DOCUMENTOS PARA MORAR EM PORTUGAL.

documentos-para-morar-em-portugal-

“Seja a mudança que você quer ver no mundo.” Mahatma Gandhi

Pesquisando sobre morar em Portugal, encontrei no Blog Eurodicas um post sobre os documentos necessários para morar em Portugal quando se chega lá…. bem interessante, é bom saber. Leiam:

Quando um estrangeiro chega em Portugal pode ficar bem confuso sobre os documentos necessários no país europeu e isso é extremamente normal. Tudo ainda é novo e desconhecido, por isso, hoje vamos te explicar todos os documentos para morar em Portugal.

Onde solicitar documentos para morar em Portugal

O primeiro passo para quem chega do exterior para morar em Portugal é ir até uma Loja do Cidadão da sua cidade e se apresentar ao SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras).

O visto deve ser feito ainda no Brasil, no Consulado de Portugal no Brasil. Depois de chegar você tem três (3) dias úteis para se apresentar no SEF e agendar um atendimento para fazer o seu título de residência.

Veja os tipos de visto para Portugal e como solicitar cada um.

Título de Residência

O Título de Residência é um dos principais Documentos para morar em Portugal. Ele será indispensável em diversas ocasiões, e contará com todos os seus números de documentos (BI, NIF, Segurança Social – se tiver, data de validade do visto, endereço, nome completo e foto).

O Título de Residência só poderá ser feito para imigrantes com visto para residir em Portugal (seja para trabalho, estudo, estágio, aposentadoria, etc). Após o atendimento no SEF, o título de residência leva em torno de um mês para ficar pronto e deve ser retirado no SEF.

Bilhete de Identidade

O BI (Bilhete de Identidade) é o seu número de identidade em Portugal. Esse número constará no seu Título de Residência e será necessário para cadastro em lojas, na universidade, para trabalhar.

loja-financas-portugal

Número de Identificação Fiscal

O NIF (Número de Identificação Fiscal) é como o nosso CPF no Brasil. O seu NIF pode ser feito assim que chegar em Portugal, também na Loja do Cidadão, nos balcões de atendimento da Autoridade Tributária e Aduaneira.

Para fazer o NIF é preciso do seu passaporte e um representante com residência em território nacional (que pode ser um cidadão português para te acompanhar ou um brasileiro/estrangeiro que more há mais de seis meses em Portugal).

Essa pessoa ficará como responsável para o recebimento das suas correspondências das Finanças em Portugal. Após seis meses morando no país, você pode ir na Loja do Cidadão e alterar para o seu endereço fixo no país, dispensando o representante.

O NIF não tem custo e a Autoridade Tributária e Aduaneira lhe dará um papel com o seu número. Esse número deve ser anotado e decorado para informar na fatura das suas compras (no mercado, em lojas, etc). Em algumas cidades estão disponível a impressão do Cartão de Contribuinte (que não é obrigatório), o valor pode variar entre €6,80 e €10,00.

Após ter o NIF, você pode entrar no Portal das Finanças e fazer seu registro. Você receberá uma carta com a sua senha, e então poderá logar no site e conferir todas as suas compras e faturas em seus nomes. Isso pode ser útil para o IRS em Portugal (Imposto de Renda) ou para participar da “Fatura da Sorte” que sorteia prêmios para quem pede a fatura com o Número de Identificação Fiscal.

NISS

O NISS (Número de Identificação de Segurança Social) é número de trabalho da Segurança Social. O NISS é feito pelas empresas ou entidades empregadoras do trabalhador, não é possível fazer sozinho, sem estar empregado.

A empresa contratante deve informar a Segurança Social de Portugal nas 24 horas anteriores do início do contrato de trabalho com o funcionário. Após a sua admissão como trabalhador na Segurança Social, você receberá uma carta em casa, informando seu número.

Esse número pode ser apresentado na renovação do seu Título de Residência (feito todo o ano), para que ele conste no seu próximo cartão.

Cartão do Utente

O Cartão do Utente é gratuito e pare ser feito é preciso apresentar o seu Título de Residência. Ele permite que você tenha um “médico de família” nos Centros de Saúde de Portugal e também permite o atendimento nos hospitais públicos. Vale lembrar que mesmo a saúde pública em Portugal é paga.

http://www.eurodicas.com.br/documentos-para-morar-em-portugal/

 

 

Anúncios

COMO RECEBER A APOSENTADORIA EM PORTUGAL.

Portugal

“Não apenas se aposente de algo; tenha algo se aposentar.” Harry Emerson Fosdick

Como muitas pessoas estou sempre pesquisando sobre como aposentar em Portugal. Neste post da Eurodica a jornalista Amanda Corrêa escreve objetivamente como podemos receber a aposentadoria em Portugal. Vale a pena ler:

Os aposentados brasileiros que escolhem Portugal para morar e viver na terceira idade precisam além de fazer o visto de aposentado no país, escolher a forma como vão receber a aposentadoria em Portugal mensalmente.

Para decidir a melhor forma de receber a aposentadoria em Portugal é preciso fazer algumas contas para verificar as melhores taxas para não perder dinheiro na transferência entre países.

Melhor forma de receber a aposentadoria em Portugal.

Existem diversas formas de mandar e receber dinheiro entre Brasil e Portugal, elas podem ser online pelo TransferWiseWestern Union, MoneyGram, PayPal, Correios, ou através do seu banco.

A maioria das maneiras de envio devem ser feitas todos os meses, após a escolha do melhor dia de câmbio. Também é possível programar os pagamentos para receber o beneficio em uma conta bancária em Portugal.

Para isso é preciso receber a aposentadoria no Banco no Brasil e escolher uma instituição bancária em Portugal, entretanto, há uma retenção de 25% do valor.

Por que da retenção de 25% do valor.

A Receita Federal e o Governo Federal começaram a cobrar a taxa de 25% para pensões e aposentadorias recebidas no exterior a partir de maio de 2013. O valor é considerado um imposto de renda e cobrada para todos os valores de aposentadoria e pensões, inclusive para quem recebe apenas um salário mínimo.

Após a indignação de aposentados e pensionistas, muitos entraram na justiça através de advogados e conseguiram receber a aposentadoria em Portugal sem a retenção desse imposto. Mas para isso é preciso ter paciência e esperar cerca de um ano para as decisões judiciais.

Portugal aposentados-algarve

Custo de vida em Portugal para aposentados.

Para um aposentado viver em Portugal com qualidade são necessários pelo menos €1.000 mensais para os gastos com moradia, alimentação e lazer. Os serviços de saúde pública em Portugal funcionam muito bem no país e não é necessário ter plano de saúde particular.

Os valores dos remédios de forma geral também são mais baratos que no Brasil. Os planos de saúde são importantes apenas para quem precisa de médicos especialistas ou tratamentos em outros países da Europa. Para ter acesso ao sistema de saúde pública em Portuga, basta solicitar o seguro gratuito PB-4.

Vantagens de ser aposentado em Portugal.

Ser aposentado na Europa é estar “em casa”. O velho continente possui um grande número de idosos, que são respeitados e, conseguem viver com tranquilidade e qualidade de vida.

Portugal é um dos países mais seguros do mundo, o transporte público funciona e atravessa todo o país, podendo-se viajar sem preocupação e aproveitar a vida na aposentadoria. Além disso, o imposto de renda é cobrado apenas no Brasil, tendo 10 anos de isenção fiscal em Portugal.

Requisitos para solicitar o visto de aposentado em Portugal.

