“QUERO REPENSAR QUEM SOU, ENTENDER COMO QUERO ENVELHECER”.

img_4039

“Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos você tem?” É inevitável, ninguém tem como escapar”.

Chega uma hora, mais cedo ou mais tarde, que a gente começa a pensar na morte. A partida do Sr. Ninno me despertou para a morte. Quando isso me aconteceu e com a minha maturidade começou a surgir o processo de reflexão sobre a finitude… sobre meu tempo de vida na terra. Envelhecer e morrer. Tenho lido mais e participado de alguns palestras, sobre o assunto… tentando enxergar que assim como tudo começa…. um dia acaba. A morte é fato! Um assunto sempre evitado, mas que devemos (re) pensar , a população tem envelhecido a medicina tem evoluído… e devemos aprender também sobre morte.

Li recentemente na revista Trip, uma entrevista (2017) de Nathalia Zaccaro com Vera Holtz, 65, onde ela conta sua reflexão sobre a morte, achei muito interessante. Leia:

Em seu último trabalho, Vera Holtz interpreta uma bruxa que disputa com a morte o controle de destinos no filme “Malasartes e o duelo com a morte”, que estreou no ano passado e tem Jesuíta Barbosa, Isis Valverde e Julio Andrade no elenco. Ao contrário de sua personagem, Vera não acredita que os caminhos de sua vida tenham sido determinados por qualquer outra força além da sua própria. “Não sou mística, não tenho fé em nada disso, adoro estudar esses mitos e entender porque precisamos deles, mas sou pragmática, fui eu quem decidiu meu destino”, diz.

Depois da exaustiva turnê de lançamento do filme, ela decidiu dar um tempo no trabalho e pensar por onde quer levar seus caminhos daqui para frente. “Quero me investigar, repensar quem sou eu, entender como quero envelhecer. Bem ou mal a velhice é um tempo de espera, é a zona da morte”, reflete. Em julho de 2017, Teresa Holtz, irmã mais velha de Vera, faleceu e despertou na atriz reflexões profundas sobre a finitude da vida. “Foi como um alerta, uma ruptura que me chamou atenção para importância de descobrir o que ainda quero explorar no meu tempo.” Em 2015, Vera se dedicou às gravações de um filme sobre a história de sua família, em que interpreta sua mãe, Terezinha Holtz. “O longa, chamado As quatro irmãs, ficou pronto agora e minha irmã partiu em seguida, aos 69 anos. Eu tenho 68 hoje. Brinco que essa fase é uma espécie de pós-produção da vida, não significa que vou ficar paralisada, só que vou deixar tudo do jeito que eu quero.”

Vera Holtz aos 65: Velhice é um tempo de espera, é a zona da morte.

Da última vez que Vera resolveu dar um tempo das novelas, há dois anos, ela teve uma ideia que transformou a maneira como se relaciona com sua criatividade, e também com seus fãs: a criação de uma conta no Instagram. Em uma das fotos que publicou, ela aparece com uma melancia enfeitada com azeitonas enfiada na cabeça; em outra, um rabo de peixe sai pela boca da atriz. “No começo achei que eu não fosse ter paciência, mas foi um canal que se abriu pra mim, um espaço onde posso explorar formatos, foi uma grande descoberta. O que mais me interessa é o contato com as pessoas que estão ali, o exercício de tolerância, de convivência com as diversas opiniões que aparecem o tempo todo.”

Vera tem mais de 1 milhão de seguidores que a definem nos comentários dos posts como uma diva lacradora da internet. “Deram o nome de Vera Viral para essa identidade performática que criei, vou continuar com as postagens, esgotar essa fórmula que faço agora, sentada na cadeira com fundo branco, e depois inventar outras coisas, criar.”

