A ARTE DE ENVELHECER!

Completar 60, 70, 80 anos de idade, ou mais, e poder comemorar com a família e os amigos é um privilégio, uma bênção. Mas é, também, um bom momento para fazer uma retrospectiva da nossa vida: as conquistas e os fracassos; os sonhos realizados e os que ficaram pelo caminho, enfim, um momento para rever o que carregamos em nossa bagagem, além da família, dos amigos, da fé em Deus, em nós e na vida; além da es- perança, do amor e do desejo permanente de ser feliz.

Mas eis que, sem surpresa, porém um tanto apreensivos, nos damos conta de que a velhice chegou e que estamos deixando para trás a primavera da nossa existência, para dar lugar ao outono. Sem dúvida, nos vemos diante de novos desafios e de uma nova realidade. As limitações vão surgindo, é verdade, mas sentimos um desejo enorme de continuar produzindo e sonhando com outras possibilidades, mesmo que a curto prazo.

Envelhecer é uma das etapas da vida, e cada um chega de um modo pró- prio, de acordo com própria história de vida. Uns com mais saúde, outros com menos; uns com mais conforto e quali- dade de vida, outros com menos. Mas, é com esse cenário que vamos lidar com a velhice, usando nossas experiências, nossa criatividade e nos reiventando a cada dia. E aí, percebemos que vamos precisar, mais do que nunca, da família, dos amigos e da sociedade. É importante aceitar a velhice. Afinal, ter chegado até aqui é uma vitória. E nada contra sentar-se na cadeira de balanço, com uma agulha de tricô ou crochê, com um charuto ou cachimbo, com um bom livro, ou diante da tv para assistir àquele programa favorito. Ou deitar- se numa rede para cutucar a memória e ativar as boas lembranças. Mas isso, só depois de uma caminhada, da aula de dança, de pintura, de música, de culinária ou de natação. Ou mesmo, depois de uma visita a um amigo ou uma amiga, ou alguém da família, para um gostoso cafezinho e um papo agradável.

Pensando bem, envelhecer é uma aventura. “Somente os idiotas se lamentam de envelhecer”, escreveu o filósofo Caio Túlio Cícero. Ele dizia que o importante é encontrar o prazer que todas as idades proporcionam, pois todas têm suas virtudes. A velhice, por si só, não muda o temperamento, o comportamento ou o caráter de alguém. Mas pode ser um gatilho para aqueles que desejam mudar para melhor, na reta final de sua existência. E aí é que nos damos conta de que a vida é curta demais. E para terminar, caros leitores, ve- lhos, idosos, da terceira idade, seja lá como queiram ser chamados, vamos em frente, sem medo, sem preconceito, sem pessimismo e sem pressa; com leveza, tolerância, paciência, paixão e sabedoria. Vamos levar apenas o essencial, aquilo que, realmente, vale a pena. Não é fácil, porque a vida não é nada fácil. Mas o importante é tentar, sempre. Vamos sorrir para a vida, porque ela continua sorrindo para nós.

Veja também: https://oterceiroato.com/2020/07/02/me-reinventando/

https://oterceiroato.com/2020/10/07/setenios-conheca-a-teoria-dos-setenios-de-7-em-7-anos-a-sua-vida-muda-completamente/

VIVER SEM TEMPOS MORTOS…

Naqueles momentos em que ficamos conosco mesmo… vem muitas coisas no pensamento. O tempo todo… vai e volta. Adoro as vezes o silêncio e a minha companhia, penso em tantas coisas 😉… Este Trecho da peça “Viver sem tempos mortos”, inspirada na correspondência de Simone Beauvoir e Jean-Paul Sartre…. adoro:

(…) Não mais me deitar no feno perfumado ou deslizar na neve deserta.
Onde eu exatamente me encontro?
O que me surpreende é a impressão de não ter envelhecido, embora eu esteja instalada na velhice.
O tempo é irrealizável.
Provisoriamente o tempo parou para mim.
Provisoriamente.
Mas eu não ignoro as ameaças que o futuro encerra, como também não ignoro que é o meu passado que define a minha abertura para o futuro.
O meu passado é a referência que me projeta e que eu devo ultrapassar.
Portanto, ao meu passado, eu devo o meu saber e a minha ignorância, as minhas necessidades, as minhas relações, a minha cultura e o meu corpo.
Hoje, que espaço o meu passado deixa para a minha liberdade hoje? Não sou escrava dele.
O que eu sempre quis foi comunicar unicamente da maneira mais direta o sabor da minha vida. Unicamente o sabor da minha vida.
Acredito que eu consegui fazê-lo.
Vivi num mundo de homens, guardando em mim o melhor da minha feminilidade.
Não desejei e nem desejo nada mais do que viver sem tempos mortos. (…)