Para fazer o visto de aposentado em Portugal é preciso receber pelo menos €557 euros mensais (um salário mínimo). Quanto mais rendimentos e imóveis a pessoa tiver, mais chances de conseguir o visto para morar em Portugal.

O pedido de visto deve ser feito ainda no Brasil, e com bastante tempo de antecedência, pois o processo pode levar meses para a aprovação. Veja como funciona o processo e quais documentos precisa solicitar para viver em Portugal depois de se aposentar.

Melhores regiões para aposentados viverem em Portugal.

Os aposentados brasileiros que escolhem Portugal como destino para viver, normalmente gostam de escolher cidades mais quentes e com temperaturas mais amenas durante todo o ano.

O Algarve é uma das regiões preferidas, por ter praias, belas paisagens, mais horas de sol por ano e um bom sistema de saúde. Além do Algarve, cidades como Cascais e Estoril são ótimas opções para compra de moradias, porque além de serem do lado de Lisboa – a capital do país – possuem praias, pistas de caminhada, acesso ao aeroporto e muita qualidade de vida.

Espero que gostem.

Inclusive o Algarve já foi eleito o melhor lugar do mundo para viver a aposentadoria.

Fonte: http://www.eurodicas.com.br/receber-aposentadoria-em-portugal/

MORAR EM PORTUGAL: 5 DICAS PARA UMA BOA ADAPTAÇÃO.

PORTUGAL MUDANÇAS

“Temos de nos tornar na mudança que queremos ver”. Mahatma Gandhi

Pesquisando sobre o impacto que as pessoas sofrem com a mudança de País gosto de ouvir as experiências de quem que já avançou por esta etapa…  Conheça o que a Priscila do site Cultuga nos conta:

Desde a primeira vez que pisei em Lisboa, eu já sabia que precisaria de um tempo maior para poder vivenciar e entender tudo aquilo que estava sentindo. Voltei outras vezes de férias, mas sempre retornava ao Brasil com a sensação de que algo ainda estava faltando.

Escolher morar na capital portuguesa não foi uma tarefa simples. Eu sabia que Portugal poderia me oferecer uma experiência de vida importante e de acordo com as minhas expectativas. Entretanto, do outro lado (do oceano) estava a minha família, os amigos queridos e os planos idealizados para uma vida inteira no coração de São Paulo.

A decisão foi feita no susto, mas desse momento até a mudança passou um ano inteiro. Foi o tempo que tive para amadurecer o projeto, me desfazer dos planos paulistanos e fortalecer os elos com as pessoas que mais amo para seguir um novo caminho.

Morar fora de seu país de origem, seja temporariamente ou com um objetivo permanente, não é uma escolha fácil. Quando projetamos uma forma de vida no exterior, pensamos principalmente no que aquele momento vai nos trazer de positivo. Porém, o primeiro ano em solo estrangeiro vem como uma avalanche de sentimentos e novidades. Receber e filtrar tudo isso requer mente aberta e bastante paciência.

PORTUGAL brasil-e-portugal

1. Deixar ser levado pela cultura e tradições locais.

O primeiro conselho que dou para todos os brasileiros que me procuram e questionam a adaptação no país é: não tente fazer de Portugal um pequeno pedaço do Brasil. Parecem palavras duras, mas isso acontece com frequência, principalmente por dividirmos o mesmo idioma e termos alguns costumes similares. Aproveite a sua experiência no exterior para absorver a cultura e as tradições locais, não para impor as suas. De coração aberto e sem fazer incansáveis comparações aqui e acolá você certamente terá bons momentos e será bem recebido por todos.

2. Explorar o bairro, a cidade, as localidades vizinhas e o país.

Conhecer Portugal é muito barato. Portanto, depois de se instalar, faça caminhadas frequentes pela cidade, descubra novos caminhos para os locais que frequenta, experimente todos os transportes, aproveite os finais de semana para conhecer os arredores de onde você vive e, sempre que puder, viaje pelo país. Apesar de pequeno em território, Portugal tem muitas riquezas culturais espalhadas por suas regiões que são completamente diferentes umas das outras.

3. Fazer novas amizades (portuguesas ou estrangeiras).

Se você for morar nas grandes cidades portuguesas, certamente vai notar o alto volume de estrangeiros que também vivem por ali. São pessoas vindas de diversas partes do mundo e de todas as idades. Busque por atividades e grupos relacionados aos assuntos de seu interesse para se integrar com esses estrangeiros mas, sobretudo, com portugueses. Dessa forma, você poderá compreender melhor as raízes do povo, com as pessoas locais, e as diferentes formas de adaptação, com as pessoas de fora.

4. Trocar os sites de notícia brasileiros pelos portugueses.

Risque da sua lista de favoritos os sites de notícia brasileiros e inclua os portugueses (como o Público e o Observador). Essa leitura vai te levar para mais perto da cultura e da vida local (e do que acontece na União Europeia como um todo) e também vai afastá-lo da rotina brasileira. Via Facebook e por meio de amigos e familiares você já terá informações suficientes sobre as principais notícias do Brasil. O mesmo vale para canais de TV. Matar as saudades vale, claro que vale. Mas fazer disso uma rotina não vai te levar para perto do que realmente acontece no país que você escolheu para viver e passará os seus dias com a cabeça “lá” e não “cá”.

5. Quando a saudade apertar… Usar o Skype e o Whatsapp.

A tecnologia é a maior e melhor aliada dos imigrantes, na minha opinião. Não dá para imaginar como era a nossa vida sem ela. Em poucos anos, tudo se tornou muito simples e bem fácil. Conversamos diariamente com as pessoas que a gente ama via Skype, podendo fazer parte da vida de todos e levando um pouco da nossa experiência por meio da câmera. Ainda temos a sensação de proximidade quando podemos usar o whatsapp a todo e qualquer instante. Se a saudade apertar, então, já sabe…!

http://www.cultuga.com.br/2015/08/morar-em-portugal-dicas-para-uma-boa-adaptacao/

SOU APOSENTADO NO BRASIL. POSSO VIVER LEGALMENTE NA ESPANHA?

Tag top 7 madri 1

“A vida me ensinou a nunca desistir. Nem ganhar, nem perder mas procurar evoluir”. Chorão.

Há algum tempo a notícia de que os aposentados brasileiros podiam morar na Europa, especificamente na Espanha e em Portugal, estão sendo  bastante divulgadas e muita gente ficou com dúvidas em relação a isso, sem saber se era possível viver legalmente ou não nesses países ao ser aposentado no Brasil.

Com o desconto de 25% de IR em Portugal as atenções se voltam para a Espanha onde este desconto não acontece. Nesse novo post, o pessoal do escritório especializado Koetz Advocacia não só responde essa pergunta, como conta os trâmites necessários. Espero que ajude!

Sou aposentado no Brasil. Posso viver legalmente na Espanha?

A resposta é: sim! Mas como fazer isto?

Se você já se aposentou no Brasil, viver na Espanha é uma mudança que não será muito difícil de realizar. O visto espanhol é facilmente concedido a brasileiros que já possuem algum tipo de renda fixa (como a aposentadoria, por exemplo) e que desejam residir no país. Para isto existe o visto de aposentado. Explicaremos aqui o que você deve fazer e quais são as vantagens e obstáculos.