A sensação de conter dentro de si mais de uma mulher define como Vera enxerga seus relacionamentos. “Eu gosto de multiplicidade. Se eu determinei que posso ter múltiplas identidades claro que posso ter múltiplos parceiros. E tive. Não sei se foi em função de alguma decepção na adolescência, pode ser isso ou por qualquer outra coisa, não quero entender. É o que é”, explica.

vera

A certeza do que quer passa pela decisão de não ter filhos — certeza que existe desde os seus 13 anos, quando avisou sua mãe que não esperasse netos vindos dela. “Caiu o mundo quando falei. É um horror a pressão em relação a isso, mas sempre soube que poderia ter outros interesses, que ser doméstica não é a única opção, a profissão pode completar uma mulher. Tive exemplos libertadores que me mostraram que eu poderia ser o que quisesse ser — eu queria ser atriz e acho que consegui.”

A possibilidade de bancar suas vontades, especialmente aquelas que não coincidem com o que se espera dela, é fruto de muita batalha. “Minha geração lutou bastante por causas feministas. Agora existe um neofeminismo, meninas de 15 anos que já entendem a importância de falarmos sobre isso”, conta.  “O que gosto desse novo olhar sobre o assunto é que agora estamos em busca da emancipação individual de cada uma. Nós mulheres não somos um blocão, existem mulheres trans, por exemplo, cada uma tem sua história. E estamos aí dizendo como queremos ser vistas, como queremos ser tratadas.”

Em novembro, Vera dará vida a uma dona de boate lésbica em Berenice procura, filme de Luiz Alfredo Garcia-Roza, em que contracena com a modelo trans Valentina Sampaio. “Me aproximei dessa temática e está claro para mim a importância de conversarmos mais, conhecermos mais sobre as vidas umas das outras”, afirma. A atriz usou sua persona Vera Viral, aquela lacradora do Instagram, e chamou atenção para a causa com um post em que segura uma lousa que diz “sou uma mulher trans e quero dignidade e respeito”.

Os longos cabelos brancos que exibe são reflexos da vontade de exaltar suas próprias particularidades enquanto mulher — e uma mulher velha. “Não tenho problema nenhum com essa palavra, não tenho medo da morte. Gosto do meu cabelo desse jeito porque ele revela a idade do meu corpo. É legitimo esse meu corpo, minha pele, meu rosto”, reflete.

Os fios brancos são herança de uma personagem do filme Família vende tudo, de 2011, quando o diretor Alain Fresnot pediu que Vera pintasse o cabelo para viver uma senhora um tanto descuidada. “Fiz uma decapagem e ficou lindo, fashion, aquele branco deslumbrante. Alain me disse: assim não dá. Tive que tirar. Depois disso, quando cresceu de novo, natural, adorei”. Ela acredita que é a cabeleira branca que ilumina seu rosto, mas as várias Veras que a atriz cultiva em si não dependem de nada para lacrar.

Nunca deixamos de aprender!

Saiba também: https://oterceiroato.com/2018/03/25/morrer-nao-se-improvisa-relatos-que-ajudam-a-compreender-as-necessidades-bel-cesar/

Fonte: https://www.instagram.com/p/BdiI-Rmh0iy/

Anúncios

ENTÃO, VOCÊ VAI SER PAI…

pai 1.jpg

“Pai… herói nenhum é mais forte que você…” Barbara Adriélle

Quando li esta crônica de Marcos Piangers, lembrei de muita coisa… Os sentimentos aqui descritos estão perfeitos! É, sei que o tempo passa… e muito rápido. Difícil é nos darmos conta disso quando estamos vivendo… mas, hoje relembro de tudo com muita saudade, principalmente de quando meus filhos eram pequenos. A correria do dia a dia e tantas outras coisas… fazem este tempo voar.

Meu filho se tornou pai á 2 anos… Meus genros: Fábio e Renaud serão novos papais agora… Ser pai é a melhor oportunidade que temos de darmos o melhor de nós. Hoje vendo meus netos nascendo… vou revivendo tudo como num passar de mágica. Pais e filhos se descobrem. Vou aproveitando como avó tudo com mais leveza e intensidade… Vou me realizando vendo meu filho e meus genros se transformar em grandes país. Eu como avó,  admiro muitos estes Papais…  Leiam:

Então, você e sua companheira estão grávidos. Então, você sabe que precisa comprar uma casa maior. Tem que ter mais espaço pra criança. Tem que ter mais um quarto no apartamento. Tem que ter um berço novo, não pode ser aquele que a vizinha se dispôs a emprestar. Então, você sabe que tem que trocar de carro. Aquele carro não é confortável pra levar a família.