Obs: A peça foi protagonizada por Fernanda Montenegro pela primeira vez em 2012 e reapresentada em 2018.

Assista:

SE EU MORRESSE AMANHÃ…

Este texto de José Micard Teixeira descreve bem como os desafios da vida, as tristezas nos fazem aprender e a crescer. Necessárias, eu diria. Nos impulsionam a seguir caminhos muitas vezes impensáveis. Tudo passa! A fila anda! De vento em popa… são frases verdadeiras nas minhas reflexões. Leiam:

Se eu morresse amanhã, partiria grato pelas vezes em que senti tristeza, porque através dela mantive a esperança de mudar. Poucos entendem a força da tristeza. A grande maioria das pessoas foge dela porque a associa a desgraças e perdas. De facto, devíamos agradecer a tristeza da mesma maneira como agradecemos a alegria. Devíamos deixar de nos entristecer com a tristeza e aceitá-la como uma dádiva da vida, porque apenas quem conhece bem a tristeza toma consciência do que ela lhe está a dizer. Já vivi muita tristeza, muita dor, muito desespero, mas hoje sei que vivê-los foi das coisas mais gratificantes para a direção que escolhi seguir. Sem tristeza, não existe vida. Sem tristeza, não existe mudança. Sem tristeza, esquece-se o que se amou.

Veja também: https://oterceiroato.com/2020/10/21/quando-a-gente-vai-embora-ai/

https://oterceiroato.com/2020/10/09/adaptando-se-ao-envelhecimento/

CONSTANTES…

Aqui me vi exatamente como me sinto. Lindo e profundo o texto da minha amiga Irina Marques! Leiam:

Sou do tipo resiliente otimista e mesmo nos momentos mais difíceis que já enfrentei pela vida, que com certeza me abateram… também sempre acreditei que tudo ia passar, eu aprenderia algo novo… e iria sair dali mais forte e melhor. Tudo tem seu tempo. E cada um tem o seu. E assim aconteceu.

Lembranças trazem “mergulhos profundos”, retalhos de nós que se escancaram e trazem a tona algumas cicatrizes.

Com o tempo sei que sempre estive na hora e nos momentos certos da vida. Tudo no seu devido lugar. Gratidão por isto.

Tenho uma tendência para me esquecer facilmente das coisas, outras vezes não, as coisas marcam de forma a criar cicatriz. Quando olhamos, ela está sempre lá, e muitas vezes é costume esquecermos a história que ela tem para contar. A nossa cicatriz, é apenas nossa e só cabe a nós conseguir entender, desvendar e aprofundar as causas e consequências dela.

Muitas vezes, o que acontece, é as pessoas tomarem as nossas dores, seja por simpatia, empatia ou compaixão. Está certo, num mundo perfeito as coisas deveriam ser assim, talvez num mundo mais sentimental e menos competitivo esta, seria uma utopia perfeita. Acordamos para a vida.

Ontem, dei por mim a escrever, a escrever muito, a escrever tanto que a dor começou a tomar lugar. Questionei, encontrei respostas, voltei a questionar, vi outras perspetivas, tentei pôr-me do outro lado, voltei a escrever – criar personagens, sair da zona de conforto e observar outras realidades.

Aprendizagens que temos no decorrer da vida, por vezes esquecemos ou outras vezes abordamos de forma diferente, com tempo, aprendizagens e, o olhar não é o mesmo de hoje, de ontem, dos meses passados, dos anos… O que escrevo hoje daqui a dois anos pensarei de outra forma, é assim que tem ocorrido, tem sido uma constante. São relatos, pedaços de mim, deixados para trás para que eu própria consiga rastear.

