VOU VIVENDO MUITO BEM… OBRIGADA!

meditando 3

“Não há nada que melhor defina uma pessoa do que aquilo que ela faz quando tem toda a liberdade de escolha.”   William M. Bulger.

Déa Januzzi, seu texto é um convite à reflexão sobre o que pode ser a vida, se vivida com intensidade, amor e sabedoria! Como dona de casa e cozinheira também deixo muito á desejar, mas nem me incomodo com isso, sobrevivo e vou bem obrigada, tenho outros interesses bem mais divertidos. Não fumo, ganho pontos aqui… mas gosto de um bom vinho aos finais de semana. Como Déa também sou rebelde, uma revolucionária para minha geração onde controvérsias acontecem… mas vivo de bem com a vida, em paz comigo mesma e com o mundo…sempre! Amo viajar e desafios novos!!! Sim… vou vivendo muito bem obrigada! E que Déa continue nos presenteando com textos como esse: ENTRE FLORES, CIGARROS E AGULHAS!  Leiam:

Não sirvo de exemplo para ninguém que chegou aos 60 como eu. Bebo vinho todos os dias, sob o olhar vigilante do meu filho, de 30 anos, que não esconde o desapontamento com a mãe que nem dona de casa é. Se tenho que arrumar a casa não consigo cozinhar nem lavar e passar. Se decidir ir para a cozinha, tem que ser um ou dois pratos no máximo. Não sei passar roupa nem gosto de lavar. Brigo até com a máquina de lavar. Serviço de casa me irrita, apesar de hoje, aos 61 anos e livre do trabalho formal de todo dia, tentar algumas incursões culinárias. Gosto também de encher a casa de flores. Às sextas-feiras, não deixo de vir com uma braçada delas da Feira das Flores.

Também gosto de casa cheirosa e fresca, com muita saúde e vento entrando pelas janelas e descortinando o mar de prédios à minha volta. Amo incenso e oráculos, principalmente as mensagens de Jeremias que me ajudam a amanhecer com menos angústia. Não frequento templos nem igrejas, mas tenho meus gurus e anjos aqui na Terra como no Céu. São muitos mestres e guias. Santo para mim é feito de carne e osso. Santo pra mim é aquele que, religiosamente, sobrevive aos furacões e vendavais de todos os dias.

feliz

Tenho bons amigos que tentam ser meus médicos, mas às vezes desistem, porque não gosto de tomar remédios, não sigo receitas. Nem mesmo as médicas. Odeio hospitais, porque enterram vivos os idosos, entubam a velhice e deixam nossos pais morrerem sozinhos, longe dos filhos e netos em nome de protocolos médicos e cirúrgicos.

Desculpem-me os que creem na medicina tradicional, mas lugar de velho não é em CTI (Centro de Tristezas Indizíveis). Ainda bem que o Conselho Federal de Medicina finalmente aprovou o Testamento Vital, que dá a cada um de nós o direito de não ser submetido a procedimentos invasivos e inúteis.

Confesso que fumo cigarros até hoje, mas não me vanglorio dessas tragadas. Não sinto mais prazer em fumar um cigarro atrás do outro. Mas estou aprendendo – bem devagar – a promover um ritual na hora de fumar. E voltar a tragar apenas por prazer e não mais por vício ou dependência química. Ainda não consegui parar nem vou prometer publicamente. Conto apenas para mim mesmo, porque não vou assinar nenhum manifesto contra o cigarro. Não vou expulsar fumantes de perto de mim nem abanar as mãos quando um deles cortar o meu caminho.

Todos os dias, no entanto, peço para que eu não me transforme numa velha chata e rabugenta como aquelas dos contos de fada, ou melhor, uma bruxa, porque não tem nada pior do que uma pessoa mal-humorada, respingando veneno e mofo por todos os lados, aspergindo comentários maldosos e preconceituosos. Cheirando a formol.

Tenho amigos que muitos denominam de gays, mas só me aproximo das pessoas por afeto, sejam eles negros, homossexuais, com necessidades especiais, porque eu também tenho as minhas.

abraço 3      idoso lendo 3

Como tantos da minha geração, gosto de acupuntura. Saio todas as quintas-feiras do Bairro Cidade Nova para o Colégio Batista para encontrar Josefina, a minha acupunturista, que inclusive, consertou a minha artrose no joelho esquerdo e sempre me diz que ela está mais do que fincando agulhas no meu corpo, mas quer que eu silencie e consulte o meu coração para as questões difíceis da vida.

Gosto de arroz integral e de tudo o que vem do mar, inclusive peixes, mariscos e algas, afinal sou Câncer, signo da água e da emoção.

Como eu quero envelhecer? Aprendi com Amélia, minha mãe, que viveu lúcida, sem doenças até os 91 anos, que a gente não envelhece da noite para o dia, mas que quando alguém na rua disser que você “é uma gracinha” pode saber. Estás velha. Como sou de uma geração que revolucionou costumes, espero também continuar rebelde, mas com as bênçãos que a idade e o tempo nos presenteiam.

IMG_0860

http://www.50emais.com.br/artigos/com-as-bencaos-que-a-idade-e-o-tempo-nos-presenteiam/

Anúncios

Um comentário sobre “VOU VIVENDO MUITO BEM… OBRIGADA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s