Quando se pensa em viver em outro país sendo aposentado no Brasil, o maior conflito a ser enfrentado é a indevida retenção de 25% que o Imposto de Renda brasileiro incide sobre o valor da aposentadoria. Entretanto, graças a um acordo previdenciário internacional entre os dois países, essa cobrança não existe na Espanha (a título de curiosidade, um acordo semelhante isenta a cobrança também no Japão e França… ufa! Este vão poder respirar aliviado e manter seus rendimentos integralmente.).

Ok, esta é uma questão a menos a se preocupar. O que mais pode ser um empecilho?

Espanha palacio de cristal

Outro obstáculo é o sistema público de saúde. Se você se aposentar no Brasil e morar na Espanha, não serão descontados os 25%, mas terá que arcar com um plano de saúde particular. Pelo menos por dois anos, já que após 24 meses poderá solicitar cidadania espanhola e desfrutar do sistema público de saúde como qualquer cidadão espanhol.

Como conseguir o visto de aposentado na Espanha?

Existe um visto específico para pessoas que possuem renda fixa e não desejam mais trabalhar. Trata-se da “Autorização de Residência Temporal Não Lucrativa” da Lei Orgânica 4/2000. A solicitação do visto deve ser feita em algum dos consulados espanhóis no Brasil, que se localizam nas cidades de Porto Alegre, Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. O procedimento completo custa em torno de 70 euros e é necessário:

– Possuir seguro de saúde e não ser portador de nenhuma doença que necessite do sistema público de saúde espanhol;
– Não ser cidadão europeu nem familiar de cidadão da União Europeia;
– Não estar irregular na Espanha;
– Não ter voltado ao Brasil após viver ilegalmente na Espanha;
– Não possuir antecedentes criminais em nenhum país;
– Não ter entrada proibida no país ou em alguma nação que possui acordo com a Espanha.

Já a documentação necessária para o pedido é:

– Formulário impresso com o pedido (faça download aqui);
– Passaporte com, no mínimo, 3 meses de validade;
– Certificado de antecedentes criminais;
– Comprovações de renda (o valor exigido atualmente por mês é de de 2.130,04€ por mês).
– Seguro de saúde com vigência de, pelo menos, um ano.
– Atestado médico garantindo que você está saudável para viajar.

visto de aposentado tem duração de um ano e pode ser renovado na Espanha mesmo. Caso queira levar familiares, é permitido desde que sua renda seja suficiente para sustentar todos os membros (o valor exigido por mês para o sustento de cada familiar é de 532,51). Lembrando que após 2 anos residindo de maneira legal no país, você poderá solicitar a cidadania espanhola.

http://www.estoesmadridmadrid.com/2016/05/04/aposentado-viver-legalmente-na-espanha/

VIVER LONGE DE CASA…

LONDRES Compras-em-Londres-Inglaterra-2

“Viver é buscar plenitude… mas nunca estar completo… inquietude onde parece faltar alguma coisa!” Bia Perez

Acredito que muitos tem a coragem de sair atras de seus sonhos… que muitas vezes estão longe. Percebo que viver longe de casa é procurar uma imensidão de coisas e às vezes se pegar sentindo falta de apenas uma, justo aquela que ficou para trás… É querer estar em dez lugares ao mesmo tempo e sofrer ao se dar conta que isso pode fazer você não estar de verdade em nenhum deles.

Aos poucos vamos aprendendo “de ambos os lados” a conviver melhor com tudo isso… e sentindo-nos mais tranquilos e felizes.

Culpa

Viver longe das pessoas que você ama (família e amigos)… é se dividir entre vários. Nos sentimos culpados de estar longe, de não participar da vida familiar, de não estar perto dos nossos pais e dos nossos amigos… de saber que nossos pais estão envelhecendo e que não estamos perto para acompanhar.

Aos poucos aprendemos a equilibrar a vontade de querer estar lá… sem deixar de querer estar aqui… Assim passamos a não nos culpar mais ao se dar conta de que vamos perder acontecimentos importantes: aniversários, casamentos e os natais com todo mundo reunido… Mas fará com que nossos encontros se tornem momentos mais que especiais.

Aprendemos no dia a dia a se contentar com o Skype… enquanto desejamos no fundo… mais do que tudo um toque, um abraço, um beijo. Saudade é coisa boa!

Incertezas

Nos perguntamos se realmente vale a pena viver longe das pessoas que amamos. Apesar de conhecer a realidade e dos motivos que nos levaram a partir, nos questionamos se é isso mesmo que queremos. Se vamos passar a vida toda longe de casa. Mas ao mesmo tempo nos orgulhamos de ter partido, pois não é uma decisão fácil e requer muita força de vontade e foco nos nossos objetivos.

É também viver uma relação de amor e ódio com o tempo. É desejar que ele passe voando em alguns dias e pedir que ele passe devagar em outros. É, algumas vezes, ver a data da passagem de volta muito longe e, em outras, perceber que parece que foi ontem que você desembarcou. E fazer com que isso te motive, te impulsione a dar o seu melhor para fazer tudo, incluindo a saudade que vem no pacote… Tudo isso… vale a pena!

Coragem

Deixar tudo para trás é no mínimo doloroso, deixar as pessoas que amamos em lágrimas, não é algo fácil de se fazer. Começar do zero em um novo país é como se jogar de paraquedas e não saber ao certo onde vai parar. É arriscar e estar pronto para enfrentar as dificuldades que encontraremos pela frente e mesmo assim não querer voltar.

É bem mais que conhecer novos lugares, aprender a se virar sozinha, tornar-se independente. Viver longe de casa é aprender a estar consigo mesma, a ser a sua única real companhia mesmo que esteja cercada de pessoas incríveis – porque, no fim, só você se conhece de verdade.

Determinação

Determinação é a chave de tudo!!! Temos que ter foco e devemos nos preparar para lutar pelos nossos objetivos. Não desista nunca dos seus sonhos por mais difícil que seja a jornada, um dia você chega lá. É só seguir em frente e acreditar que tudo vai dar certo.

É respirar fundo, engolir o choro e pensar que morar em outro país também é um presente. Que as pessoas que estão por perto agora, que te querem bem e cuidam de você, também se tornarão saudade quando você voltar para casa. Que as novas e belas paisagens vão se tornar só fotografias. E que você precisa aproveitar enquanto é tempo. Agora é tempo…

familia-reunida-e-feliz

É… O preço é alto. A gente se questiona, a gente se culpa, a gente se angustia. Mas o destino, a vida e o peito às vezes pedem que a gente embarque. Alguns não vão. Mas para os que nós… que fomos, viemos e iremos, não estamos livres do medo e de tantas fraquezas. Mas estamos para sempre livres do medo de nunca termos tentado.  Keep Walking.

http://guiadoestrangeiro.com/o-alto-preco-de-viver-longe-do-seu-pais/#RlITwUWOX06gEKqt.99

http://clipesemnexo.blogspot.com.br/2016/01/morar-longe-de-casa.html

ENCONTREI A MELHOR FORMA DE USAR CARTÃO PRÉ-PAGO MASTERCARD (SEM TAXAS) NO EXTERIOR. REVOLUT… (2).

LONDRES BIA PONTE 2

“Não gastes o teu dinheiro antes de o teres na mão”. Thomas Jefferson

Recentemente passei alguns meses na Europa e descobri algumas coisas que facilitaram e muito a minha vida por lá. Quero agora dividir com vocês (em partes) tudo sobre o que aprendi neste período da viagem e confesso que não poderei viver sem elas nas próximas viagens rsrsr… Esta á outra delas.