E por ter esta tendência para me esquecer, tenho a mesma tendência a relatar, a testemunhar a minha presença e pensamento através de textos, de reflexões até mesmo para recordar. A memória é a coisa mais falível que temos, se nos lembramos de algo, não é exatamente como foi mas preenchemos essas lacunas para que isso mesmo faça sentido – ora para o bem, ora para o mal.

Nos mergulhos profundos foi onde eu encontrei as melhores explicações, o cerne da questão, a raiz. E nesses mergulhos profundos, não entendia a sua própria profundidade, ainda não entendo, continuo a mergulhar enquando as minhas forças me permitem. E quanto mais mergulho, mais são as descobertas que faço, horizontes que se relevam, testemunhos que tenho que relatar mas já não os exponho. Todos os que expus resolvi apagar, conforme referia, as palavras são minhas mas expostas podem não conseguir manifestar o que cá vai dentro.

Através da expressão e relatos guardados, é o que me permite encontrar, montar as peças e dar forma a tudo o que se passou e se encontra a passar. E muitas vezes esqueço, é verdade que esqueço, lições que aprendi e esqueci, nesses mesmos relatos estão essas lições – constantes, que me lembram – este é o caminho a tomar, ali, vais errar. Não são roteiros rígidos, são apenas registos para não me perder, novamente mas saborear a corrente. As constantes, mantêm-se nos relatos e, permitem-me desviar.

Pedaços de vida que não se compõem aqui, mas sim noutro lugar. As artes, são apenas um testemunho, do que no interno se está a passar.

Imagem Klaudia Piaskowska no Unsplash

VIDA E MORTE! PERDÃO E LEMBRANÇAS…

Quando vemos 👀 a finitude de alguém que já foi tão próximo de nós… ir chegando💔. De repente, assim tão precocemente e tão rápido… Não dá para acreditar. Parece mentira! Coronavírus não escolhe, e leva… sem dó nem piedade 🙏🏻

A fé e a esperança existem sempre 🙏🏻.

Sim ou não, não sabemos incrédulos e assustados… vamos assistindo as lutas do corpo, debilitado e como lutam, tentam vencer… a morte passa pertinho. Parecem não querer desistir. Lutou muito!!!! Mas não conseguiu!

A morte!!! Entra, se faz presente e causa rupturas abruptas. Sem dó.

Revivemos cheios de emoções todas as histórias vividas, as melhores lembranças vem a tona… rapidamente.

É chegada a hora da partida!

Traz muita dor 💔! Hora de se despedir!!!

Aqui jaz agora um corpo, o espírito se vai… mas acredito que nos encontraremos na eternidade 💫algum dia🙏🏻. Até breve!!! Espiritualidade, ajuda muito neste momento!

Que descanse em paz 💔 meu querido Ilídio 🙏🏻.

Foi meu companheiro de grande parte da minha jornada… me presenteou com meus 2 maiores tesouros: meus filhos maravilhosos: ✨Bruno Perez e 💫 Michelle Oliveira… deixando um legado lindo 🌟💫✨ Depois de 25 anos juntos, seguimos caminhos diferentes. Distantes. Sempre desejando felicidade um ao outro. E assim seguimos, cada qual o seu caminho.

Receba muita luz 🌟 e seja bem acolhido nos braços de Deus💫, nosso pai 🙏🏻.

A compaixão e a empatia acerbam 🙏🏻.

O medo, ansiedade e angústia aumentam.

Vivemos um dia de cada vez.

👀 Começamos a repensar tantas coisas. Como as coisas mudam! Mudamos constantemente…

Vida é movimento 👀

A vida é um sopro!

Quantas questões bobas damos tanta importância e perdemos tanto tempo com isto. Anos até!

As melhores coisas não custam muito.

Amor : ❤️ dar e receber ❤️ é uma benção. Todos podem oferecer. Cabe a cada um de nós. Simples assim!

Estarmos mais juntos com à família: marido, filhos, netos, genros e noras, irmãos, cunhados, sobrinhos… presencial ou virtual. Da maneira que der no momento 🌟 é essencial. Estar mais perto… coração e alma unidos. Isto importa muito. Sempre!

Mostrar e dizer o quanto os amamos e são importantes para nós… assim como para cada um deles… com palavras e ações… no dia a dia, faz a diferença .