Aquele carro não é seguro pro seu filho. Tem que ter seis airbags, no mínimo. Tem que vir com ar-condicionado de fábrica. Coitado do bebê no verão.

pai

Pai novo, fiz tudo aquilo que me diziam, do apartamento maior ao carro quatro portas, depois dos quais precisei trabalhar mais para poder dar conta das prestações. Trabalhava mais pra poder pagar a melhor creche. No supermercado, apenas a melhor fralda. Comprar a fralda mais barata significava amar menos meu filho. Roupa do brechó, nem pensar. De brinquedos caros, nosso armário está cheio. De culpa também, por ter que passar muito tempo no trabalho.

O que aprendi é que não faz diferença alguma. Um apartamento grande não faz diferença, porque as crianças gostam mesmo é de dormir amontoadas na cama dos pais. Um carro grande não faz diferença, porque as crianças gostam mesmo é de andar de bicicleta. A melhor creche não faz diferença, se você é o último pai a buscar seu filho.        images.jpg

Os brinquedos mais caros e os jogos de videogame não fazem diferença: para crianças, não há nada mais divertido do que se equilibrar no meio-fio ou andar na calçada sem pisar nos riscos. Jogar uma criança pro alto e agarrá-la antes de cair no chão, está aí a melhor brincadeira do mundo para qualquer pequeno. E tem a vantagem de ser de graça.

Adoro aquela tirinha do Rafael Sica sobre o sujeito que está sempre no trabalho pensando no bar. No bar, o sujeito está sempre pensando na família. Em casa, com a família, o sujeito está sempre pensando no trabalho. O sujeito nunca está realmente onde ele está. Cria sempre algum tipo de ruído na relação dele com as coisas. Esse cara sou eu, pensei quando vi a tirinha pela primeira vez.

Então, você e sua companheira estão grávidos. Então, você sabe que não precisa de uma casa maior, de um carro melhor, nem da melhor fralda, nem da melhor creche. Você sabe, no fundo, que só precisa estar lá. De verdade.

abraçar pai 1      pais

 

Aproveite para transforar em magia seus momentos com seu (s) filho (s).

Feliz Dia dos Pais!

Obs: “Então, você vai ser pai” de Marcos Piangers

A MATURIDADE!

img_3571

“A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos”…

Padre de Mello escreveu esta crônica, que eu gosto muito… Leia:

A maturidade faz parte de um processo. Em um processo não podemos queimar etapas. Ele é lento, chato e demorado. Uma criança passa por um momento de amadurecimento a partir do momento que começa a brincar. A maturidade acontece, quando tomamos posse do que nós somos, para aí então poder nos dividir com os outros. Isso faz parte do processo de maturidade.

Não nascemos amando, pelo contrário, queremos ter a posse dos outros. Essa é a forma de amar da criança, pois ela não consegue pensar de maneira diferente. Ela não consegue entender que o outro não é ela. Quantas pessoas já adultas pensam assim, trata-se da incapacidade de amar, falta de maturidade.

Na visa dele… Todos os encontros de Jesus levam a implantação do Reino de Deus. Mas só pode implantar esse reino quem é adulto, que já entende que só se começa a amar a partir do momento, que eu não quero mudar quem eu amo.

Geralmente quando tememos alguém ruim ao nosso lado, é porque nos reconhecemos naquela pessoa. Jesus não tinha o que temer porque era puramente bom, por isso contagiava os que estavam ao seu lado. Na maturidade de Jesus você encontra a capacidade imensa de amar o outro como ele é. Amar significa: amar o outro como ele é. Por isso quando falamos em amar os outros, podemos perceber o quanto deixamos de ser crianças. Devemos nos questionar a todo o momento quanto a nossa maturidade. A santidade começa na autenticidade.

img_3312

Por isso Jesus nos pede para ser como as crianças, que são verdadeiras e simples. É nisso que devemos manter da nossa infância e não a forma de possuir as coisas para si.