Revolut – MasterCard sem taxas…

Após longas horas de pesquisa finalmente encontrei um Mastercard pré pago  #gratuito que permite converter, comprar, enviar e levantar dinheiro… sem taxas, em qualquer parte do mundo. Apresento-vos o Revolut (Android / iPhone). Funciona sim e muito bem… eu mesma usei e aprovei.

revolut

Você só tem que instalar a app (Android / iPhone) e pedir que te enviem gratuitamente o Mastercard. Depois de 10 dias você recebe o cartão em casa. Veja só com fazer…

O processo começa no Google play instala-se a app Revolut no celular, neste app regista-te … é enviado então o cartão físico da Revolut (sem custo) para a sua residência de registo . Este cartão assume o pin que digitamos na app no celular! E se mudarmos o pin na app atualiza automaticamente no cartão. Depois então coloca-se dinheiro no cartão…

Colocar dinheiro é para Revolut, um “top-up”. Para o fazer isso tem-se duas hipóteses:

  • Por transferência internacional (usei o transferwise). Outro exemplo é pelo Best Bank que pode ser feita online gratuitamente e numa questão de minutos dá-se a ordem e, no máximo em 4/5 dias úteis chega a Cloud da Revolut.  Tem de alocar à conta Revolut que a remeteu, daí usarem um número referência que identifica a conta do destinatário.
  • 2) Pode-se também fazer esse top-up por um cartão de debito de uma conta em nome do titular da conta presente no Revolut, e… esse cartão de debito…  só servem mesmo os cartões de débito*, tem que cumulativamente ter:  1) o código cvv – aqueles 3 dígitos presentes ao pé do campo de assinatura – 2) ser um cartão que permite transações online.

revolut-2

Os serviços da Revolut permitem passar por cima das taxas absurdas cobradas pelos bancos… sendo que o serviço Revolut permite que o dinheiro seja colocado na app e seja automaticamente convertido num elevado número de moedas sem custos de câmbios.

Revolut é uma dessas possíveis hipóteses vantajosas para a carteira e para o controlo de gastos, é um 3 em 1: é uma app; um cartão; e dinheiro a circular entre conta e/ou cartão de debito e um cartão e conta da Revolut.

Revolut é a solução perfeita para quem gosta de #viajar… é única plataforma no mercado capaz de converter mais de 80 moedas sem taxas.

Se ler as Perguntas Frequentes pode perceber que existem limites de transações, mas se confirmar a tua identidade (ao enviar um documento de identificação – passaporte –  junto com uma selfie) esses limites tornam-se mais aceitáveis.

Espero que gostem… Beijos.

Para saber mais acesse https://revolut.com/  – Site: Revolut – PP: Android / iPhone

MORAR FORA DO BRASIL: 10 DICAS PARA SE ADAPTAR A UMA NOVA CULTURA.

  LONDRES Compras-em-Londres-Inglaterra-2

“Temos de nos tornar na mudança que queremos ver”. Mahatma Gandhi.

Como tenho contado para vocês estou um período (3 meses) em Londres auxiliando meu filho e sua família que estão se mudando para cá. Não conhecia o País e estou encantada com o que estou vendo aqui. Sim, voltarei muitas vezes para cá.

Pra começar a “gentileza” das pessoas e o “respeito ás diferenças” são bem fortes aqui… fazia tempo que não me sentia tão bem acolhida num lugar. Londres é  uma cidade multicultural onde todos convivem bem. Por morar na cidade de  São Paulo onde todos parecem correr muito de um lado para o outro…  as pessoas com pressa pararam de se olharem… de se cumprimentarem, perderam assim um parte muito importante no seu dia a dia, raramente isto acontece conosco tirando nossos amigos e familiares. O “outro” parece não existir mesmo dentro do elevador.

Outra coisa que merece destaque é sem dúvida a “segurança”…  que não temos e estamos perdendo cada vez mais e o pior parece que estamos nos acostumamos com os cuidados que temos que tomar e simplesmente aceitando… se conformando ou então mudando de País.  Me pergunto constantemente: quando é que os governantes vão pensar em nos dar a liberdade de ir e vir com segurança em nosso País? E melhorar a nossa Educação, Saúde, Economia…? É tão bom poder andar livremente pela cidade, pelos bairros a qualquer hora do dia e da noite… com seu celular, acessórios, bolsa e carteira… sem correr o risco de voltar para casa sem elas.

Também gostaria de dizer que é possível utilizar os “meios de transportes públicos” aqui com muita facilidade. Vamos para todos os lugares, utilizando diversos tipos de transportes com conforto e rapidez. Muita informação e acessibilidade o que ajuda a todos.

Durante toda minha vida assisti perplexa o que estamos perdendo a cada dia e mais… mais… temos acumulado perdas grandes nas ultimas décadas. Por isso entendo perfeitamente que mais pessoas pensem em morar fora do Brasil.

Leiam o que Érico Maia, do blog eLondres (o portal já existe há 13 anos, então tem bastante coisa legal, visite), que me encanta e sempre tem excelentes dicas (como estas) pra ajudar tanto quem vai para Londres a passeio como para morar, vale a pena conhecer o que ele diz. Estas 10 dicas estão originalmente no link, leiam: https://www.elondres.com/morar-fora-do-brasil-10-dicas-para-se-adaptar-a-uma-nova-cultura/.

LONDRES 1

“A decisão de morar fora do Brasil é sempre cercada de muitas expectativas sobre o novo país de destino: a cultura, as pessoas e até o ritmo de vida diferentes causam dúvidas e uma certa ansiedade. O período de adaptação nem sempre é fácil — afinal, você estará longe da sua família e amigos, em um lugar novo e desconhecido, provavelmente sem conhecer ninguém.

Para que você consiga vivenciar esse momento com a cabeça mais tranquila, hoje compartilho estas 10 dicas (de Érico), que vão te ajudar a driblar a solidão e se adaptar a uma nova cultura! Vamos lá?

PREPARE-SE PARA O CHOQUE CULTURAL

Ao se mudar de país, tudo parece diferente e pouco familiar. É preciso conhecer novos hábitos alimentares, adaptar-se a um clima diferente, familiarizar-se com uma segunda língua e assimilar os valores e costumes desse novo país. Cada um passa por esse choque de uma forma e isso está relacionado com as expectativas e com o conhecimento de cada um sobre o país de destino.

Para lidar com essa etapa, é importante pesquisar bastante sobre o lugar para onde você quer se mudar para identificar as diferenças e similaridades em relação ao seu país, além de se familiarizar com as práticas dessa nova cultura. Estar aberto à diversidade e ao aprendizado é essencial para minimizar os possíveis efeitos negativos do choque cultural — que, para algumas pessoas, incluem a depressão e o stress.

CONHEÇA A LÍNGUA

Ter conhecimento de uma língua estrangeira no Brasil não é garantia de que você não terá dificuldades em se adaptar a uma nova cultura. Elementos como o sotaque, as gírias e até mesmo o nome de alguns objetos comuns podem ser difíceis de assimilar em um primeiro momento.

Quando você não se lembrar de alguma coisa, tente explicar com outras palavras e não se frustre: se até na sua língua nativa você pode se esquecer de uma ou outra palavra, é natural que isso ocorra morando fora.

ABRA A SUA CABEÇA

Não é fácil estar inserido em um país no qual os valores, os costumes e a cultura são completamente diferentes dos seus. Por isso, uma das estratégias para se adaptar com mais facilidade é estar com a cabeça aberta para experimentar novas coisas e tentar assimilar esses novos costumes.

Antes de rejeitar um novo alimento ou determinado hábito, faça uma tentativa bem-intencionada de se adaptar. Quem sabe você não vai acabar se surpreendendo?