Todos tentamos ser felizes!

Tempo… é o nosso maior capital. Demoramos a perceber isto.

Fazer boas escolhas, já. Não deixar para depois. Se faz cada vez mais necessário a medida que vamos amadurecendo… envelhecendo.

Menos inquietudes mais plenitude assim esperamos.

Saúde o nosso maior patrimônio. Cuidar bem dela em todos os seus aspectos. Sempre é hora de começar… nunca é tarde. Comece o quanto antes. Esforço, empenho, comprometimento e disciplina são importantes para viver com uma melhor qualidade.

Não estamos livres de surpresas.

Não sabemos o dia de amanhã.

Isto é fato!

Nem sempre temos autonomia nas coisas que acontecem. Nem sempre podemos fazer todas as escolhas.

Mas podemos sonhar… tentar realizar.

Muitas surpresas encontramos pelo caminho.

Tinha uma pedra no meio do caminho…

Mas podemos mudar, todos os dias… agir conforme nossos princípios, baseados sempre no amor e no perdão.

Eu faço estas escolhas. Faço acontecer.

Começar e recomeçar quantas vezes forem necessárias.

Tento ser uma pessoa melhor, mais leve e generosa. Tento ajudar ao próximo.

Desapego do que não me cabe mais, doou o que posso.

Me esforço. Continua a lutar. Assim tenho paz! Deito e durmo no silêncio da noite, sempre em paz.

Viver é um grande aprendizado… aprendemos com nossos erros e acertos.

Desafio constante!

Resiliência faz parte disto.

Erguemos pontes, baixamos a guarda, amamos e perdoamos… construímos os nossos caminhos… sempre com Deus no coração.

Se pudesse estaria do lado dos meus filhos agora. Todos juntos. Abraçando-os ❤️💔. Acolhendo suas dores e angústias. Dando mais amor ❤️, enxugando suas lágrimas ❤️… Dando algum tipo de alívio 💔❤️… dando o suporte pelas suas dores em perder o pai. Nossos corações estão unidos pelo pensamento, pela alma e pelo grande amor e afeto que sentimos uns pelo outro. Sintam-se abraçados ❤️❤️❤️❤️

Tudo passa! Vai passar! 💫

Vai ficar tudo guardado dentro do coração eternamente ❤️🙏🏻. Lá continuamos a existir. Memórias e lembranças!

Acredito na vida eterna🌟, isto me conforta 🙏🏻✨

Acredito no espírito eterno. Na vida eterna… amém 🙏🏻

EU APRENDI…

Eu aprendi…
Que a melhor sala de aula do mundo
Está aos pés de uma pessoa mais velha;
Que ser gentil é mais importante do que estar certo;
Que eu sempre posso fazer uma prece por alguém
Quando não tenho a força para
Ajudá-lo de alguma outra forma;
Que não importa quanta seriedade a vida exija de você,
Cada um de nós precisa de um amigo
Brincalhão para se divertir junto;
Que algumas vezes tudo o que precisamos
É de uma mão para segurar
E um coração para nos entender;
Eu aprendi,
Que deveríamos ser gratos a Deus
Por não nos dar tudo que lhe pedimos;
Que dinheiro não compra “classe”;
Que são os pequenos acontecimentos
Diários que tornam a vida espetacular;
Que debaixo da “casca grossa” existe uma pessoa
Que deseja ser apreciada,
Compreendida e amada;
Que Deus não fez tudo num só dia;
O que me faz pensar que eu possa?
Que ignorar os fatos não os altera;
Que o amor, e não o tempo,
É que cura todas as feridas;
Que cada pessoa que a gente conhece
Deve ser saudada com um sorriso;
Que ninguém é perfeito
Até que você se apaixone por essa pessoa;

Que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;
Que as oportunidades nunca são perdidas;
Alguém vai aproveitar as que você perdeu.
Que quando o ancoradouro se torna amargo
A felicidade vai aportar em outro lugar;
Que devemos sempre ter palavras doces e gentis
Pois amanhã talvez tenhamos que engolí-las;
Que um sorriso é a maneira mais barata
De melhorar sua aparência;
Que todos querem viver no topo da montanha,
Mas toda felicidade e crescimento
Ocorre quando você esta escalando-a;
Que quanto menos tempo tenho,
Mais coisas consigo fazer;
Eu aprendi que a felicidade é simples, e quase sempre somos nós que a tornamos mais difícil do que ela é.
Crônica de autoria desconhecida 👀

Veja também: https://oterceiroato.com/2020/09/04/nada-me-impedira-

VIRAR O JOGO.