Você tem condições para perceber a sua maturidade. É só observar se você é obediente mesmo quando não há pessoas ao seu redor. Você não precisa que ninguém te observe, pois você já viu aquilo como um valor. Pessoas imaturas sofrem dobrado. Pessoas imaturas querem modificar os fatos, pessoas maduras deixam que os fatos os modifiquem. A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos. Um imaturo ganha um limão e o chupa fazendo careta. O maduro faz uma limonada com o limão que ganhou. Muitas vezes os nossos relacionamentos de amizade são uns fracassos porque somos imaturos. Amigos não são o que imaginamos, mas o que eles são e com todos os defeitos.

Mais-velha

Amizade é processo de maturidade que nos leva ao verdadeiro encontro com as pessoas que estão ao nosso lado. Elas têm todos os defeitos, mas fazem parte da nossa vida e não a trocamos por nada deste mundo. Isso porque temos alma de cristão e aquele que tem alma de cristão não tem medo dos defeitos dos outros, porque sabe que aqueles defeitos não serão espelhos para nós, mas seremos um instrumento de Deus para ele superar esse defeito.Padre só pode ser padre a partir do momento que é apaixonado pelos calvários da humanidade. Se você não consegue lidar com os limites dos outros, é porque você não consegue lidar com os seus limites.

A rejeição é um processo de ver-se. Toda vez que eu quero buscar no outro o que me falta, eu o torno um objeto. Eu posso até admirar no outro o que eu não tenho em mim, mas eu não tenho o direito de fazer do outro uma representação daquilo que me falta. Isso não é amor, isso é coisa de criança. O anonimato é um perigo para nós. É sempre bom que estejamos com pessoas que saibam quem somos nós e que decisões nós tomamos na vida. É sempre bom estarmos em um lugar que nos proteja. Amar alguém é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro o que a gente gostaria que ele fosse. A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito.

Como está a nossa capacidade de amar? Uma coisa é amar por necessidade e outra é amar por valor. Amar por necessidade é querer sempre que o outro seja o que você quer. Amar por valor é amar o outro como ele é, quando ele não tem mais nada a oferecer, quando ele é um inútil e por isso você o ama tanto. Na hora que forem embora as suas utilidade, você vai saber o quanto é amado. Tudo vai ser perdido, só espero que você não se perca. Enquanto você não se perder de si mesmo você será amado, pois o que você é significa muito mais do que você faz.O convite da vida cristã é esse: que você possa ser mais do que você faz! ”

senhora internet na cama

Crônica de  Padre Fábio de Melo. 

PAIS BONZINHOS, FILHOS FOLGADOS, ADULTOS RELAXADOS…

 

pais       images

Chegando o “Dia dos Pais”, queria colocar este texto de  Ana Maria Ribas Bernardelli , que expõe muito bem o papel de um  pai bonzinho. Como um alerta! Amor demais não basta! Tem que ter limites. Importante refletirmos sobre isso! Leia:

O que é mais importante para os pais: manter a casa em ordem, ou deixar os filhos à vontade, sem disciplina, e sem ordem? A resposta adequada seria: manter a casa em ordem, e esperar que os filhos fiquem à vontade  sob disciplina e  ordem. Basta que eles sejam educados para isso.

O que é mais importante para família: um marido satisfeito, feliz, relaxado, à custa de cuecas jogadas pelo banheiro, e toalhas molhadas sobre a cama, ou um parceiro ordeiro e colaborativo? A resposta adequada  seria: um marido feliz, satisfeito, ordeiro e colaborativo, que ajude a manter a casa longe do caos. E para esposa, o que seria?

A verdade é que há situações que não se excluem, pelo contrário, se complementam.