EVITE COMPARAÇÕES

O grande desafio para se adaptar a uma nova cultura é aprender a conviver com as diferenças. A melhor forma de fazer isso é manter uma atitude positiva e aberta em relação às novidades.

Evite comparar hábitos, costumes e alimentos diferentes do que você está acostumado. Ser diferente não significa ser pior. Fuja das comparações entre o Brasil e o seu país de destino e encare as novidades com entusiasmo e boa vontade.

SEJA SOCIÁVEL

londres inglaterra-londres

Um dos fatores que mais ajudam a acelerar a adaptação de quem vai morar fora do país é conhecer novas pessoas. Procure fazer novas amizades e ser sociável com as pessoas com quem você trabalha ou estuda e não tenha vergonha de convidar para um café ou um happy hour. Uma vida social ativa é uma boa maneira de amenizar a saudade dos amigos e familiares que ficaram no Brasil.

BUSQUE AFINIDADES

Uma ótima maneira de fazer amizades no início é encontrar pessoas que estejam em uma situação semelhante à sua — ou seja, outros imigrantes ou intercambistas. Independentemente do fato de que essas pessoas também vêm de outros países e culturas, vocês terão algo em comum: estão tentando se adaptar à vida em um novo país, longe da família e dos amigos.

Em geral, outros imigrantes serão mais abertos e dispostos a criar laços sociais, uma vez que estão passando pela mesma situação e também estão buscando companhia.

MANTENHA CONTATO COM O BRASIL

Os primeiros meses fora de casa são muito difíceis para qualquer um. Afinal, ainda não deu tempo de fazer novas amizades e é muito normal sentir saudades de casa. Para minimizar esse trauma, planeje-se para manter contato regular com sua família e amigos no Brasil.

Eles te darão suporte emocional para passar por este momento de solidão e te ajudarão a se lembrar do por quê de você ter decidido viajar. Pode parecer uma dica boba, mas contar com o suporte dos seus amigos e familiares é um fator extremamente importante para a sua adaptação em outro país. A internet (wiFi) ajudará muito e tem sempre gratís em alguns cafés ou lugares próximos de você… descubra.

CONHEÇA AS PAIXÕES NACIONAIS

Morar-fora-do-brasil-londres-1280x640

Outra maneira de integrar-se a uma nova cultura é ter interesse pelas “paixões nacionais” e valorizar esse aspecto da cultura local. Se você foi morar em um lugar em que o basquete ou o rugby são esportes populares, vá a um jogo ou tente conhecer melhor as regras para poder participar das conversas sobre o tema.

O mesmo vale para qualquer outro esporte: nem todos os países valorizam o futebol como o Brasil e, para se adaptar, a dica é tentar se interessar por aquilo que as pessoas ao seu redor gostam. Assim, você terá mais assunto para conversar e mais facilidade para fazer amizades.

SEJA OBSERVADOR

Para não cometer gafes, observe como as pessoas se comportam ao seu redor, a maneira como elas cumprimentam umas às outras e as dinâmicas das relações sociais. O povo brasileiro é muito aberto e receptivo, mas nem todas as culturas são assim.

Cumprimentar com beijos ou abraços, que são formas perfeitamente normais de conhecer alguém no Brasil, pode ser mal interpretado em países em que as pessoas são mais reservadas. Observar como as pessoas se comportam é um bom atalho para entender melhor as dinâmicas sociais de cada lugar.

ACOMPANHE AS NOTÍCIAS

Saber o que está acontecendo e quais são os fatos importantes também é uma boa dica para se integrar à cultura e ao dia-a-dia de um novo país. Além de ser uma maneira de ter assuntos interessantes para conversar com as pessoas e criar laços sociais, acompanhar as notícias também é uma forma de despertar o seu interesse pelo que acontece no país.

Com essas dicas, a sua adaptação a uma nova cultura deve ser mais rápida e tranquila. Nos momentos difíceis, lembre-se dos motivos que o levaram a mudar-se do Brasil e siga em frente para atingir os seus objetivos. Pesquisar sobre o seu destino é sempre bom para começar a se inteirar sobre a cultura local.”

Curtiu estas dicas de Érico? A meu ver descreve de forma leve e objetiva o que podemos fazer e levar em consideração por lá.

Se o seu objetivo é morar (ou passear) em Londres, então confira no Blog elondres outras dicas essenciais para adaptar-se à cultura inglesa.

Morar fora do Brasil: 10 dicas para se adaptar a uma nova cultura

COMO VIAJAR COM BEBÊ NO AVIÃO? (Internacional/ Londres).

bebe-avião-

“Os melhores momentos da vida não são aqueles em que você respira fundo… e sim aqueles que tiram o fôlego.” Anjos da Vida.

Já tinha contato aqui que meu filho mudou-se com a sua família para Londres. Ele foi na frente (em 19/maio) para iniciar seu novo trabalho e alugar um apartamento para levar sua família… nós fomos logo em seguida com tudo organizado por lá (em 14/junho).

Foi um grande desafio que enfrentei (amos)… viajar de avião para Londres com minha nora e meu neto, um bebê de apenas 7 meses de idade. Confesso que esta nova experiência me (nos) deixou um pouco ansiosa a princípio… onde as informações da internet foram fundamentais para o sucesso da viagem (meu otimismo tambésm rsrssr).

Viajar de avião com bebês pequenos é uma dificuldade para muitos pais. Além de precisar ter mais atenção na hora da compra da passagem e de alguns detalhes no embarque, é importante também saber o que fazer durante o voo, quando os bebês costumam ficar inquietas.  O Post ficou um pouco longo, mas consegui abordar todos os itens do antes: durante e depois da viagem… Paciência!

Hoje quero dar dicas sobre “como viajar com bebê num voo internacional”, no caso Londres. O que fizemos e o que recomendo.

PRIMEIRO MOMENTO: A COMPRA DA PASSAGEM – RESERVAR O BERÇO.   

bebe no aviào 2

  1. A primeira coisa a fazer é: comprar a passagem aérea com antecedência, reservando um bom assento (sugiro pegar corredor) um vôo noturno. Informe também que vai com um bebê e quantos meses ele tem.

Nossa experiência: Escolhemos a Cia aérea TAM/LATAM, com voo direto. Partindo de São Paulo/Guarulhos (GRU) ás 23:55hs e chegando em Londres – Heathrow (LHR) ás 15:15hs, com duração de 11:20.hs. No caso compramos pela internet.

  1. Em seguida ligue no Call Center e faça uma pré reserva de “berço para bebê”, informando: altura (até 71cms) e peso (até 10kg). Trata-se de um berço que se encaixa na frente á primeira fileira (não se esqueçam de pedi-lo!) e ele tem cinto, caso o bebê se mexa. Fará uma diferença enorme na viagem o berço. A propósito, o berço é uma espécie de 1a classe para os bebês: o bebê fica bem acomodado nele… é bem prático para aliviar um pouco o colo, deixando-nos livres daquele pesinho extra no colo.

Nossa experiência: Nosso bebê conseguiu dormir bem quase toda a viagem. Nós ficamos sempre alerta… mas pudemos descansar melhor durante a viagem.