Mudar é necessário aprender! Pode levar muito tempo para encontrarmos nosso lugar…

Conheço gente que tem o dobro da minha idade e ainda está à procura.
Outros, tão jovens, já têm a certeza de seu espaço, confiança no seu rumo, fé nas suas escolhas.
Existem momentos em que é difícil reconhecermos nosso lugar…
Parece que a vida dá e tira, coloca e pede de volta, estende a mão e puxa o tapete…
Mas com paciência, o tempo dirá!
E então um dia, por algum motivo pequeno ou grandioso, você percebe que tem um bilhete autenticado em mãos.
Um bilhete que lhe indica exatamente qual sua poltrona, sua janela…
Por onde verá o mundo passar, e sua companhia nessa viagem.
Já me senti sem chão algumas vezes…
É difícil e parece que não vai passar.
Mais ou menos como estar no trem errado vendo o certo ser conduzido para o lado oposto.
Mas o tempo muda tudo!
E dentro do “trem errado”, se você permitir, e somente se você permitir…
Pode começar a ter boas surpresas, grandes presentes.
Essa é a oportunidade de virar o jogo!
(By Fabíola Simões)

Veja também: https://oterceiroato.com/2020/09/11/como-e-envelhecer-para-mim/

https://oterceiroato.com/2020/08/28/8904/

A VIDA NOS ENSINA…

O alemão Bert Hellinger tem hoje 93 anos. Já foi padre, largou a batina, casou-se e virou um dos mais respeitados psicoterapeutas e escritores europeus. Mas o cara é polêmico: reconhecido mundialmente pelas Constelações Familiares, ele não restringe seus mergulhos na alma por conta de mimimis. Por isso, às vezes enfrenta a rigidez de certas linhas filosóficas, demolindo-as com tiradas certeiras e desconcertantes.

No limiar de mais um ano, resolvi reproduzir aqui algumas delas, na certeza de que muitos leitores saberão entendê-lo e aplicar seus sábios conselhos. Com a palavra, herrBert Hellinger:

A vida decepciona-o pra você parar de viver com ilusões e ver a realidade.
A vida destrói todo o supérfluo até que reste somente o importante.
A vida não te deixa em paz, para que deixe de culpar-se e aceite tudo como “É”.
A vida vai retirar o que você tem, até você parar de reclamar e começar agradecer.
A vida envia pessoas conflitantes para te curar, pra você deixar de olhar para fora e começar a refletir o que você é por dentro.
A vida permite que você caia de novo e de novo, até que você decida aprender a lição.
A vida coloca seus inimigos na estrada, até que você pare de “reagir”.
A vida te assusta e assustará quantas vezes for necessário, até que você perca o medo e recupere sua fé.
A vida lhe distancia das pessoas que você ama, até entender que não somos esse corpo, mas a alma que ele contém.
A vida ri de você muitas e muitas vezes, até você parar de levar tudo tão a sério e rir de si mesmo.
A vida quebra você em tantas partes quantas forem necessárias para a luz penetrar em ti.
A vida confronta você com rebeldes, até que você pare de tentar controlar.
A vida repete a mesma mensagem, se for preciso com gritos e tapas, até você finalmente ouvir.
A vida envia raios e tempestades, para acordá-lo.
A vida o humilha e por vezes o derrota de novo e de novo até que você decida deixar seu ego morrer.
A vida lhe nega bens e grandeza até que pare de querer bens e grandeza e comece a servir.