Esse é um tema nada excludente. Filhos, esposas e maridos  devem colaborar com a mínima ordem reinante sob pena de se tornarem abusivos fora do convívio familiar. Não há felicidade na desordem. Não pode haver tolerância com a desordem organizada sistematicamente como se a desordem fosse a ordem.

A criança que cresce sem envolvimento com a ordem, aprenderá a envolver-se com a desordem. O adulto que foi criança e não guardou o brinquedo que usou, terá grandes possibilidades de vir a ser  pouco colaborativo, daquele tipo que levanta da mesa na casa da tia sem retirar e lavar o seu prato, ou sem arrumar a sua cama.

pai

Não é de nenhum tratado filosófico que retirei essas conclusões; é da vida, da experiência, da análise prática.

Todas as crianças que são deixadas sem a disciplina da ordem criam uma desordem amplificada, depois de adultos. As casas que habitam são uma bagunça. As tarefas que deveriam ser resolvidas diariamente passam a ser desempenhadas em prazos dilatados por semanas, meses, e anos. A louça é lavada quando não há mais lugar sobre a pia e embaixo da pia. As roupas vão para a máquina, quando a última calcinha vai para o corpo. Tudo é abusivamente acumulado.

Não há regras que possam valer para quem foi criado sem regra alguma.

Há nos desordeiros domésticos uma forte tendência para  se tornarem acumuladores, aqueles indivíduos que guardam todo tipo de lixo fora e dentro deles. Começam por não catalogar objetos que, sem lugar definido, se misturam sob as mais diversas categorias. Livros no chão fazem companhia a chinelos jogados, documentos espalhados, travesseiros abandonados pelo caminho. As mais diversas coisas e coisinhas cujo destino é incerto, somam-se às coisas maiores que se acumulam na superfície.

A Teoria do Caos prevê a grosso modo que, se uma casa for deixada limpa, arejada, arrumada, com todos os objetos em seus devidos lugares, basta um tempo relativamente curto para que o abandono se encarregue de instalar o caos.

pai 1

O que quero dizer com isso? Quero dizer que todas as forças do Universo decaído trabalham a favor do caos. Não é preciso que eu e você façamos coisa alguma para que o caos se instale. Basta que não o façamos.

Dentro de pouco tempo, a poeira fina se depositará sobre a superfície em camadas sedimentadas, as aranhas farão suas teias, o mofo se expandirá sobre as áreas que guardam algum vestígio de umidade e tudo- absolutamente tudo- entrará em processo de desintegração e morte.

indisciplina

A vida cobra a sua e a minha colaboração para que o universo se mantenha em cadência de ritmo, harmonia,  e perfeita intencionalidade da ordem.

Alguns pais parecem ignorar essa necessidade e não colocam os seus filhos na cadeia da ordem. Preferem que eles se juntem à cadeia da desordem. Alguns pais parecem ignorar essa necessidade e não colocam os seus filhos na cadeia da ordem. Preferem que eles se juntem à cadeia da desordem.

É a pior coisa que os pais podem fazer.

Pais muito “bonzinhos” se tornam incubadores de adultos porcalhões e relaxados. Pais muito “bonzinhos”, inconscientemente, esperam que seus filhos oss amem mais por isso, e, no devido tempo, cobrarão que esse “amor” lhes seja devolvido.

Pais “muito bonzinhos” são um dilema existencial  para carregar, mais tarde. Choramingam o tempo todo dizendo quão bons foram para os seus filhos, e exatamente por terem criado filhos irresponsáveis, bagunceiros e relaxados,  não receberão de volta nem o amor, e nem a ordem minimamente necessária, que a última etapa de vida pede, para que se morra em paz.

Dia desses, fui testemunha de um fato bastante humano e convincente: Diante do quarto do menino que apresentava um cenário bagunçado,  a mãe o mandou tomar banho, e enquanto ele tomava o banho, ela entrou no quarto e confiscou o Ipad.