  1. Adocumentação (original)  para viagem varia de acordo com o destino (consulte antes). Em viagens internacionais, com foi o nosso caso (Londres) era  preciso ter apenas um passaporte válido (pelo menos com 6 meses validade) . O passaporte do bebê tem validade de apenas de 1 ano. Apresentem-se juntos (PF) pai e mãe para fazer o passaporte do bebê e fazendo a opção para viajar com ambos ou apenas um dos dois.  Caso a viagem aconteça sem a presença do pai, a mãe precisará apresentar o passaporte do bebê com esta autorização descrita nele. Este era o nosso caso. Dependendo do país, também pode ser necessário o visto e a carteira de vacinação sempre na mão (consulte com antecedência) . Não era o nosso caso.
  1. É bom ir ao Pediatra antes e verificar se esta tudo ok com o bebê e receber algumas orientações do médico.  Leve uma farmacinha na viagem.

São detalhes burocráticos, mas que podem impedir a viagem, melhor ver com bastante antecedência.

SEGUNDO MOMENTO: A VIAGEM: CHECK IN E EMBARCANDO.

bebe-no aviao

  1. Nossa experiência: Lembrem-se de que estamos com bebê, por isso, chegamos bem antes do horário de embarque, precisamente 5hs antes. Pois geralmente o check in do voo abre com 6 horas antes.
  2. Com o berço reservado não fizemos check in online. Tem que ser feito somente no aeroporto bem antes do momento do embarque. Cheguem com “bastante” antecedência. Detalhe: as primeiras fileiras (mais espaçosas) onde fica o berço só são desbloqueadas neste momento, no aeroporto. A maioria das aeronaves oferecem apenas 1 berço por voo (disponível somente em voos internacionais)… este era o nosso caso…

Nossa experiência: Quem fizer o check-in “primeiro no aeroporto” garante o seu berço reservado, pagando neste hora a taxa do berço (nós pagamos US$150). Ficamos na primeira fila (bem mais espaçosa e confortável). Quem consegue o berço (portátil) têm direito aos assentos na primeira fileira mais práticos na hora de entrar e sair do avião. Além da mãe, o bebê… também tivemos direito á um acompanhante (no caso eu).

Dica de Assento: Com bebês que não conseguem mais usar o berço, tentem ficar em uma fileira de 4 cadeiras (se tiverem sorte, pode ser que consigam pegar duas cadeiras para deitarem completamente a criança – verifiquem que os braços das cadeiras levantam. Corredor são melhores para se movimentarem com ele. O importante é evitar ficar na poltrona do meio, enclausurada e impossibilitada de fazer movimentos.

  1. Apresente seus documentos (passaportes) dos passageiros. Faça o check in.
  2. Despache as malas. Cada adulto tem direito á despachar 2 malas de 32 Kg (para Europa/TAM) e levar 1 de mão na cabine. O bebê tem direito de despachar apenas uma mala de 23 Kg, embora seja ele quem mais vai requerer volume rsrsr.
  3. Informe aqui que vai querer que o seu carrinho do bebê fique junto com você até o momento do embarque. Este será entregue e devolvido na porta do avião, assim que (des) embarcar.

Nossa experiência: Assim aconteceu conosco e foi muito prático e maravilhoso. Melhor pedir para que seja devolvido na saída do avião, nunca se sabe a extensão do aeroporto no qual vamos aterrissar (mas mesmo pedindo, algumas vezes, em voos internacionais, soubemos que eles saem junto com as malas).

  1. Vocês também têm prioridade (atendimento preferencial) na fila na hora do embarque (pelo menos no Brasil!).

TERCEIRO MOMENTO:  O VOO   A VIAGEM – ALIMENTAÇÃO E A DISTRAÇÃO.

bebe no berço

  1. Pouco antes de embarcar, troque a fraldado bebe e se estiver em um horário razoável, já dê a comidinha/ leite do bebê.
  2. Nos voos internacionais, quando fizerem a reserva, lembrem-se de avisar a companhia aérea que irão embarcar com bebê ou criança (no momento da compra da passagem aerea), no nosso caso foi essencial reservar/ conseguir o berço.
  3. Quando o voo é noturno, os bebês demoram um pouco para “desligarem”, ficam excitadas com o todo, viagem, avião, etc… a própria agitação e ansiedade nossa, rsrsr. Mas uma vez as luzes apagadas, em geral, elas dormem… Digo bem: “em geral”, mas se for o caso do seu bebê ficar chorando (após verificação da fome, fralda, frio e coisas habituais)… não há muito o que fazer, tente relaxar… é chato para você e para os outros, e principalmente com certeza para a criança, mas quem nunca pegou um avião com uma criança chorando?! Acontece nas melhores famílias…! E sempre o noturno ainda é uma melhor opção do que voo comprido e diurno, porque o tempo demora mais a passar e elas ficam ligadas o voo inteiro!

bebe no berço 4

  1. DE MÃO DO BEBÊ EM VOOS LONGOS: Se o voo for de dia e relativamente curto, há que se ter bastante coisas em mãos para distraí-los e vai da preferência de cada bebê com seus brinquedos prediletos, mas tem que ser bem práticos. Leve os brinquedinhos preferidos do bebê (mordedores, bichinhos macios, brinquedinhos com diferentes texturas e cores… dê prefira aos sem sons).
  2. Caso seja necessário trocar seu bebê, existem trocadores no banheiro: ele é abaixado por cima do vaso sanitário… é bem apertado, mas atende bem! Na “mala do bebê” tenha muitas coisas para suas trocas: fraldas, toalhas higiênicas, pomadas contra assaduras, 2/3 roupas confortáveis, chupetas extras….
  3. E lembrem-se de levar um casaquinho e/ou manta, pois muitas vezes o ar condicionado do avião é gelado.
  4. Levem também alimentos do bebê em uma bolsa térmica pequena : mamadeira (leve a fórmula de leite do bebê em uns potinhos com compartimento pra dosagem certa e pelo menos para 2 mamadeiras com água na quantidade exata), papinhas (salgada ou doce as das Nestlé ajudam bastante aqui), danoninhos (colherzinhas, babador)… Enfim algo para o bebê se alimentar.
  5. De resto, relaxem, lembrem-se que os bebês sentem a ansiedade dos pais! E elas podem surpreender: no final, a viagem ainda pode ser tranquila, e de qualquer forma, os pimpolhos ficam sempre muito contentes em pegar o avião! O primeiro a gente nunca esquece! Tirem fotos e registrem o momento! Nós nos esquecemos rsrsrs.

Nossa experiência: No nosso caso o voo atrasou 1:30’hs em terra o que irritou um pouco o bebê depois de um certo tempo… tentamos distraí-lo cantando no colo da mamãe e da vovó… mas assim que levantamos voo (com o bebê no colo) o berço foi finalmente instalado. Ele mamou tudo e dormiu no colo da mãe como um anjo… colocamos então no berço portátil com o cinto. Uma maravilha para ele e para nós rsrsr. Dormiu quase toda a viagem. Acordou quase em Londres já.

Acordado (perto de Londres) trocamos e preparamos a mamadeira (tem água quente na cabine)… mamou tudo e ainda comeu uma banana amassada que era do nosso café da manhã. Brincou com seus mordedores, ouviu músicas e curioso como é observou todos os barulhos ao seu redor.

QUARTO MOMENTO: DICAS: DECOLANDO E ATERRISSANDO.

Bebê-no-avião-dicas

Durante a decolagem e aterrizagem, dê a chupeta ou mamadeira ao filhote. O movimento de sucção minimiza os efeitos da pressão no ouvido.