A vida corta suas asas e poda suas raízes, até que não precise de asas nem raízes, mas apenas desapareça nas formas e seu ser voe.
A vida lhe nega milagres, até que entenda que tudo é um milagre.
A vida encurta seu tempo, para você se apressar em aprender a viver.
A vida não te dá o que você quer, mas o que você precisa para evoluir.
A vida te machuca e te atormenta até que você solte seus caprichos e birras e aprecie a respiração.
A vida te esconde tesouros até que você aprenda a sair para a vida e buscá-los.
A vida te nega Deus, até você vê-lo em todos e em tudo.
A vida te acorda, te poda, te quebra, te desaponta… Mas creia, isso é para que seu melhor se manifeste… até que só o AMOR permaneça em ti. Se lá vida 🤩

Veja também: https://oterceiroato.com/2020/10/30/sou-aquela-mulher/

https://oterceiroato.com/2020/10/28/acorda-baby-boomer-a-vida-te-chama/

EXPECTATIVA, FÉ OU ESPERANÇA? ANO NOVO!

Cada pessoa imagina o futuro próximo – aquele que começa logo após os abraços da meia noite – de um jeito diferente: umas criam novas #expectativas; outras, geralmente as mais sonhadoras, optam por revigorar suas #esperanças. Embora este ano seja diferente, não podemos estar juntos da família devido a segunda onda do coronavírus podemos criar outras maneiras de celebrar. 🥂💐

Para nós, que temos a #longevidade como a matéria-prima de tudo o que fazemos, estas duas palavras andam sempre juntas:

🔵 Enquanto a #expectativa de vida cresce a cada novo ano, nós alimentamos a #esperança de que as pessoas consigam mais qualidade para essa vida mais longa. Todo cuidado com a saúde é prioridade principalmente agora com a #pandemia ainda tão perto de todos nós. Que esta #vacina seja o tratamento ou controle efetivo de uma doença tão grave que surgiu e desestruturou mundo inteiro.

🔵 Enquanto o país vive a expectativa de gerar novos empregos, sair da crise econômica mundial… nós alimentamos a esperança de existir mais #integração #geracional no mercado de #trabalho. Que as pessoas sejam mais solidárias e compreensivas. Temos muito o que oferecer. Todas as pessoas. Empatia se faz necessário.

🔵 Enquanto as pessoas vivem a expectativa da chegada dos novos prefeitos municipais eleitos, nós alimentamos a esperança de que as cidades estejam preparadas para o #envelhecimento de suas populações e das inclusões de todas as pessoas com necessidades especiais. Que valorizem e respeitem mais o idoso… e o povo de todas as nações.

Passado um ano tão difícil em 2020 com esta pandemia e o isolamento social ainda acontecendo, estamos aprendendo a viver um novo normal. Preparando um novo mundo que em breve virá com a tão esperada vacina. Muita coisa mudou, muitas ainda irão mudar. Aprendendo dia a dia. Um dia de cada vez. Temos muita expectativa e esperança para 2021.

Por isso, continuaremos apontando os melhores caminhos para que os brasileiros consigam viver mais e melhor.

Feliz novas expectativas.✨

Feliz novas esperanças. 🍀

Veja também:

https://oterceiroato.com/2020/05/06/tudo-passa/

ANO NOVO!

As vezes pensamos em mudar muitas coisas para o próximo Ano ou quase tudo. Ano novo vem chegando. Mas não precisa de tudo isso, basta ter um olhar positivo sobre o que foi e o que virá. Em 2021 muitas coisas estão por vir… muitas mudanças acontecendo no dia a dia. Algumas boas outras nem tanto. Cabe a nós refletir sobre o que queremos para frente. A pandemia tem nos trazido um novo normal… um novo tempo, muito diferente dos anteriores. Ansiedade pelas vacinas que possa nos protegerão do coronavírus tem sido uma prioridade para todos. Esta cada vez mais perto de acontecer, mas… Como será? Aos poucos vamos descobrindo e nos adaptando. Tudo vai passar! Pra melhor no meu olhar otimista em relação à qualidade de vida. Feliz Ano Novo meus amigos… Que você realize todos os seus sonhos. Muita paz, amor e saúde! Gosto deste texto de Drummond… com um pouco de mim…

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido (mal vivido ou talvez sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegramas?).

Não precisa fazer lista de boas intençõespara arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto da esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver. Para ganhar um ano-novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novocochila e espera desde sempre.

Texto (extraído do “Jornal do Brasil”, Dezembro/1997) – Carlos Drummond de Andrade

Veja também:

https://oterceiroato.com/2020/03/13/benditos-sejam/