Ao sair, o menino perguntou:

– Peguei. O Ipad só volta  quando o seu quarto estiver tão organizado como você o recebeu pela manhã.”

Assim aconteceu por dois dias. Não foi preciso mais do que dois dias para que o hábito se instalasse.

Haveria três caminhos: fazer tudo pelo filho; repetir todos os dias a mesma cantilena, elevando a voz;  exercer autoridade acompanhada do sequestro de um privilégio ao qual ele se acostumara: o uso do IPad.

Penso que ela fez uma ótima escolha.

Então-você-vai-ser-mãe-

Então, é isso: pais eduquem os seus filhos para a manutenção da ordem. É um benefício que fará grande diferença na vida adulta e  é tão importante que até o ar, o céu, o sol, o mar, as árvores, as plantas, os rios, os peixes, os animais, os homens de boa vontade, a Terra, e o Universo agradecem.

Nota: Pais são aqueles que criam e podem ser mães, pais, avós ou qualquer outro responsável que esteja a frente da educação da criança.

Fonte: http://www.contioutra.com/mae-boazinha-filhos-folgados-adultos-relaxados/

DENTRO E FORA…

IMG_0860

“Vivemos com o que recebemos, mas marcamos a vida com o que damos”. Winston Churchill

Adorei esse poema de Luan Jessan. Espero que gostem também… Leiam:

Por fora tenho tantos anos que você nem acredita.

Por dentro, doze ou menos, e me acho mais bonita.

Por fora, óculos; algumas rugas, gordurinhas, prata nos tintos cabelos.

Por dentro sou dourada, alma imaculada, corpo de modelo.

Por fora, em aluviões, batem paixões contra o peito.

Paixões por versos, pinturas, filosofia e amigos sem despeito.

Por dentro, sei me cuidar, vivo a brincar, meio sem jeito.

Não me derrota a tristeza; não me oprime a saudade;

Não me demoro padecente.

E é por viver contente que concluo sem demora:

é a menina que vive por dentro, que alegra a mulher de fora!

img_4293

A IDADE DE SER FELIZ!

Three generations

Existe somente uma idade para a gente ser feliz
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-los
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos

Uma só idade para a gente se encantar com a vida
e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo nem culpa de sentir prazer

Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida
à nossa própria imagem e semelhança
e sorrir e cantar e brincar e dançar
e vestir-se com todas as cores
e entregar-se a todos os amores
experimentando a vida em todos os seus sabores
sem preconceito ou pudor

Tempo de entusiasmo e de coragem
em que todo desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda a disposição de tentar algo novo,
de novo e de novo, e quantas vezes for preciso

Essa idade, tão fugaz na vida da gente,
chama-se presente,
e tem apenas a duração do instante que passa …
… doce pássaro do aqui e agora
que quando se dá por ele já partiu para nunca mais!

Nos diz Geraldo Eustáquio de Souza.

Um brinde a nós!

GLORIA KALIL, DÁ A RECEITA PARA QUEM QUER… “SER CHIQUE – SEMPRE”!

Constanza Pascolato

“Para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano”. Glória Kalil.

Sempre apreciei muito o que Glória Kalilautora do livro – Chic Profissional – fala não do que é chique na moda, mas do que torna uma pessoa chique, sempre. Não é a roupa nem os adereços, e sim o comportamento, diz ela. “Chique mesmo é parar na faixa e dar passagem ao pedestre e evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua. Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador” – afirma ela, mostrando que seu conceito de “ser chique” está diretamente relacionado a “ser educado” e levar sempre os outros em consideração. Leia:

Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

Constanza Pascolato 1

Chique mesmo é parar na faixa e dar passagem ao pedestre e evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Mas para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.

Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz.

É UMA QUESTÃO DE FÉ – FILME

“Não coloque limites em seus sonhos. Coloque fé.” Autor Desconhecido

Tenho uma coisa pra contar pra vocês… Adorei esse filme que vi a algum tempo atrás “É UMA QUESTÃO DE FÉ”. É ótimo… simplesmente – sensacional. Nos traz uma reflexão sobre a teoria dá evolução, caindo por terra muitas de nossas certezas e convicções quando não vemos nada evoluir… com o passar dos anos.