DETALHE: Pressão e dor de ouvido: no momento da decolagem e aterrizagem, não esqueçam de fazer os bebês deglutirem, tomando mamadeira, água, chupando chupeta, dando o peito… qualquer coisa que as ajudem a desentupir os ouvidos, já que não sabem fazer isso sozinhas. O processo de sucção evita que os ouvidos doam por conta da pressurização do ar. Pressurização essa que na grande maioria das vezes é a grande culpada pelo choro dos bebês nos aviões.

Nossa experiência: No nosso caso não precisamos fazer nada, foi tudo tranquilo com o bebê.

infra-estrutura para se viajar com bebês é enorme, principalmente se eles forem menores que 12 meses. Por isso toda atenção e cuidado são necessárias no: antes, durante e depois da viagem isso  fará toda a diferença!

ALGUNS LEMBRETES:

  • Bebês de 1 a 4 meses dormem a maior parte do tempo no voo. Bebês de 5 a 7 meses um pouco menos. De 8 a 10 querem mais se divertir, inclusive, ficar “falando” enquanto os outros passageiros dormem! Bebês de 11 e 12 meses, querem desbravar o avião e engatinham por todo o corredor. Calma!
  • Se seu filho já bebe água,ofereça durante o voo uma quantidade maior que o habitual. Nas alturas, o  organismo requer mais líquido do que de costume.
  • Ah, não tem problemas levar comida de bebê caseira em voos internacionais, é aceito pela segurança do aeroporto
  • Veja se as vacinas dele estão em dia e fique atento as vacinas exigidas/ recomendadas no destino dependendo do destino.
  • Algumas companhias aéreas oferecem carrinho de bebês. O ideal é fazer a reserva antecipadamente para que um funcionário da cia fique no finger (na saída do avião) esperando o passageiro para entregar o carrinho. Isso é ótimo!!
  • Você pode também considerar levar o bebê no canguru, que deixa suas mãos livres para puxar as malas.
  • Caso esteja viajando sozinha com o bebê, você pode pedir auxílio da companhia para retirar a bagagem da esteira. A propósito, no ato do check in, você solicita que suas bagagens sejam identificadas como prioritárias e assim você não deverá ficar muito tempo aguardando a bagagem chegar. Assim é a teoria e nas melhores companhias, funciona também na prática.
  • Para que a viagem fique mais confortável, você pode utilizar algum acessório de viagem para bebês, que facilita a vida de quem está voando
  • Em relação aos preços de passagem de avião para criança, os valores são diferentes. : para bebês de até 2 anos, a tarifa é em geral 10% do valor do adulto + as taxas de embarque (mas não ocupam um assento). Para crianças de 2 a 12 anos, paga-se 75% da tarifa do adulto + taxas de embarque… e já devem ter seu lugar garantido no avião (ver: desconto definido por cada companhia, que pode chegar a 50%).
  • Se estiver com cerca de 10 meses ou mais a dica é levar o travesseiro de amamentação. Pode não parecer muito prático, mas ajuda muito, pois o bebê acaba dormindo em algum momento e com ele fica bem mais confortável a acomodação na poltrona do avião;

Espero que este post ajude bastante vocês quando viajarem com bebê em avião. Bom, depois do primeiro voo, você percebe que não é tão ruim como você imaginava. Vai logo se programar para a próxima viagem! Já estamos pensando nisso…

Sugiro assistir este vídeo: (www.macetesdemae.com)

http://www.ebc.com.br/infantil/para-pais/2016/01/dica-de-mae-o-que-voce-precisa-saber-para-viajar-de-aviao-com-bebe-e

PORQUE ABANDONAR O BRASIL E MORAR EM PORTUGAL?

PORTUGAL brasil-e-portugal“É a possibilidade que me faz continuar e não a certeza. Uma espécie de aposta da minha parte. E embora me possam chamar sonhadora… louca ou qualquer outra coisa, acredito que tudo é possível…” Fênix Faustine.

Quando pensamos em morar em outro País… no caso aqui em Portugal, muitas dúvidas aparecem… Questões importantes para refletirmos reviram nosso pensamento, afinal é uma decisão importante que envolve muitas mudanças… que tem que ser muito bem analisadas. Certo que muita coisa só mesmo a experiência vai nos dizer, mas existem outras que podemos pesquisar e nos ajudaram a ter uma ideia melhor sobre como será. Isto nos ajuda a fazer uma opção mais consciente. Vale a pena conferir este depoimento tão claro e objetivo de Ione…  que viveu e vive esta experiência já a algum tempo. Leiam

Estamos cansados de ouvir falar dos problemas sociais, ambientais e econômicos que existem no Brasil, falta segurança, falta educação e saúde pública, falta tolerância, infelizmente falta tanta coisa e sobra desigualdade, exclusão e injustiça.

Infelizmente as oportunidades não são oferecidas a todos os cidadãos brasileiros e a miséria, material e intelectual, é uma lástima. A violência urbana assusta muito, a impunidade revolta, a corrupção e a ineficiência, tanto do governo como da iniciativa privada são estímulos para a indignidade.

Amo a vida que levo hoje em Portugal. Aprendi tantas coisas, e continuo aprendendo a respeitar mais as diferenças, ser flexível e descobri a diversidade de raças, culturas, estilos de vida e pensamentos muito diferentes do meu, e dos brasileiros, muitas vezes machistas, comodistas e hipócritas.

Os portugueses são afáveis e acolhedores, na minha opinião e na de muitas pessoas que moram aqui,  são carinhosos, recebem bem os visitantes, venham de onde vierem.

O choque cultural me forçou a perceber que minha visão de mundo está longe de ser a mais correta e que preciso expandir ainda mais. Aprendi que cada pessoa é um mundo e que cada um de nós cuida do seu próprio terreno, sem precisar ser superficial e forçado, morando fora você aprende a se tornar uma pessoa melhor, a ser adaptável e resistente.

Aprendi ainda que há mais vida para além do trabalho e das responsabilidades. Viver com emoção, re-energizar a vida e sempre se surpreender com alguma coisa é fundamental. Reavaliei tudo que é realmente importante, um diferencial tanto para minha vida pessoal quanto profissional.

Portugal apartamento

Aprendi que uma cidade não é formada por um bairro ou dois, é uma só, sem divisões, a diferença de “classes” que existe no Brasil, é muito menor aqui na Europa. Todos podem ter acesso à saúde, educação, aposentadoria, somos todos iguais. Isso é fantástico! Mesmo com pouco dinheiro as pessoas podem ter uma vida cultural agitada, podem se divertir e ainda viajar por muito pouco.

Aprendi ainda que as diferenças nem sempre geram integração, que imigrante tem que ser ainda mais esforçado, que tem que lutar muito para conseguir se estabelecer e que, por questões que fogem as suas capacidades, nem sempre consegue conquistar o que quer. E que apesar de tanta tolerância e igualdade por um lado, pode ser bastante preconceituoso e injusto por outro.

Então, depois de conviver com tantos outros valores e realidades, muitas vezes penso que não tenho vontade de voltar a morar no Brasil. Aprendi a atravessar uma rua pela faixa de pedestre sem medo de ser atropelada, a andar com meu computador na bolsa sem medo, de ouvir uma música no Iphone enquanto faço minha corrida na praia sem medo de ser roubada. Aos domingos ir para o parque público ver famílias inteiras fazendo piqueniques ou crianças soltas jogando bola, entrar num ônibus sem medo e ver o motorista ajudando um deficiente a entrar, essas coisas parecem tão simples, mas que no Brasil não existe.

