência, prazer e segurança. Transcende tempo e gênero e – por que não? – a própria moda”, analisa.

– Quanto tempo levou para produzir Meu Caderno de Estampas? E como selecionou as estampas/imagens?
Foram seis meses entre a ideia original e a execução do projeto, que envolveu as equipes da Santaconstância e da editora Planeta. No dia a dia da fábrica, trabalhamos exatamente com criação de estampas e cores, sempre pensando algumas estações à frente, numa dinâmica que é acelerada, bem rápida, mas ao mesmo tempo uma tarefa contínua, ou seja, já fazemos isso, diariamente, há muitos anos. No caso do livro-caderno, o critério de seleção, que incluiu desenhos de acervos e novas criações, acabou sendo bem pessoal e, além de editar nossas estampas prediletas, pensamos de um jeito mais intemporal, já que o livro foi feito para durar, para guardar. Lembrar que as imagens seriam impressas em papel, não em tecido, foi outro aspecto importante. São estampas e desenhos de que gostamos muito e que imaginamos continuar gostando daqui a alguns anos. E tem também uma boneca, que é uma graça, para que cada um monte um look, a exemplo daquelas revistinhas das infâncias pré-digitais, de um passado que hoje parece bem distante. O legal é que esse recurso fashion-lúdico ainda parece muito atual.

Constanza Pascolato 3

– É uma ideia inspirada na febre dos livros de colorir? Ou acredita que, com as dicas de moda anexadas na publicação, seja um livro atemporal?
De alguma forma, a possibilidade de realizar o livro-caderno tem a ver, sim, com a “moda” dos livros de colorir, que viraram uma “febre” editorial. Surgiram tantos projetos com temáticas tão diferentes que nos pareceu legítimo criar uma versão com o que, na origem, é também nossa matéria-prima criativa na fábrica. Temos intimidade considerável com estampas e cores e documentar e compartilhar essa expertise num livro-caderno era uma ideia bem simpática e, melhor ainda, viável. As dicas são uma citação de conteúdo, que também adoro produzir.

– Um dos ganchos do lançamento foi a última edição do São Paulo Fashion Week. Qual a sua rotina durante as semanas de moda, nas quais sempre marca presença? O lançamento do livro tornou a agenda mais concorrida?
Lançamentos de livros são ocasiões sempre especiais para mim. É hora de encontrar pessoas e amigos que você não vê corriqueiramente e conhecer pessoas que, por algum motivo, acompanham nosso trabalho. Mas sempre é um corre-corre. Nas semanas de moda, que é o momento “célebre” para a moda e para quem trabalha com ela, invariavelmente priorizo, no Brasil ou na Europa, os desfiles, me organizando para conseguir estar na maioria deles. É uma agenda que depende de disciplina, logística e algum esforço, sobretudo quando já está, digamos, numa idade avançada.

– Se pudesse destacar, em linhas gerais, algumas dicas reunidas na publicação, quais seriam as duas ou três principais?
Acho que perderia um pouco o elemento surpresa para quem tem curiosidade com o livro, não:. Duas ou três dicas mais genéricas, pode ser? A primeira: na hora de comprar roupas e se vestir, faça do espelho e do bom senso seus melhores amigos; 2. tente ser só você mesma, sem querer imitar gratuitamente outra pessoa, e 3. lembre-se que corpo e cabeça bem cuidados podem ser o reflexo mais evidente do quão em dia você está com a moda.

Constanza Pascolato 1

– Outros nomes ligados ao universo fashion – produção e bastidores – como Ronaldo Fraga e o pernambucano Arlindo Grund – têm movimentado a literatura com lançamentos nos últimos meses. Que contribuições a moda traz ao público-leitor, quando encartada em livros e acessível ao público que não frequenta as semanas de moda?
Para um país como o Brasil, que não tem tradição ou bibliografia de moda, o que começa a se formar agora, publicações e lançamentos são mais que bem vindos. Assim, contribuições de nomes respeitáveis como Fraga e Grund são referências concretas de que, apesar de ser uma paixão recente, a moda interessa cada vez mais brasileiros de todas as regiões, de diferentes classes sociais. E é muito bacana quando, em plena revolução virtual, o caráter documental dos livros continue enriquecendo nossos acervos. Livros, ideias, pontos de vistas e iniciativas que nos fazem pensar são fundamentais para lembrar que educação, informação e conhecimento são os pilares sociais da experiência humana e deixam a vida muito mais interessante. (Fonte: Diário de Pernambuco).    Clique aqui para ler mais. http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2015/11/12/internas_viver,609902/faca-do-espelho-e-do-bom-senso-seus-melhores-amigos-diz-costanza-papisa-da-moda-no-brasil.shtml

Fonte: http://www.50emais.com.br/historiadevida/moda-faca-do-espelho-e-do-bom-senso-os-seus-melhores-amigos/

AMA SUA CAMISA DE SEDA? GLORIA KALIL indica as melhores maneiras para fugir da caretice da peça

Gloria kalil 1

Tenho um pouco de dificuldade para usar a “camisa de seda”… acho muito elegante, mas sempre fico em dúvida em como combinar e deixá-la mais leve. Mas com as dicas de Gloria Kalil ficou bem mais fácil… Leia o artigo…

É como dizem: os clássicos nunca saem de moda. E se tem um clássico que insiste em marcar presença no armário das mulheres, é a “camisa de seda”. A peça remete imediatamente a uma imagem mais séria, com clima de roupa de trabalho. Mas também carrega uma carga inevitável de caretice… tudo vai depender da forma como você usa…

Pensando nisso, Gloria Kalil aponta os melhores jeitos de fugir do visual uniforme e como modernizar seu look com camisa de seda. Veja as dicas de como conseguir um visual mais despojado e moderno neste artigo.

Uma das peças mais presentes no guarda-roupa feminino, as camisas de seda podem te deixar a um passo do look uniforme. “É muito difícil usar uma camisa de seda tradicional, com colarinho, sem parecer uniforme de recepcionista ou aeromoça. A menos que você quebre tudo com uma modelagem diferente, um decote ou cores fortes”, diz Gloria Kalil

 camisa de seda  10               camisa-de-seda-- 01

As cores são bem vindas para dar uma cara mais divertida. “As coloridas” tem uma certa modernidade. Se você gosta e quer usar uma camisa de seda, que pelo menos ela seja sem o colarinho, em tamanho maior e que tenha “uma cor”.               

           camisa de seda  15        camisa de seda 4

A modelagem mais solta sempre ajuda e pode deixar as composições no intermediário entre o moderno e sério. “Vamos dizer que porque elas estão usando uma camisa em um tamanho maior e tudo é meio largado e mole, dá uma certa displicência – o que quebra um pouco o visual convencional”.

camisa de seda 1       camisa de seda 8

Mesmo tentando usar elementos mais chamativos, algumas produções acabam caindo na severidade. “Essa é uma camisa que envelhece… você precisa ser jovem e mesmo com uma coisa mais criativa em volta, como a saia de couro vermelha, é difícil neutralizar o look uniforme de uma camisa de seda”.

                      camisa de seda  17           camisa de seda  12

Miranda Kerr é uma das adeptas à maneira mais convencional de usar a camisa de seda. “Este é o auge do convencional; usada com blazer, jeans e bege. Não há complemento, como acessórios, que dê conta de dissolver a ideia de convencional que estes looks passam”.

Fonte: http://chic.uol.com.br/como-usar/noticia/ama-sua-camisa-de-seda-gloria-kalil-indica-as-melhores-maneiras-para-fugir-da-caretice-da-peca