Veja um trecho do filme “E UMA QUESTÃO DE FÉ “-

Ou se preferir veja o  Filme inteiro. Bom divertimento.

A fé de Rachel é abalada quando ela começa a ser influenciada pelo seu professor de biologia, que ensina a teoria da evolução. Agora o pai dela vai lutar por aquilo em que acredita. Atores Jordan Trovillion, Jay Pickett, Harry Anderson Diretor Rich Christiano

Espero que gostem.

 

 

 

 

FELIZ DIA DOS AVÓS! CHEGANDO E CAUSANDO…

Você meu netinho, já chegou chegando… veio no susto, no grito, empurrando, lutando mesmo e brigando muito pra ficar, ufa… parece que ninguém te via! Você só querendo nos dizer… Hei, eu estou aqui💫! Um batalhador já rsrsrs. Confesso que gostei. Chegou causando… e querendo ficar aqui nesta família, seu danadinho! Estou amando tudo isso!

Sua mãe demorou pra entender… sua avó nem imaginava, mas você já estava aqui…seu avô suspeitou… Tão pequenino! Tão bonitinho! Recebemos a notícia com surpresa e encantamento… alguns levaram um tempo pra cair a ficha… entender os porquês e os  comos rsrsrs???… Com muito amor 💙 e carinho 💕 🌸 você foi recebido de braços abertos…  sendo cuidado, protegido… admirado e também muito desejado e amado…

A família inteira vibrou 💫ao receber a notícia anunciada da sua chegada, brindamos a sua espera… estamos aqui agora, esperando a sua chegada com muito curiosidade… cheias de carinho e amor. Em breve você estará aqui conosco, se juntará a uma família onde todos são loucos uns pelos outros…, mas de amor💙💕🌸 rsrsrs. Enquanto te esperamos… eu e seu avô, já aqui com meu Pedroquinha, a recém chegada francesinha a Aninha, netinhos tão queridos… queremos desejar a todos e todas que já têm a felicidade de terem netos e netas para cuidar e mimar muito, com quem brincar e voltar a ser criança, os nossos PARABÉNS pelo DIA DOS AVÓS. Bendito sejam os avós…

Que seus netos e netas cresçam saudáveis e felizes, que é o que todo vovô e vovó mais desejam. E que vocês, avós, possam desfrutar bastante dessas alegrias, recebendo todo o amor 💙 e carinho 💕🌸 que merecem de seus netos, filhos e todas as pessoas da sua família. De nossa parte, estamos aqui mimando muitoooooo cada um deles…

Digo “Bom dia mundo” pra vocês meus netinhos queridos, muito bem vindos… estarão descobrindo aos poucos esta imensidão e beleza de mundo que existe… Aqui vocês descobrirão muitas coisas e farão suas escolhas… onde construirão suas histórias de vida! Juntos vamos caminhar em muitas destas suas histórias que guardaremos eternamente em nossas memórias, serão nossos tesouros ok?

Há tanta coisas que quero conversar com vocês, tantas histórias que desejo compartilhar, sabe? Estou deixando muitas coisas registradas aqui neste “Livro das Histórias da Vovó Bia”… que construí com muito carinho, pra vocês, meus queridos netinhos! Aqui vocês encontrarão um pouco da minha história… As “Histórias de Vovó Bia”… preparem-se pra viajar no tempo com elas… algum dia!