Portugal Brasil

Gosto de ir para em Maceió (Brasil), rever meus amigos, passar tempo com minha família, comer todas as comidas que mais adoro e sinto falta. Mas confesso que não sinto nenhuma vontade de voltar a morar lá. Sei que as praias são maravilhosas, as pessoas são fantásticas, a comida é boa, mas não existe preço que pague a minha liberdade, de poder andar sozinha à noite na rua, de ter transporte público de qualidade, de não ter medo de ser assaltada ou que a minha vida está em constante perigo.

E quando pensei em voltar para o Brasil há uns anos atrás, e se readaptar à antiga cultura, sabia que seria pior que a dificuldade que tive em me adaptar aqui. Não, não é só geografia, nem tampouco é apenas culinária, cultura ou economia. É que o país de onde eu vim, também não existe mais, tudo muda… a minha cabeça mudou, os meus amigos mudaram. As “coisas” não ficaram lá esperando por mim, o choque dessa diferença seria muito grande.

Portugal -gastronomico-da-culinaria-portuguesa

NEM TUDO É PERFEITO

O impacto psicológico da distância da família, o fato de ser estrangeira, a dureza dos invernos aqui (minha cidade no Brasil é verão o ano todo e foi muito duro no início), a falta dos amigos, passar datas importantes longe de quem a gente gosta…

Reconstruir a vida não é fácil. Fiz alguns amigos por aqui e não tenho do que reclamar. Sempre fui bem tratada, tive oportunidades para além das minhas expectativas, terminei a faculdade na Universidade do Porto, o curso de arquitetura é considerado um dos melhores da Europa. Fiz muitos cursos que sempre quis fazer e não ia ter a mesma oportunidade no Brasil, conheci muitas pessoas nesses cursos que fizeram muita diferença na minha vida. Mas os amigos que deixamos faz uma falta enorme!

Em Portugal teoricamente falamos a mesma língua, a verdade é que são muitas palavras diferentes e outras iguais com significados totalmente diferentes que às vezes me pergunto se falamos de verdade a mesma língua, aprendi as palavras que eles usam e não foi fácil.

Portugal Porto

SEMPRE SEREI ESTRANGEIRA

choque cultural dói e não é pouco. Depois aprendi a conviver com isso, mas no início foi bem complicado ter minha visão de mundo desafiada, forçar meu jeito de pensar e ser “a brasileira”.

Mesmo morando anos em Portugal, nunca vou ser portuguesa de verdade, não consigo falar com o sotaque português, não penso da mesma forma, tem coisas que aprendi no Brasil que não são iguais, tem sempre diferenças que por mais tempo que fique aqui, a verdade é que não nasci aqui, não fui criada aqui, não cantei as músicas infantis que eles cantaram escola, não vi os mesmos desenhos animados, não tive os mesmo brinquedos na infância, não fui educada da mesma maneira e por mais que eu adquira a cultura do lugar, as diferenças sempre vão existir.

Eu sempre serei “a brasileira”, a “que fala diferente”, a “estrangeira”. E tem horas que isso cansa. Por outro lado, se cansa, tem coisas que compensam, e nem tudo é dificuldade.

Há muito o que se ganhar depois que se paga o preço de aprender com a dor e as dificuldades, sobreviver depois de tudo é espetacular.

Fonte: http://ioneomena.com/porque-abandonar-o-brasil-e-morar-em-portugal/

VALE A PENA MORAR E TRABALHAR EM PORTUGAL?

Lisboa

 “Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade”. Clarice Lispector.

Com o aumento dos impostos, juros bancários, desempregos, instabilidades economias e políticas… além dos muitos escândalos especialmente no governo brasileiro… tem sido cada vez mais frequente as perguntas em relação a morar e trabalhar em Portugal.

Semanalmente (2ªfeiras) estou postando diversos artigos sobre como morar em Portugal… e vou acrescentando também outros países da Europa. Muitas perguntas aparecem aqui e procuro postar abrangendo vários assuntos.

Mas a principal dúvida é se realmente vale a pena esta mudança. Por isso aproveitando a experiência de algumas pessoas que já passaram desta etapa e moram lá há algum tempo…  Vamos fazer uma análise geral da visão destes brasileiros que estão por lá vivendo… um deles é Erick da Eurodicas, veja o que ele diz:

A resposta mais correta para essa pergunta é “depende do que você quer”: Ganhar/guardar dinheiro em Portugal?

Sinto lhe dizer, mas ao contrário do que a gente sonha em relação aos Estados Unidos, Portugal não é um país para se fazer muito dinheiro e criar uma boa poupança. Isso por que os salários não são altos (arrisco até dizer que em alguns casos vai ganhar menos do que no Brasil).

Tenha em mente que o salário mínimo de Portugal é 530,00 (2016), assim como no Brasil, não vai te dar uma boa qualidade de vida. A partir de dois salários mínimos é que você começa a ter uma situação um pouco mais confortável. Já escrevemos aqui um guia do Custo de vida em Portugal.

Viver bem e ter qualidade de vida em Portugal?

PORTUGAL MUDANÇAS

Se o seu objetivo não é focado em ganhar dinheiro e sim em viver bem, você está prestes a fazer uma excelente escolha…. Eu particularmente só tenho coisas boas a dizer sobre Portugal nesse sentido (baseado em minha experiência e dados de 9/2015):

  • Violência: a taxa de homicídios dolosos (por grupo de 100 mil habitantes) do Brasil é de 21.7 enquanto Portugal tem uma taxa de 1.26. Assaltos à mão armada são raros também. Existe uma sensação de segurança muito grande, você consegue andar tranquilamente com celular e carteira de noite na rua.
  • Saúde Pública: Já fizemos um guia completo decomo funciona a saúde pública em Portugal, e de maneira geral é muito satisfatória, podendo ser comparada a hospitais particulares do Brasil.
  • Ensino Público: O ensino público em Portugal é onde as maiorias das pessoas estudam, e de maneira geral é bem avaliado, mas claro que tem escolas que são melhores que as outras. Algumas faculdades públicas estão entre as melhores da Europa.

Portugal eletricos-lisboa-min

  • Transporte Público: Ainda não sentimos a necessidade de comprar um carro, por que moramos do lado do metrô e conseguimos fazer TUDO de transporte público. Tem bilhetes mensais a partir de €30, e um detalhe é que aqui no Porto, não tem catracas nos ônibus e estações de metrôs, é tudo na base da confiança de que cada cidadão sabe seus deveres.
  • Aposentados: Recentemente o Algarve foi eleito o melhor lugar do mundo para se viver na aposentadoria por diversos fatores, incluindo a qualidade de vida. Se quer um lugar pra viver tranquilo e poder ir trabalhar a pé, por exemplo, é uma excelente opção.
  • Trabalhar em Portugal A minha mudança para Portugal foi por conta de uma proposta de trabalho, e pessoalmente valeu muito a pena por que consegui crescer profissionalmente e ganhar experiência internacional, mas tenho minhas dúvidas se realmente vale a pena sair do Brasil para trabalhar em subempregos em Portugal. Em subempregos você não vai conseguir ganhar bem para guardar dinheiro e nem aprender, talvez seja melhor procurar um país com um bom salário mínimo para pelo menos juntar dinheiro. O ideal é já vir com um bom emprego, porque apesar do desemprego ter caído por aqui, ainda é o DOBRO do Brasil. Ou seja, se for para trabalhar na sua área e ganhar experiência, VENHA. Se você quer saber mais, aconselho ler o guia de Como trabalhar em Portugal.

Fonte:http://www.eurodicas.com.br/vale-a-pena-morar-e-trabalhar-em-portugal/