No meu Blog também encontrarão outras tantas…

https://oterceiroato.com/2015/10/29/eu-vou-ser-avo-pela-primeira-vez-que-felicidade/

https://oterceiroato.com/. 2015/11/01/meu-neto-nasceu-feliz-demais/.

https://oterceiroato.com/2016/08/31/eu-vou-ser-vovo-pela-primeira-vez-a-distancia/

https://oterceiroato.com/2016/06/01/avos-e-netos-beneficios-desta-relacao/.

https://oterceiroato.com/2015/12/04/meus-instantes/ 

https://oterceiroato.com/2016/07/26/dia-das-avos/

https://oterceiroato.com/2018/03/29/a-mulher-ao-centro-da-vida/

AVÓS QUE CUIDAM DOS NETOS VIVEM MAIS, DIZ ESTUDO.

avos-vivem-mais2

“Quanta sabedoria tem o olhar dos avós, quanta generosidade têm seus sorrisos, que aconchego têm seus abraços”. Raquel Piffer

Este estudo só vem confirmar o que eu acredito… ser avó é uma das melhores coisas da nossa vida… Ficar mais tempo com eles, pra ajudar os pais e termos mais contato com eles é uma benção. Com tudo combinado e emparelhado, vamos em frente… vivendo mais feliz.  Leiam:

Avós que cuidam dos netos vivem mais, diz estudo.

Em muitos casos essa não é a decisão mais fácil de se fazer, porque talvez os avós já estão em idade muito avançada ou simplesmente não gostam de cuidar de crianças. Mas, saiba que além de ser uma boa economia de dinheiro (sem gasto com babá), você está ajudando na saúde dos seus pais ou sogros.

Segundo um novo estudo publicado na “Evolution & Human Behavior”, avós que tomam conta dos netos vivem significativamente por mais tempo — o que faz total sentido, porque ter netos traz vários benefícios para a saúde.

Uma pesquisa publicada na revista científica Evolution and Human Behavior descobriu que avós e avôs que ajudam a cuidar dos netos vivem mais do que aqueles que não ajudam. Os pesquisadores observaram que os avós que ajudaram a cuidar dos netos ou outras crianças da família viveram cerca de sete anos a mais após o fim do estudo. Enquanto, os que não ajudaram viveram cerca de quatro anos a mais após o fim do estudo. Ou seja, os avós que ajudaram a cuidar de seus pequenos viveram cerca de três anos a mais do que aqueles que não contribuíram. Os autores do estudo acreditam que isto ocorre porque cuidar dos netos dá aos avós um senso de propósito e os ajuda a se manterem fisicamente e psicologicamente ativos.

avo 9

Como foi feito o estudo?

A pesquisa se baseou no Estudo de Envelhecimento de Berlim e analisou 20 anos de dados de 500 idosos com idade igual ou maior a 70 anos até 103 anos e durou entre 1990 e 2009.

Contudo, os autores do estudo alertam que é importante que os papais e mamães não se empolguem. “Ajudar os pais em um nível moderado tem um efeito positivo na saúde dos avós. Contudo, estudos anteriores mostraram que um envolvimento mais intenso dos avós nos cuidados com os netos pode causar estresse e ter um efeito negativo na saúde física e mental dos avós”, alerta Ralph Hertwig, autor do estudo e diretor do Center for Adaptive Rationality at the Max Planck Institute for Human Development. Então, nada de abusar da boa vontade dos avós.

Os avós que forneceram algum tipo de cuidado aos seus netos tinham uma taxa de risco 37% menor do que os seus colegas não cuidadores.

“Existe uma ligação entre tomar conta dos netos e redução de estresse, e nós conhecem o a relação entre estresse e alto risco de morte”, diz o Dr. Ronan Factora, médico geriatra de Cleveland.

“Se oferecer cuidado aos netos e outros em necessidade é um jeito de reduzir estresse, então essas atividades devem ser benéficas para avós que prestam cuidam de seus netos”, conclui.

Vale lembrar que não é tudo tão simples assim…

As pesquisas ainda estão evoluindo e precisamos destacar outros pontos que ainda não foram concluídos.

Por exemplo, os benefícios analisados foram além da relação familiar, ou seja, os idosos que cuidavam de crianças que não eram da sua família também apresentavam condições semelhantes.

Outro ponto importante é que o estudo não incluiu dados de avós que eram o primeiro responsável pelas crianças.

Fonte: https://awebic.com/humanidade/avos-vivem-mais/